WhatsApp fica instável no último dia do ano

Usuários do WhatsApp reclamam na tarde desta quinta-feira (31) que o serviço apresenta instabilidade. No Twitter, diversas postagens relatam que não é possível utilizar o aplicativo. Na tarde desta quinta, o assunto “meu WhatsApp” estava entre os assuntos mais comentados do Brasil no Twitter. No mundo, a hashtag #WhatsApp também estava entre os Trending Topics do microblog.

“Entrar no Twitter me consolou em saber que meu WhatsApp não foi o único que parou de pegar”, disse uma internauta. “Whatsapp parou de funcionar, isso é 2015 mostrando que ainda pode ferrar com a gente mesmo nas últimas horas do ano”, disse outro. Outros usuários relatam que o serviço havia caído, mas voltou a funcionar em seguida. O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa do Facebook, que comprou o WhatsApp em 2015, e aguarda retorno da empresa sobre os relatos de falha no serviço.

Há também relatos de instabilidade do aplicativo em outros países. Na Índia, um porta-voz do  WhatsApp disse à agência Reuters: “algumas pessoas tiveram problemas acessando o WhatsApp por um curto período mais cedo hoje”. No Twitter, também é possível encontrar reclamações de usuários de outros países. “Alguém mais tendo problemas com o WhatsApp?”, escreveu uma internauta da Escócia. Outro internauta respondeu a ela que “o WhatsApp caiu”.

“E eu pensei que era a única que estava tendo problemas com o WhatsApp”, postou outra da Malásia. “Alguém mais está tendo problemas para acessar seu WhatsApp?”, perguntou uma internauta do Reino Unido.

Zuckerberg festeja desbloqueio do WhatsApp

O presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, agradeceu à comunidade brasileira ao comemorar o desbloqueio do WhatsApp no Brasil, aplicativo adquirido pela rede social por US$ 22 bilhões em outubro de 2014. O aplicativo passou mais de 12 horas bloqueado no país, desde 0h desta quinta-feira (17), devido a uma decisão judicial de primeira instância em São Bernardo do Campo (SP). Após o aplicativo de mensagem passar mais de 12 horas bloqueado no país, as operadoras foram liberadas para restabelecer o acesso ao serviço, o que aconteceu por volta de 12h50.

“WhatsApp está de volta no Brasil! Suas vozes foram ouvidas e o bloqueio foi suspenso. Obrigado à nossa comunidade pela ajuda para resolver isso!”, escreveu o executivo em sua página na rede social, declarou Zuckerberg. Assim que o bloqueio começou, a partir das 0h desta quinta-feira (17), o empresário tinha dito que “este é um dia triste para o país”. “Até hoje o Brasil tem sido um importante aliado na criação de uma internet aberta. Os brasileiros estão sempre entre os mais apaixonados em compartilhar suas vozes online“, afirmou o executivo.

Convocação – “Estou chocado pelo fato de nossos esforços para proteger dados pessoais resultarem na punição de todos os usuários brasileiros do WhatsApp, pela decisão extrema de um único juiz. Esperamos que a justiça brasileira reverta rapidamente essa decisão. Se você é brasileiro, por favor faça sua voz ser ouvida e ajude seu governo a refletir a vontade do povo”, conclamou. O fim do bloqueio foi decidido pelo desembargador Xavier de Souza, da 11ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo. O magistrado concedeu liminar para que as operadoras de telefonia móvel reativasse o acesso ao serviço de bate-papo. “Em face dos princípios constitucionais, não se mostra razoável que milhões de usuários sejam afetados em decorrência da inércia da empresa [em fornecer informações à Justiça]“, escreveu Souza.

Investigação – O bloqueio do WhatsApp tinha sido determinado por uma juíza de São Bernardo do Campo, região do ABC paulista, em ação que corre em segredo de Justiça. Segundo o processo, a empresa descumpriu pedidos judiciais para fornecer informações para uma investigação em curso. “É possível, sempre respeitada a convicção da autoridade apontada como coatora, a elevação do valor da multa a patamar suficiente para inibir eventual resistência da impetrante”, registrou ainda o desembargador. Antes do desbloqueio, o Facebook enviou mensagens aos celulares dos usuários: “Estamos trabalhando para restaurar o WhatsApp. Enquanto isso, use o Messenger”.

Zuckerberg lamenta bloqueio do WhatsApp

Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, usou a rede social para lamentar o bloqueio do aplicativo WhatsApp no Brasil, desde as 0h desta quinta-feira.  Na publicação, ele disse que a rede social está “trabalhando duro para reverter essa situação” e que hoje “é um dia triste para o país”, já que o Brasil sempre foi um bom aliado para a criação da internet. 

Zuckerberg disse que está chocado que os esforços em proteger informações pessoais “poderiam resultar na punição de todos os usuários brasileiros do WhatsApp pela decisão extrema de um único juiz”. Por fim, o fundador do Facebook, atual dono do WhatsApp, pediu para o povo brasileiro fazer “sua voz ser ouvida” e ajudar o governo a refletir a vontade de todos.

O criador do WhatsApp também usou as redes sociais para lamentar o ocorrido. Jan Koum disse que está decepcionado com a decisão. “É ver o Brasil se isolar do resto do mundo”, escreveu no Facebook.

Justiça determina bloqueio do WhatsApp

 A Justiça de São Paulo determinou que o WhatsApp seja tirado do ar. A informação foi publicada pelo jornal Folha de S. Paulo. A decisão passa a valer a partir de 0h desta quinta-feira, dia 17 de dezembro, e deve durar 48 horas. O SindiTelebrasil (Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal) informou ao jornal que a determinação judicial será cumprida.

A decisão prevê multa às operadoras caso elas não cumpram a decisão de suspensão. O autor da ação não foi revelado. O presidente da Vivo, Amos Genish, já chamou o WhatsApp de “operadora pirata”. O app se encaixa na categoria de serviços OTT, que funcionam sobre números de operadoras. As empresas precisam pagar taxas à Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), enquanto companhias como o WhatsApp não pagam.

A Vivo chegou até mesmo a lançar um aplicativo próprio de mensagens via internetchamado Tu Go. Em setembro deste ano, o Sinditelebrasil emitiu uma nota para anunciar que iniciava uma “discussão profunda sobre a revolução digital que afeta de forma significativa diversos setores econômicos”.  

Na visão da entidade, um serviço como o WhatsApp “pode colocar em risco o crescimento da infraestrutura, o emprego do brasileiro, a arrecadação nos níveis municipal, estadual e federal e a própria sustentabilidade do setor”. Não é a primeira vez que a justiça brasileira determina um bloqueio ao WhatsApp. Em fevereiro deste ano, um caso similar aconteceu no Piauí, mas a decisão foi derrubada.

O WhatsApp é o aplicativo mais usado pelos brasileiros. Uma pesquisa do Conecta, plataforma web do IBOPE Inteligência, indica que 93% dos donos de smartphones utilizam o app. O segundo mais usado é o Facebook, com 79%, seguido pela YouTube, com 60%.