Jegue Folia e Grupo Lamparina animam o pré-carnaval da Feirinha neste domingo

A Feirinha São Luís que conquistou o publico em 2017, vai continuar por todo este ano de 2018. O projeto da Prefeitura de São Luís, executado pela Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa) agrega economia criativa com venda de produtos agrícolas, artesanato, gastronomia além de apresentações culturais no centro histórico, sempre aos domingos de 7hs ás 15hs, na Praça Benedito Leite.

A programação cultural ser recheada com atrações que remetem ao carnaval de rua de São Luís, durante todo o período pré-carnavalesco. A Feirinha São Luís que acontece neste domingo (04), os shows do Jegue Folia, Grupo Lamparina, Banda Sem Limites, Blocos Originais do Ritmo e Juarez e Banda do o tom da folia de Carnaval.

A Feirinha São Luís reúne 29 barracas para venda de produtos oriundos da agricultura familiar, 30 destinadas ao artesanato, 22 para alimentação e ainda 11 food trucks. O evento, que tem como um de seus objetivos fomentarem a economia criativa aos produtores da capital, mais um canal de escoamento da produção agrícola.

São José de Ribamar promove primeira prévia do carnaval

A Prefeitura de São José de Ribamar por meio da Secretaria Municipal de Turismo, Esporte, Lazer e Cultura (SEMTUR), realiza neste domingo (04), a primeira prévia para o carnaval 2018, que este ano apresenta como tema “São José de Ribamar na Passarela do Mundo”. O tema, aliás, faz alusão à homenagem feita pela escola paulistana Acadêmicos do Tatuapé, que este ano conta no Sambódromo a rica história do santo padroeiro do Maranhão.

E são eles, os legítimos representantes da agremiação campeã Acadêmicos do Tatuapé, que comandam a prévia deste domingo (04), que será realizada na Praça Ana Carolina, em frente ao Cais da cidade. A programação também conta com o reforço e talento da cantora Negra Jane, vinda direto de Goiânia, além da bateria forte da Escola Unidos de Ribamar, seguido dos blocos Xeirinho de Xeris, Os Especialista e Guerreiros.

O carnaval de São José de Ribamar será realizado oficialmente de 10 a 13 de fevereiro e vai contar com apresentações de cerca de 130 agremiações, genuinamente ribamarense, entre blocos organizados, afro, escolas de samba, bandas, artistas locais, dentre outros.

Circuitos da folia

Além da Sede e Vilas, os circuitos da folia ainda contam com outros seis endereços, Parque Vitória, Matinha, Mata Grande, Vila Sarney Filho, Turiúba, e Nova Terra.

A segurança tanto para a prévia quanto dos espaços oficiais da folia, será reforçada por homens da polícia militar, corpo de bombeiros além da Guarda Municipal e seguranças.

Lava-Pratos – A 72ª edição do Carnaval do Lava Pratos será realizada nos dias 17 e 18 de no Parque Municipal do Folclore Therezinha Jansen, na orla marítima da sede da cidade.

A expectativa é que mais de 100 mil foliões passem pela cidade para se despedir do período momesco e participar do primeiro Carnaval fora de época do país.

Gestão em Anajatuba começa dar sinais de superação da crise que assola o País

Diferentemente do que vem ocorrendo na grande maioria dos municípios maranhenses, que por conta da crise que assola o País vem enfrentando dificuldades para pagar em dia a folha dos funcionários, o comunicado divulgado ontem pelo prefeito de Anajatuba – Sydnei Pereira (PCdoB), evidencia que a gestão naquele município começa a dar sinais de superação.

No comunicado, a Prefeitura informou a antecipação para hoje (02), do pagamento do funcionalismo municipal(pensionista, aposentados e contratados) da área de educação, referente ao mês de janeiro, incluindo, ainda, o mês de dezembro, um terço de férias, diferença salarial e hora extra.

O prefeito não vem medido esforços para honrar com o compromisso assumido, propiciando uma melhora significativa na qualidade de vida dos seus conterrâneos. E para isso um conjunto de medidas está sendo adotada, e os resultados já são visíveis na gestão municipal.

Uma das grandes sacadas do prefeito, diz respeito às verbas para custear a folia de momo. Diferente da grande maioria dos gestores, Sydnei solicitou ao Executivo Estadual que a verba ao invés do Carnaval fosse aplicada em melhorias no município, garantindo, assim, a realização de obras na estrada do Afoga, no matadouro e ampliação da unidade de saúde local.

Muito embora meia dúzia de opositores ainda tente falsear a verdade, os resultados já são visíveis e o nível de satisfação do povo aumentou consideravelmente, com a qualidade do atendimento oferecido nas unidades médicas e de educação.

