MPMA oferece denúncia contra prefeito de Anajatuba e mais 26 pessoas

Prefeito de Anajatuba, Helder Aragão
Prefeito de Anajatuba, Helder Aragão

O Ministério Público do Maranhão ofereceu, no dia 22 de junho, denúncia ao Tribunal de Justiça contra o prefeito de Anajatuba, Helder Aragão, secretários municipais, vereadores e empresários, que foi protocolada e autuada sob o número 0005006-13.2015.8.10.0000, e teve por base o Procedimento Investigatório Criminal nº 003/2014-GAECO.

Todos foram denunciados por pertencer a uma organização criminosa que fraudava licitações e desviava recursos públicos do município, conforme conclusões decorrentes das investigações.

Leia também: Doação de R$ 50 mil pode ligar deputado à “organização” que desviou R$ 13 milhões em Anajatuba

No total, foram denunciadas 27 pessoas. Além do prefeito são alvo da Ação Penal, Edinilson dos Santos Dutra, Álida Maria Mendes Santos Sousa, Leonardo Mendes Aragão, Luís Fernando Costa Aragão, João Costa Filho, Georgiana Ribeiro Machado, Francisco Marcone Freire Machado, Francisco Diony Soares da Silva, Antonio Carlos Muniz Cantanhede, Marcelo Santos Bogéa, Domingos Albino Beserra Sampaio, Antônio José Fernando Júnior Batista Vieira, Fabiano de Carvalho Bezerra, Antonio Carlos Braide, Hilton José Paiva dos Reis, Glauco Mesquita de Oliveira, José Antonio Machado de Brito Filho, Anilson Araújo Rodrigues, Ginaldo Marques da Silva, Franklin Bey Freitas Ferreira, Marcelo Alexandre Silva Ribeiro, José de Ribamar Costa Moura, Matilde Sodré Coqueiro, Natascha Alves Lesch, Diego Fabrício Silva Barbosa e Maina Maciel Mendonça.

Inicialmente o processo foi distribuído para o desembargador Raimundo Nonato Magalhães Melo, integrante da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, que já havia, durante a investigação, deferido várias medidas cautelares a pedido do MP. Como o desembargador Raimundo Melo se deu por suspeito, por motivo de foro íntimo, o processo foi redistribuído para o desembargador Bayma Araújo que estava de férias, e era substituído pelo desembargador Vicente de Paula.

A partir de 1º de julho, quando retomou suas atividades, o desembargador Bayma passou à relatoria da ação penal.

ENTENDA O CASO – As investigações foram iniciadas em setembro do ano passado, após representação do vice-prefeito de Anajatuba, Sydnei Costa Pereira. Ele denunciou o desvio de verbas públicas por meio de licitações simuladas.

Diante da situação, o MPMA investigou contratos do Município de Anajatuba com as empresas A4 Entretenimento, M.R. Comércio e Serviços, Vieira e Bezerra LTDA, Construtora Construir, dentre outras que poderiam ser identificadas no curso da investigação.

Ao realizar diligências, o Ministério Público constatou que as empresas existiam somente no papel. Algumas estavam fechadas ou indicavam endereços residenciais de pessoas que não conheciam o proprietário da empresa. Outras empresas vencedoras das licitações funcionavam sem qualquer estrutura.

Para aprofundar as investigações, o Ministério Público pediu e o Tribunal de Justiça deferiu medidas cautelares que possibilitaram o oferecimento da ação penal, com provas concretas dos fatos.

Segundo a denúncia, o “núcleo empresarial” do esquema operava por meio de empresas de fachada, com sócios-laranjas que participavam de licitações previamente acertadas com a administração municipal. O dinheiro era dividido entre os chefes da organização e os agentes públicos.

Juntamente com a denúncia do Ministério Público, foram efetuados pedidos cautelares, pendentes de apreciação pelo Tribunal de Justiça.

ESCLARECIMENTO – Com relação à notícia publicada em jornal local, com a declaração do desembargador Bayma Araújo, o Ministério Público esclarece que a Ação Penal, autuada sob o número nº 0005006-13.2015.8.10.0000, teve por base o Procedimento Investigatório Criminal nº 003/2014-GAECO composto por autos principais e vários apensos, totalizando 61 volumes, sendo regularmente protocolada em 22 de junho de 2015, no setor apropriado do TJ/MA.

