Um ano de desgoverno de Luciene Costa em Bom Lugar

No último dia 01 de janeiro, completou-se um ano de Luciene à frente da Prefeitura de Bom Lugar, e parece que a aposta de Sérgio Miranda para o suceder na cidade não foi lá a melhor escolha. Para quem não lembra, Sérgio deixou de apoiar a professora Marilene (que era do seu grupo político) para apoiar Luciene (esposa do seu maior adversário, Rogério Costa) alegando que esta seria a melhor opção para o comando do executivo local, mas não é isso que vem ocorrendo.

Neste primeiro ano de Luciene no comando da Prefeitura de Bom Lugar, inúmeros foram os casos de desgoverno que a população sofreu e continua sofrendo, problemas que vão desde atrasos salariais ao caos na saúde. Vale ressaltar, que houve inclusive, manifestação de servidores em frente a sede do governo municipal, revindicando direitos da categoria, sobretudo, o pagamento de salários atrasados.

O município de 14.823 habitantes, segundo o último censo, não tem um único hospital e muito menos dispõe de ambulâncias para o transporte de pacientes para outros municípios. As estradas vicinais, que interligam os povoados da zona rural, estão em total estado de abandono, e por essa razão, algumas estão quase que intrafegáveis, embora que, em 2017, o município tenha recebido R$ 917.330,70 em convênios com a Caixa Econômica Federal, apenas para recuperação de estradas, segundo dados do portal da transparência.

Em 365 dias do atual governo, não houve qualquer investimento em melhorias para a população, e as promessas de campanhas foram todas esquecidas ou ocultadas pelas novas promessas do agora pré-candidato a deputado estadual Rogério Costa (esposo de Luciene), que, apesar de todos os fatos acima narradas, ainda tem total apoio de Sérgio Miranda e da atual vice-prefeita irmã Rosinha. Mais eles, óbvio, devem ter um generoso motivo para continuarem apoiando a gestora.