“Posso afirmar a cada cidadão de Anajatuba que as nossas dificuldades não tem sido poucas, no entanto, não temos medido esforços para alinhar o que ainda precisa ser alinhado, haja vista que as dificuldades, em razão do grave momento político que o País atravessa, mas a minha busca por recursos para serem aplicados na nossa cidade tem sido incansável. E espero melhorar cada vez mais a qualidade de vida do nosso povo”, finalizou o prefeito.

“A fiscalização é essencial para o Maranhão desenvolver”, diz deputado Wellington durante reunião com presidente do TCE

Na manhã desta sexta-feira (02), o deputado estadual progressista Wellington do Curso se reuniu com Caldas Furtado, presidente do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão. Defendendo a fiscalização independente, Wellington destacou a importância do papel que é desempenhado por todos os que zelam pela boa aplicação dos recursos públicos.

“Quando se aplica o recurso público da maneira correta, passa-se a ter, automaticamente, educação pública de qualidade, hospitais bons, mais segurança, entre outros. Daí a importância dos órgãos de controle. A fiscalização é essencial para o Maranhão desenvolver”, disse Wellington.

Ainda durante a reunião, Wellington destacou a recém Instrução do TCE, após representação do Ministério Público do Maranhão e Ministério Público de Contas, que passa a considerar como ilegítimas as festas realizadas em municípios que não pagam salários.

“A Instrução considera como ilegítimas as despesas custeadas com recursos públicos, para a realização de eventos festivos quando o município estiver em atraso com o pagamento dos servidores da folha, terceirizados, temporários e comissionados, ou em estado de emergência ou calamidade pública. O TCE, Ministério Público e o Ministério Público de Contas, com tal postura, primam pelo zelo com o recurso público. Uma brilhante ideia que, inclusive, deve também ser aplicada ao Estado e não apenas ao município. O zelo com aquilo que é público é algo crucial para o desenvolvimento do Maranhão”, afirmou o deputado Wellington.

Em Caxias, carnaval promete ser um dos melhores do Nordeste

A Prefeitura de Caxias, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Patrimônio Histórico, Esporte, Turismo e Juventude vai promover um dos melhores carnavais do Nordeste. O “Carnaval que a gente quer” apresenta uma série de atrações locais, regionais e de renome nacional em 2018.

O evento acontece entre os dias 9 e 13 de fevereiro na Avenida Alexandre Costa (circuito central) com mais de 20 bandas.

Cinco dias de festa, diversão e alegria serão vividos pelos foliões com muita segurança, como afirmou o prefeito de Caxias, Fábio Gentil, que ressaltou o compromisso de realizar o melhor carnaval da história da cidade mesmo com as condições adversas da economia nacional. “Caxias terá o melhor carnaval do estado. As surpresas estão por vir. Nós teremos carnaval na zona urbana, no Centro Histórico, na Veneza e na zona rural. Vamos trabalhar o carnaval como um todo, dando a segurança para o pai e a mãe de que seu filho irá brincar com segurança. Será o melhor carnaval da história de Caxias”, disse o gestor municipal.

Dentre as atrações, estão confirmadas as bandas: Cheiro de Amor, Companhia do Calypso, Matheus Fernandes, Patchanka e Babado Novo. O “Carnaval que a gente quer” também contará com a Jardineira, um ônibus personalizado que leva marchinhas de carnaval através das bandas Frevo e Folia, Pierrot 100, Colombina e Banda Bandida em eventos específicos e tradicionais como o Canta Legal Folia.

Câmara de São Luís envia para sanção projeto que cria o Código de Limpeza Urbana

A Diretoria Legislativa da Câmara Municipal de São Luís (CMSL) divulgou recentemente um relatório demonstrativo do ano de 2017, com 2.524 proposições aprovadas no período entre requerimentos, indicações, moções, projetos de lei, projetos de resolução, projetos de decreto legislativo, emendas a Lei Orgânica do Município e outras ações. Entre as diversas propostas de autoria do Poder Executivo, encaminhadas para sanção do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), consta o projeto de lei 185/17 que institui o Código de Limpeza Urbana e Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos do Município de São Luís.

A nova norma além de organizar o sistema de limpeza, atualiza as regras às necessidades atuais e às exigências da Lei Federal 12.305, de agosto de 2010, que trata sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Além das punições mais severas, o dispositivo também trata do planejamento de ações para educação e sensibilização socioambiental.