Depois de distribuída a ação foram endereçadas duas petições ao relator: uma petição para anexar aos autos documentos e bens pessoais dos acusados, apreendidos durante a investigação, que já foram periciados pelo Instituto de Criminalística da Polícia Federal e que devem integrar a ação; e outra para juntar ao processo novos laudos periciais que ficaram prontos depois de oferecida a denúncia.

O Ministério Público aguarda a decisão do Tribunal de Justiça sobre os pedidos cautelares formulados e sobre o recebimento da denúncia.

Santa Inês: Bebês prematuros são transferidos de hospital enrolados em saco de lixo

Recém nascido é transferido de Santa Inês para São Luís dentro de saco de lixo.
Recém nascido é transferido de Santa Inês para São Luís dentro de saco de lixo.

Dois bebês gêmeos nasceram prematuros em um hospital municipal do interior do Maranhão e precisaram ser transferidos para São Luís. Só que viajaram enrolados em sacos de lixo.

Os gêmeos nasceram em um hospital municipal de Santa Inês, a 300 quilômetros de São Luís. Artur e André vieram prematuros e o hospital não tinha equipamento de oxigênio e nem incubadoras neonatal, que reproduzem as condições do útero para o bebê ganhar peso.

As crianças, então, tiveram de ser transferidas para um hospital em São Luís, só que o hospital de Santa Inês também não tinha mantas térmicas, necessárias para cobrir as crianças durante as seis horas de viagem. Os médicos improvisaram

A foto de um dos bebês enrolado em um saco de lixo foi publicada nas redes sociais por parentes revoltados com a situação. “É um absurdo muito grande. É um protesto que a gente está fazendo para poder ver se isso não acontece com um desfecho ruim, na morte de filhos e mães que com certeza vão chegar a isso”, afirma o tio dos bebês, Oswaldo Júnior. As crianças chegaram bem a São Luís e seguem internadas. Depois da repercussão do caso, o hospital de Santa Inês comprou quatro incubadoras.

O diretor diz que, diante das circunstâncias, os médicos agiram corretamente ao enrolar os bebês em sacos de lixo para garantir a transferência deles. “Usar o isolante térmico como o saco de poletileno não é algo errado, como ficou aquela impressão. E a gente fica satisfeito que o médico, a equipe e o hospital cumpriu sua meta. Ele salvou a vida da criança”, afirma Thomaz Martins Neto.

Fábio Braga prestigia Festejos Juninos de Afonso Cunha

_DSC0536 afonso cunhaO deputado Fábio Braga (PTdoB) prestigiou, no último final de semana, os Festejos Juninos do Município de Afonso Cunha, acompanhado do prefeito José Leane Borges, do vice-prefeito Antônio Maria, do presidente da câmara vereador Marcos Crispim, do prefeito de Duque Bacelar Flávio e demais vereadores do município.

Na oportunidade, o deputado Fábio Braga parabenizou o prefeito José Leane e a população de Afonso Cunha pelo sucesso do Festejo Junino, que apesar de ter reunido cerca de 4 mil pessoas por noite, foi muito bem organizado e seguro, pois não foram registradas ocorrências graves no Polo de Lazer e no entorno da festa.

_DSC0493 afonso cunhaPara o prefeito José Leane, todos que fazem a Prefeitura de Afonso Cunha, os servidores da Cultura, Esporte, Segurança Pública, Saúde, Educação, Autarquia Municipal, Desenvolvimento Social, Obras e a Comunicação estão de parabéns, pois todos colaboraram para o pleno êxito dos Festejos Juninos do município.

PARCERIA E SUCESSO – Os Festejos Juninos de Afonso Cunha, versão 2015, foi realizado pela Prefeitura, com apoio do deputado estadual Fábio Braga, do deputado federal Waldir Maranhão e do governo do Estado do Maranhão. Todos que participaram da festa elogiaram a parceria, que culminou com uma das mais belas festas do gênero no município.

