Prefeitura oferece formação para professores em modalidade semipresencial

O secretário de Educação, Geraldo destacou o papel da educação à distância para essa ampliação e a facilidade de...

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), e a Universidade Estadual do Maranhão (Uema) apresentaram esta semana o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) do Curso de Educação Especial em Contexto, que a partir desse mês de setembro passa a ser semipresencial. A nova modalidade, que vai ampliar o acesso dos educadores ao curso oferecido pela Prefeitura de São Luís, é uma parceria da Semed com o Núcleo de Tecnologias para Educação da Uema (Uemanet). A solenidade que oficializou o início da modalidade semipresencial foi realizada no auditório do Centro de Ciências Biológicas do Campus da Uema, na Cidade Operária.

A oferta da modalidade semipresencial segue a política do prefeito Edivaldo de valorização dos servidores do magistério e também está de acordo com o Plano Municipal de Educação (PME), que prevê a ampliação de oferta de formação e capacitação profissional dos educadores. O secretário de Educação, Geraldo Castro Sobrinho, destacou o papel da educação à distância para essa ampliação e a facilidade de acesso da plataforma para os educadores, flexibilizando o tempo para o estudo.

“O esforço do prefeito Edivaldo Holanda Júnior para que esta parceria se concretizasse vai ajudar a suprir a demanda de formação dos educadores, que poderão agora conciliar mais facilmente a capacitação profissional com suas jornadas de trabalho. A plataforma viabilizada na parceria com a Uema também possibilitará a oferta de conteúdos diferenciados, como vídeos, fóruns de discussão e atividades diversas que agora estarão à disposição dos cursistas”, explicou o Geraldo Castro.

PLATAFORMA – Formação já consolidada no calendário da rede municipal de ensino, o curso de Educação Especial em Contexto tem carga horária de 120h e objetiva capacitar os professores para atender os estudantes com deficiência matriculados nas Unidades de Educação Básica (U.E.B.) da Prefeitura de São Luís. Antes do início oficial da modalidade semipresencial, os cursistas passaram por oficinas de ambientação, nas quais tiveram a oportunidade de se familiarizar com as ferramentas da plataforma e esclarecer dúvidas.

A atual turma do curso iniciou no primeiro semestre de 2015, com a oferta de 200 vagas, e tem previsão de término para o mês de dezembro. Das vagas ofertadas, 10% são destinadas a membros da comunidade em geral e o restante é reservado para professores da rede municipal. Os encontros presenciais serão mensais, acontecendo geralmente no último final de semana de cada mês.

A superintendente da área de Educação Especial da Semed, Dalvina Amorim Ayres, pontuou a importância do curso para a inclusão social dos estudantes. Segundo ela, a qualificação de docentes na área de educação especial é uma necessidade emergente. “Um dos nossos grandes desafios é tornar o ambiente escolar mais humano. A mudança do curso para semipresencial vai atender a um público maior que busca qualificação na área de Educação Especial”, assinalou Dalvina. Após a solenidade de apresentação do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), os cursistas participaram da palestra “História da Educação da Pessoa com Surdez: trajetória, avanços e retrocessos”, ministrada pela pedagoga Kátia Lisboa, especialista na área de Educação Especial.

Também presente à solenidade, a promotora de justiça especializada na defesa da Educação, Maria Luciane Lisboa Belo, parabenizou a Prefeitura de São Luís e os educadores pela conquista. “Tenho certeza que esta nova modalidade de formação vai ampliar as possibilidades para os educadores se qualificarem e prestarem um atendimento ainda melhor para as crianças e adolescentes com deficiência”, disse a promotora.

Os educadores matriculados no curso também aprovaram a iniciativa. Danielle Santos Machado, professora da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) João de Souza Guimarães, disse que o curso é rico em conhecimentos. “Estamos aprendendo metodologias de trabalho específicas para a atuação do professor em sala de aula, voltadas para os estudantes com deficiência. O ambiente virtual tem muitas ferramentas interessantes, como vídeos, exercícios e material de apoio bibliográfico. Isso é um apoio para o nosso estudo e com certeza vai potencializar o aprendizado”, disse a professora.

VER COMENTÁRIOS

Artigos relacionados