De acordo com texto, a gestão integrada de resíduos sólidos será composta pelos seguintes instrumentos: o Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – PMGIRS;  o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS, elaborado por cada gerador responsável; os dispositivos legais e técnicos aplicáveis aos resíduos sólidos; a Avaliação de Impacto Ambientais (AIA); o licenciamento ambiental, o monitoramento e a fiscalização; o Fundo Municipal de Limpeza Urbana (FMLU); o Sistema Municipal de Informações Ambientais; o Cadastro de Geradores de Resíduos Especiais e o Cadastro dos Grandes Geradores de Resíduos; educação ambiental, incentivos fiscais, dentre outros.

INFRAÇÕES E MULTAS

O novo Código de Limpeza Urbana que deve entrar em vigor, após sanção do prefeito Edivaldo Júnior, também vai punir quem descartar lixo de forma irregular.  Ou seja, se você costuma comer um lanche e descartar a embalagem no chão, ou depositar a caliça da obra em um terreno baldio, além de demonstrar falta de educação, estará cometendo infrações passíveis de multa que varia de R$ 1.000 (mil) a R$ 1.000.000,00 (um milhão) de reais, que são infrações classificadas em gravíssimas, graves, medias e leves.

O projeto de lei é amplo. Ele prevê nos seus 71 artigos, atribuições em diferentes papéis para cada setor com o objetivo de redução da geração de resíduos sólidos, redução do desperdício de materiais, redução da poluição, redução dos danos ambientais, estimulo ao desenvolvimento de mercados, produção e consumo de produtos derivados de matérias reutilizados ou reciclados. A não observância ao disposto em alguns dos artigos constitui infração.

Valores previstos, conforme a gravidade da infração:

GRAVÍSSIMA
R$ 1 mil a R$ 1 milhão

– Descarregar ou despejar água servida, óleo, gordura, graxa, tinta, liquido de tinturaria, nata de cal ou de cimento, ou qualquer substancia toxica ou perigosa em vias e logradouros públicos.

GRAVE
R$ 1 mil a R$ 500 mil

– Depositar ou lançar detritos, animais mortos, mobiliário usado, folhagens, material de podações, terra, abandonar veículos em vias públicos ou resíduos de limpeza de fossas ou poços absorventes, óleo, gordura, graxa, tintas e quaisquer outros resíduos e, área ou terreno livre, assim como ao longo ou no leito de rios, canais, córregos, lagos, bueiros e pontos de sistema de águas pluviais.

MÉDIA
R$ 1 mil a R$ 100 mil

– Perturbar, prejudicar ou impedir a execução de varrição e de outros serviços de limpeza públicas; deixar os executores de obras ou serviços em logradouros públicos, de manter os locais de trabalho permanentes limpos; produzir poeira ou borrifar líquidos que incomodem os vizinhos ou transeuntes quando da construção, demolição, reforma, pintura, ou limpeza das fachadas de edificações.

LEVE
R$ 1 mil a R$ 50 mil

– Expor, lançar ou depositar nos passeios, sarjetas, bocas-de-lobo, canteiros, jardins, áreas e logradouros públicos, quaisquer materiais e objetos, inclusive cartazes, faixas, placas e assemelhados; riscar, pinchar, escrever, borrar ou colar cartazes em arvores de logradouros públicos, grades, parapeitos, viadutos, pontes, canais e tuneis, postes de iluminação pública, placas de trânsito, hidrantes, telefones públicos, caixas de correio, de alarme de incêndio e de coleta de resíduos, guias de calçamento, passeios e revestimentos de logradouros públicos, escadarias de edifícios públicos ou particulares, estátuas, monumentos, colunas, paredes, muros, tapumes, edifícios públicos ou particulares e outros equipamentos urbanos.

Wellington solicita ao Governo do Estado que amplie idade máxima para beneficiar jovens no Programa Cidadão do Mundo

Atendendo solicitação de jovens maranhenses, o deputado estadual progressista Wellington do Curso apresentou indicação e ofício solicitando ao governador Flávio Dino (PC do B) que amplie a idade limite de 24 para 26 anos como requisito para participação dos jovens no Programa Cidadão do Mundo, a fim de atender aqueles que estejam concluindo curso superior.

Wellington foi o relator da proposta que gerou a Lei Nº 10.286, de 21 de julho de 2015, que criou Programa Estadual “Cidadão do Mundo”, concedendo parecer favorável na época.

“Sabe-se que poucos alunos têm a oportunidade de ingressar tão cedo na faculdade, e que o envelhecimento implica naturalmente na diminuição de oportunidades e formação de obstáculos e barreiras, nos âmbitos social, acadêmico e profissional. Outras modalidades, como o ‘Estágio Nacional’ e o ‘Estágio Internacional’, todos no âmbito do programa “Cidadão do Mundo”, por exemplo, não possuem a correspondente restrição de idade, sendo a exigência presente tão somente para modalidade de intercâmbio linguístico. Por isso, solicito a modificação da faixa de abrangência de 18 a 24 anos para de 18 a 26 anos completos, no momento da inscrição. Tal alteração será algo positivo e trará consigo benefícios para toda a comunidade, ao oportunizar a participação no projeto para uma quantidade maior de estudantes maranhenses e trazendo maior adequação do programa à realidade social do Estado”, disse Wellington.

