“Suicídio ou homicídio”, diz legista sobre morte do operador de esquema da saúde do Maranhão

O médico Mariano de Castro Silva foi encontrado morto nesta quinta-feira (12), em seu apartamento, próximo ao Riverside, no bairro Ininga, zona leste de Teresina, onde cumpria prisão domiciliar. O médico havia sido preso na operação da Polícia Federal denominada de Sermão dos Peixes, deflagrada no Maranhão.

O coordenador do Instituto de Medicina Legal de Teresina (IML) e médico-legista, André Biondi Ferraz, contou que aparentemente o médico foi vítima de um tipo de asfixia, mas não se sabe ainda de qual tipo. “O corpo chegou na noite e foi examinado pelo médico-legista. E a causa morte aparentemente está por asfixia, mas ainda está sendo delineado. A asfixia pode ser suicídio ou homicídio, mas ainda não dá para a gente antecipar. O mais adequado é a gente aguardar o laudo do médico-perito”, explicou.

Prisão

Mariano foi preso por envolvimento em um esquema de desvio de recursos federais por meio de fraudes na contratação e pagamento de pessoal, contratos de gestão e termos de parceria firmados pelo Governo do Maranhão na área da saúde. Antes de ser preso, o médico era assessor especial da Rede de Assistência à Saúde da Secretaria de estado da Saúde do Maranhão.