De acordo com a Secretaria de Cultura e Turismo de Afonso Cunha, durante os Festejos Juninos os ambulantes e barraqueiros também tiveram um lucro acima das expectativas. O comércio da cidade também reconheceu que que o Festejo Junino foi de grande porte e gerou renda e ocupação para os moradores. O Festejo Junino de Afonso Cunha durou os sete dias, com a realização de quatro festivais de quadrilhas, mirim, da zona rural, interestadual e intermunicipal, coroando a comemoração como a maior festa do já realizada no município. O prefeito José Leane agradeceu a colaboração e participação do deputado Fábio Braga.

Zé Inácio destaca autorização para licitação da ponte Central/Bequimão

Deputado Zé Inácio
Deputado Zé Inácio

Na manhã desta terça-feira (07), o deputado Zé Inácio (PT) usou a tribuna para destacar a ação do governador Flávio Dino que autorizou a licitação para construção da ponte Central/Bequimão na última segunda-feira (06).

“Em nome do povo da Baixada Maranhense quero agradecer ao Governador Flávio Dino por este Ato. A partir de agora as comunidades daquela região terão mais facilidade no acesso à capital”, destacou o deputado.

A ponte terá extensão de 580 metros, a ponte vai interligar 10 municípios da Baixada Maranhense (Bequimão, Central do Maranhão, Mirinzal, Guimarães, Cedral, Cururupu, Porto Rico, Serrano do Maranhão, Bacuri e Apicum-Açu), reduzindo em 32 km a distância para chegar a MA-106, que dá acesso ao Cujupe e encurtando em 125km o deslocamento dos moradores da região à capital

A estimativa para a execução da obra é de, aproximadamente, R$ 59 milhões. A primeira fase, que consistiu na elaboração do projeto técnico, constatou os detalhes técnicos para que a obra esperada por décadas na região pudesse começar a se concretizar. A ponte Central/Bequimão passará sobre o rio Pericumã, que possui 25m de profundidade de solo mole e requer maior resistência para as armações de concreto.

Doação de R$ 50 mil pode ligar deputado à “organização” que desviou R$ 13 milhões em Anajatuba

Suspeito de integrar “organização” que desviou R$ 13 mi em Anajatuba doou R$ 50 mil para campanha do
Suspeito de integrar “organização” que desviou R$ 13 mi em Anajatuba doou R$ 50 mil para campanha do

O ex-presidentes da Assembleia Legislativa do Estado, Antônio Carlos Braide, apontado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), como um dos “cabeças” do esquema criminoso que desviou mais de R$ 13 milhões dos cofres públicos da Prefeitura de Anajatuba, a 130 quilômetros de São Luís, fez uma doação de R$ 50 mil para a campanha eleitoral do filho, Eduardo Salim Braide nas eleições de 2014. Ele era candidato a deputado pelo PMN e se elegeu para o segundo mandato com 47.519 votos. A doação pode ligar o deputado ao esquema de desvio de verbas na prefeitura anajatubense. As informações estão disponíveis ao público no site do Tribunal Superior Eleitoral (www.tse.gov.br).

A doação foi feita por meio de depósito em espécie, no dia 24 de outubro de 2014. Além do dinheiro doado pelo pai investigado, Eduardo Braide recebeu também R$ 1.400,00 de Carlos Jesus de Carvalho e R$ 2 mil de Fábio de Henrique de Jesus França. Segundo o TSE, os depósitos das doações foram efetuados, respectivamente, nos dias 04 de agosto e 03 de setembro de 2014.

Em 2013, o deputado Eduardo Braide esteve em Anajatuba para acompanhar os serviços de pavimentação da Estrada do Afoga.
Em 2013, o deputado Eduardo Braide esteve em Anajatuba para acompanhar os serviços de pavimentação da Estrada do Afoga.

Para garantir mais um mandato na Assembleia Legislativa, Eduardo Braide firmou vários firmou várias alianças. Em Anajatuba, por exemplo, onde obteve 3.159 votos, ele teve o apoio do prefeito Helder Lopes Aragão (PMDB) que também figura na ação criminal por desvio de verbas públicas.

Além de Carlos Braide e Helder Aragão, vários secretários municipais, vereadores e empresários também figuram no rol de denunciados e tiveram pedidos de prisão preventiva requeridos pelo procurador de Justiça, Francisco das Chagas Barros de Sousa.