Ema nexo ao ofício, o deputado Wellington fez constar o anteprojeto que trata de proposta de alteração da Lei que cria o Programa Cidadão do mundo, cujo Art. 1º dispõe sobre o requisito etário exigido para participação. O caput do citado artigo apresenta intervalo exíguo para participação, limitando para a faixa de 18 (dezoito) a 24 (vinte e quatro) anos. Com a mudança, a idade limite passará a ser de 26 anos de idade.

Equipe do Coren-MA encontra irregularidades em Hospital de Presidente Sarney

O secretário do Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren-MA), Jamson Oliveira e a equipe do departamento de fiscalização do conselho, visitaram na última quinta-feira (01), o Hospital Municipal Bom Jesus, no município de Presidente Sarney.

Durante a visita, foram encontradas algumas irregularidades, entre elas a quantidade insuficiente de profissionais de enfermagem na instituição, técnicos de enfermagem realizando partos diariamente e enfermeiros realizando sutura (conhecida popularmente como pontos cirúrgicos), um tipo de ligação usada apenas por médicos.

“O conselho recebeu denúncias dessas irregularidades, e dando continuidade ao programa Coren na Estrada, nossa equipe constatou os problemas denunciados. Demos os devidos prazos legais para que o município possa se adequar e sanar as irregularidades”, conclui o secretário Jamson Oliveira.

Hildo Rocha volta a cobrar construção do Centro de Hemodiálise em Chapadinha

No último final de semana o deputado federal Hildo Rocha (MDB) voltou à cidade de Chapadinha onde, além de se reunir com lideranças e conceder entrevistas, vistoriou as intermináveis obras de construção do Centro de Hemodiálise e do Hospital Regional. O parlamentar constatou que a construção do Centro de Hemodiálise encontra-se totalmente abandonada.

Na mesma data em que Rocha voltou a cobrar o reinício da obra, foi registrada a quarta morte de pacientes que são forçados a enfrentarem estafante deslocamento para São Luís em busca de atendimento nos centros de hemodiálise da capital.

“Inconcebível a não conclusão dessa unidade de saúde. Toda a população desta região, que precisa fazer sessões de dialise, continua sofrendo. Parece que esse governo não gosta de gente, pois os pacientes continuam indo para Teresina e São Luís tendo que enfrentar cansativas viagens pelo menos duas vezes por semana. Essas pessoas já poderiam estar fazendo o tratamento onde moram, ou, pelo menos, mais próximo de onde residem”, lamentou Hildo Rocha. 

Recursos em caixa

O deputado destacou que a governadora Roseana Sarney conseguiu o terreno com a prefeita da época, Belezinha; conseguiu os recursos financeiros, junto ao BNDES, para construir esse e outros centros de hemodiálises; elaborou o projeto e fez a terraplanagem do local onde já deveria estar funcionando a unidade de saúde.

“Só falta de apreço às pessoas justifica esse descaso. O terreno já totalmente preparado, com água, com energia elétrica e o dinheiro na conta pra fazer esse Centro de Hemodiálise. Mas, a obra está parada há três anos. Essa omissão do governador causa prejuízo para os contribuintes, penaliza a população que precisa de atendimento na rede pública de saúde”, assinalou Hildo Rocha.

Jonas Magno confirma pré-candidatura a deputado estadual

O vereador do município de Rosário (cidade a 60 quilômetros de São Luís), Jonas Magno (PDT) confirmou a nossa redação deste blog que recebeu convite oficial de lideranças do partido para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa do Maranhão, nas eleições deste ano.

Eleito vereador com 789 votos e ocupando a terceira colocação entre os vereadores mais votados nas eleições gerais de 2016, Jonas vem se destacando na política local e agora está sendo cotado para disputar uma vaga no legislativo estadual.

“Com o pensamento voltado de acordo com anseio da maioria de nossa população em querer o novo o limpo, fiquei de analisar com muito carinho o convite. Estou ouvindo minha família minha base, bem como toda população sobre a ideia, embora ser debutante como vereador, tentar a assembleia”. comentou Jonas Magno ao titular do blog.

Promovendo uma política, seria e responsável, o vereador tem conquistado apoio de diversas classes sociais, principalmente a classe empresarial que não tem medido esforços em colaborar com ações que beneficiam diretamente os cidadãos maranhenses.