Prefeitura participa de apresentação do pré-projeto de práticas agroecológicas

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), participou na manhã dessa sexta-feira (17), da apresentação do pré-projeto Práticas Agroecológicas. A apresentação foi feita pela Rede de Agroecologia e Produção Orgânica, voltada à intensificação das práticas de manejo sustentável. O projeto concorre à aprovação no Edital de Seleção Redes Ecoforte e projeto de Inclusão Socioprodutiva (PIS – 2018), da Fundação Banco do Brasil.

O objetivo é promover benefícios voltados para os agricultores familiares e assentados da reforma agrária, bem como as suas organizações econômicas, tais como empreendimentos rurais, cooperativas e associações. O Redes Ecoforte terá a Feirinha São Luís como um dos canais de escoamento da produção agrícola, onde também será trabalhada a finalização do selo de agroecologia, assim como as práticas de transição agroecológica.

Para o titular da Semapa, Ivaldo Rodrigues, o projeto vai contribuir para a autonomia dos grupos nas comunidades, com ênfase na cidadania e sustentabilidade. “Através desses projetos, vamos poder desenvolver processos interdisciplinares e continuados de capacitação sobre agroecologia e soberania alimentar e nutricional com os eixos transversais de empoderamento comunitário e empoderamento de mulheres e jovens, dando ainda continuidade à valorização das práticas agrícolas desenvolvidas na cidade, que são uma determinação do prefeito Edivaldo”, destacou o secretário.

INCLUSÃO

O projeto de Inclusão Socioprodutiva (PIS), tem como objetivo o apoio aos projetos de inclusão socioprodutiva e cuidado ambiental, por meio da realização de ações relacionadas à implementação, expansão ou aperfeiçoamento de atividades e empreendimentos, de acordo com os vetores de atuação da Fundação Banco do Brasil que são agroecologia, agroindústria, água, educação e resíduos sólidos.

O gerente de relacionamento da Prefeitura, Daniel Monteiro, garante que o projeto é de grande relevância. “Uma vez que a ação está dentro do escopo do projeto apresentado, fomentando a produção agroecológica, o beneficiamento e a comercialização, com ampliação de renda das comunidades, ficamos na torcida e empenho, para que possamos trazer parte desses recursos para São Luís”, explicou Daniel Monteiro.

REDE

São proponentes da Rede de Agroecologia e Produção Orgânica, o Instituto Florar e o Movimento Ensinando e Aprendendo (MEA), com participação das Associações de Produtores de Coquilho, Tajipuru, Coquilho e Cabral Miranda.

Para Carlos Lima, representante do Instituto Florar, a expectativa para aprovação do projeto nesse edital é positiva. “Estamos confiantes que, através desse projeto, poderemos implantar Unidades de Referência Agroecológicas com as famílias, gestores públicos e demais atores sociais envolvidos, como espaço para a promoção da gestão participativa do planejamento e desenvolvimento urbano e rural sustentável no município”, disse Carlos Lima.

Participaram ainda da apresentação do pré-projeto a superintendente de Produção da Semapa, Daniela Máximo; o superintendente de Defesa e Inspeção Sanitária Vegetal e Animal da Semapa, Francisco Soares; a coordenadora geral da Feirinha São Luís, Jovita Arruda; e equipe técnica da secretaria.

Deixe uma resposta