O pai do deputado Eduardo Braide chegou a prestar depoimento na polícia, mas negou a ligação com o prefeito ou quaisquer um dos outros denunciados. No entanto, sua participação acabou sendo confirmada através de cruzamentos de dados realizado pelo Gaeco que constatou, em determinado período, que o ex-parlamentar creditou mais de um milhão de reais nas contas de Fernando Júnior e da F C B Produções e recebendo, inclusive, mais de R$ 400 mil da conta da F C B Produções e Eventos. De forma que não resta dúvida da participação de Carlos Braide no esquema.

Apontado como um dos ‘cabeças’ do esquema, Braide creditou mais de um milhão de reais nas contas de Fernando Júnior e da F C B Produções e Eventos e recebeu mais de R$ 400 mil da conta da empresa.
Apontado como um dos ‘cabeças’ do esquema, Braide creditou mais de um milhão de reais nas contas de Fernando Júnior e da F C B Produções e Eventos e recebeu mais de R$ 400 mil da conta da empresa.

A ação policial, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial no Combate a Organizações Criminosas (Gaeco), órgão do Ministério Público, estava pronta para acontecer, inclusive, com o cumprimento dos mandados de prisão. Mas, dias antes, um vazamento de informação provocou um corre-corre de advogados dos denunciados ao Tribunal de Justiça (TJ), tentando evitar as prisões dos seus clientes.

COLECIONADOR DE FRAUDES – O blog vai continuar a série de reportagem sobre o esquema de desvio em Anajatuba. Amanhã vamos revelar o mapa da farra com dinheiro público e as ligações das empresas envolvidas com outros municípios que não estão arrolados ao processo.

O empresário Fernando Júnior (foto ao lado), dono da Escutec, é apontado como o principal colecionador de fraudes para desviar dinheiro público. Com informações Antonio Martins.

MPMA- aciona prefeita de Santo Amaro do Maranhão

Prefeita-Luziane-Lopes-Rodrigues-Lisboa-200x300
Prefeita de Santo Amaro do Maranhão, Luziane Lopes

O Ministério Público do Maranhão (MPMA), por meio da Promotoria de Justiça de Humberto de Campos, ajuizou, em 2 de julho, Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa contra a prefeita de Santo Amaro do Maranhão, Luziane Lopes Rodrigues Lisboa, requerendo a declaração da indisponibilidade liminar dos bens da gestora.

O pedido, feito em ação de autoria do promotor de justiça Luís Eduardo Souza e Silva, é motivado pela não apresentação, por Luziane Lisboa, da prestação das contas do Município, referentes ao exercício financeiro de 2014.

A ação é fundamentada em representação do vereador José Maria da Silva Filho, em que ele destaca que a omissão da prefeita impossibilita a consulta das contas por qualquer cidadão ou instituição.

CERTIDÃO – Anexada à representação, uma certidão da Câmara de Vereadores de Santo Amaro do Maranhão atesta que a prefeita não enviou ao órgão do Legislativo uma cópia da prestação de contas do exercício financeiro de 2014.

De acordo com o autor da denúncia, esse fato tem impedido que vereadores, cidadãos e instituições do Município tenham acesso às contas, sob a responsabilidade de Luziane Lisboa, durante todo o exercício financeiro de 2014, na Câmara Municipal, como determina a legislação.

PEDIDOS – Na ação, além da decretação liminar da indisponibilidade dos bens, o promotor de justiça Luís Eduardo Souza e Silva requer que o Poder Judiciário condene Luziane Lisboa à perda da função pública e à suspensão de direitos políticos, pelo período que pode variar entre três e cinco anos.

Outro pedido é a condenação ao pagamento de multa de até 100 vezes o valor da remuneração recebida pela gestora à época do fato e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais pelo prazo de três anos.

Prefeitura de Bacabeira realiza Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

Prefeito Alan Linhares na Conferencia da Criança e do Adolescente
Prefeito Alan Linhares na Conferencia da Criança e do Adolescente

A Prefeitura de Bacabeira, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, promoveu, no último dia 2, a III Conferência Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente. O evento, realizado no salão da paróquia do município, teve como objetivo discutir, elaborar e promover diretrizes para criação e implementação do Plano Decenal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Bacabeira.

As atividades foram desenvolvidas durante todo o dia. Durante a manhã foi realizada a abertura do evento e, em seguida, a mesa de diálogos, espaço utilizado para avaliar e compartilhar as ações e experiências do poder público municipal nas ações efetivas para crianças e adolescentes de Bacabeira. Participaram desta mesa o Conselho Tutelar e as Secretariais municipais de Educação, Saúde, Desenvolvimento Social e Esporte, Lazer e Cultura.

Durante a tarde foram realizados trabalhos em grupos, onde os participantes discutiram propostas, segundo eixos temáticos. As discussões foram apresentadas e validadas na plenária final e sua culminância resultou na eleição dos delegados municipais que representarão o município de Bacabeira na Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, que será realizada de 21 a 23 de outubro.

Para a secretária de Desenvolvimento Social do município, Jacilene Correa, o encontro foi muito produtivo. “Sem dúvida, o município ganhou muito em abraçar este evento, pois os eixos abordados foram tratados com muita desenvoltura e houve engajamento dos participantes”, disse a secretária.

O prefeito Alan Linhares participou da abertura da conferência e reforçou a importância do evento. “Esta conferência é extremamente importante para a nossa sociedade, pois proporciona a discussão de políticas públicas voltadas para estes que representam o futuro do nosso país, disse Alan Linhares.

Léo Cunha participa da 24ª Cavalgada de Imperatriz

Léo Cunha (PSC) cumpriu agenda nesse final de semana na Região Tocantina
Léo Cunha (PSC) cumpriu agenda nesse final de semana na Região Tocantina

O deputado estadual Léo Cunha (PSC) cumpriu agenda nesse final de semana na Região Tocantina. O roteiro incluiu diversas atividades na cidade de Imperatriz.

No sábado (27) pela manhã, Léo Cunha participou da tradicional Cavalgada de Imperatriz, evento que marca a abertura da Exposição Agropecuária de Imperatriz (Expoimp).

Na sua vigésima quarta edição, o evento reuniu mais uma vez, milhares de participantes. O desfile dos cavaleiros e amazonas percorreu as principais ruas e avenidas da cidade.

Léo Cunha esteve acompanhado da subsecretária de Saúde do Maranhão, Rosângela Curado; do deputado estadual Zé Inácio (PT); do prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira; do presidente do Sindicato Rural, Renato Pereira; entre outras personalidades.

“Sempre um prazer poder participar dessa festa, que mostra a força de Imperatriz. É um momento de confraternização entre o homem do campo e da cidade. É um dia festivo e muita gente vem de outros lugares acompanhar esse acontecimento. Estão todos de parabéns”, destacou o deputado Léo Cunha.

Mais Querido –  Na noite de sexta-feira (3), o deputado Léo Cunha prestigiou a apresentação do novo uniforme do time do Cavalo de Aço. O evento ocorreu no Imperial Shopping e reuniu vários torcedores, convidados, cronistas esportivos e a imprensa.

Foram apresentados os uniformes principal e reserva, além das camisas do torcedor. O primeiro conjunto é todo vermelho, com detalhes em branco. Já o segundo uniforme, é branco com detalhes em vermelho.

Ex-presidente da equipe (época em que o Cavalo de Aço participou pela primeira vez da Copa do Brasil e esteve por duas vezes na competição), Léo Cunha foi bastante aplaudido pela torcida durante a sua participação no evento e voltou a reafirmar sua disposição em continuar colaborando com a equipe que este ano vai disputar o Brasileiro Série D. 

Wellington apresenta proposições em defesa de Paraibano

Deputado Wellington do Curso (PPS)
Deputado Wellington do Curso (PPS)

Na tarde desta segunda-feira (6), o deputado estadual Wellington do Curso (PPS) apresentou proposições em defesa de Paraibano, município localizado a 518 km da capital maranhense.

O parlamentar encaminhou expediente ao governador do Estado e ao diretor da Caema, Davi Telles, solicitando que adotassem medidas no sentido de se concretizar o restabelecimento pleno do fornecimento de água, além de solicitar a construção do escritório da Caema no município. Wellington cobrou, também, a reforma e instalação de uma agência de atendimento do INSS em Paraibano.

Na ocasião, o deputado ressaltou a importância desses serviços, além de frisar as consequências da não prestação dos serviços básicos.

“Paraibano, município do Maranhão, ainda enfrenta diversas problemáticas. Almejando atenuar tal cenário, faz-se necessária a implantação do posto da agência de atendimento do INSS, que se encontra em estado de abandono há mais de 25

Prédio do INSS construído há mais de 25 anos e nunca funcionou. Foto: Hilton Franco
Prédio do INSS construído há mais de 25 anos e nunca funcionou. Foto: Hilton Franco

anos. Por conta do não funcionamento desta agência do INSS, os paraibanenses que necessitam se aposentar têm que se dirigir à agência do INSS no município de Floriano-PI ou Presidente Dutra-MA, distante 128 Km e 151 Km de Paraibano”, destaca Wellington.

O deputado ressaltou, ainda, o restabelecimento pleno do fornecimento de água e a construção do escritório da Caema.

Prédio da CAEMA em ruínas desde junho de 2013. Foto: Hilton Franco
Prédio da CAEMA em ruínas desde junho de 2013. Foto: Hilton Franco

“Segundo informações da Caema, o município possui nove poços artesianos, sendo que alguns estão com a vazão comprometida, não suprindo assim a necessidade da população. Por conta disso, a falta de água é rotina nas casas dos paraibanenses, acarretando inúmeros transtornos no dia a dia. Ressalta-se aqui, não a simples instalação de um posto do INSS ou implantação de escritório da CAEMA, mas a concessão de serviços básicos e fundamentais a todo cidadão”, declarou

Rogério Cafeteira critica superfaturamento na construção do hospital de Rosário

Deputado Rogério Cafeteira
Deputado Rogério Cafeteira

O líder do governo na Assembleia Legislativa e deputado Rogério Cafeteira (PSC), usou a tribuna nesta quarta-feira (1°), para criticar a nota de esclarecimento do ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad sobre obra fantasma do hospital de Rosário.

Ao ler a nota, Rogério destacou o que Ricardo Murad apontou justificativas de pagamentos para algumas etapas da obra. O parlamentar seguiu lendo o documento onde relata-se que foram realizadas quatro medições na obra do Hospital Regional de Rosário que resultaram no pagamento total de quatro milhões, oitocentos e cinquenta e seis mil, seiscentos e noventa e seis reais e dez centavos (R$ 4.856.696,10), em valores totais faturados em dois grupos de serviços, cuja efetiva execução pode ser facilmente comprovada numa simples visita à obra e aos registros da Secretaria de Estado de Saúde.

Ele lembrou que em fotos estampadas em vários veículos da imprensa local não é possível ver qualquer vestígio de início de obras e fala ainda que dentre tantas falhas, houve uma escolha inadequada do terreno para a obra, já que houve a execução de 109.606 metros cúbicos de aterro compactados, inclusive escavações em jazidas. E falou ainda ser um absurdo o pagamento de $ 5,3 milhões apenas em aterro e terraplanagem.

Rogério Cafeteira disse também que a obra não foi paralisada em janeiro deste ano, conforme indica a nota, mas sim, em outubro de 2014, ainda no governo no qual Ricardo Murad era secretário e responsável pela obra. “Infelizmente, se constata hoje que foram feitos não apenas esse pagamento da Secretaria de Saúde, mas vários outros. Para ter uma ideia, o BNDES cobrava pagamentos irregulares do governo, que só agora conseguiu contornar essa situação com R$ 243 milhões em pagamentos irregulares”, ressaltou.

Para finalizar, o deputado pontuou que quando Ricardo Murad mencionou a gerenciadora do BNDES, não era ela que fazia a fiscalização nas obras dos hospitais da Secretaria de Saúde, e sim a Proeng. E realçou ainda um agravante, pois o ex-secretário foi avisado pela gerenciadora que o pagamento não seria homologado pelo BNDES, mas, ainda assim, foi feito o pagamento absurdo para Iris Engenharia. “Então, senhoras deputadas e senhores deputados, não apenas a declaração não condiz com a verdade, e nós temos que avançar para que fique bem claro, não foi só a obra do hospital de Rosário que paralisou no ano passado e todas que foram paralisadas estão voltando agora devido à irregularidade no processamento do contrato junto ao BNDES. Pagamentos irregulares fizeram com que todas as obras no Estado do Maranhão, cuja fonte de pagamento era o financiamento do BNDES, fossem paralisadas desde ano passado”.