Juiz determina suspensão do WhatsApp no Brasil

Um juiz do Tribunal de Justiça do Piauí determinou que as operadoras nacionais (Vivo, TIM, Claro e Oi) suspendam o WhatsApp em todo o Brasil até que a empresa criadora do aplicativo cumpra uma ordem judicial anterior. O juiz Luiz Moura Correia, da Central de Inquérito da Comarca de Teresina, não informa o motivo da suspensão já que a ação anterior que envolve o WhatsApp corre em segredo de Justiça.

Mas a Secretaria estadual de Segurança Pública do Piauí comunicou que a suspensão foi determinada porque a empresa fornecedora do aplicativo de mensagens não tirou de circulação imagens de crianças e adolescentes expostas sexualmente, objeto de investigação da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente de Teresina, capital do PI. O órgão informa que os processos que levaram à determinação começaram em 2013.

A decisão foi tomada em 11 de fevereiro e, segundo a secretaria, as empresas de telefonia foram comunicadas a respeito em 19 de fevereiro, por meio de um ofício do delegado Éverton Ferreira de Almeida Férrer, do Núcleo de Inteligência da secretaria. O prazo para a suspensão é de 24 horas e atinge os domínios whatsapp.net e whatsapp.com. As companhias estariam recorrendo da decisão.

Em um trecho da decisão, o juiz detalhou: “Suspenda temporariamente até o cumprimento da ordem judicial , em todo território nacional, em caráter de urgência no prazo de 24 horas após o recebimento, o acesso através dos serviços da empresa aos domínios whatsapp.net e whatsapp.com, bem como todos os seus subdomínios e todos os outros domínios que contenham whatsapp.net e whatsapp.com em seus nomes e ainda todos números de IP (Internet Protocol) vinculados aos domínios já acima citados”, determina o juiz Luiz Moura Correia.

Ele diz, em sua sentença, que as empresas de telefonia devem suspender o tráfego de informações, de coleta, armazenamento, guarda e tratamento de registros de dados pessoais ou de comunicações entre usuários do serviço e servidores do aplicativo.

O mandado judicial foi encaminhado aos provedores de infraestrutura (Backbones) e aos provedores de conexão (operadoras de telefonia móvel) entre outras. “Cabe esclarecer que todas as representações e decisões judiciais foram tomadas com base na lei que instituiu e disciplinou o Marco Civil da Internet”, afirma, em nota a Secretaria de Segurança do Piauí.

Parte da decisão judicial diz: “Suspensa temporariamente até o cumprimento da ordem judicial, em todo território nacional, em caráter de urgência no prazo de 24 horas após o recebimento, o acesso através dos serviços da empresa aos domínios whatsapp.netwhatsapp.com, bem como todos os seus subdomínios e todos os outros domínios que contenham whatsapp.net ewhatsapp.com em seus nomes e ainda todos números de IP (Internet Protocol) vinculados aos domínios já acima citados”.

Procurado, o WhatsApp ainda não se manifestou sobre o caso. O Facebook, dono do aplicativo desde o ano passado, informa que as operações das duas companhias são independentes e que não vai se posicionar sobre a questão.

Para a especialista em direito digital, Gisele Arantes, a decisão está dentro da lei, mas é radical. “O ideal neste caso é punir os responsáveis de outras formas, porque hoje o serviço faz parte da vida das pessoas. O Marco Civil da Internet permite que a empresa responsável seja punida com multa, por exemplo”, explica Gisele.

O juiz Luis Moura Correia – que expediu a decisão -, o coordenador do Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Piauí, Alessandro Barreto, e representantes do WhatsApp no Brasil estiveram em reunião no Piauí nesta quarta-feira (25/2) para conversar a respeito do caso. A empresa alega que não responde as leis brasileiras, já que os provedores ficam em outro país.

Em 11 de fevereiro foi dado um prazo de 24 horas para que os responsáveis do WhatsApp bloqueassem o serviço. Porém não houve o cumprimento. A Secretaria de Segurança Pública do Piauí afirma que as empresas de telefonia móvel também receberam o mandado judicial para impossibilitar o acesso ao aplicativo por meio de celulares e tablets. Mas, as operadoras alegam dificuldade técnica na ação.

Segundo o jornal O Globo, a Vivo foi comunicada da decisão no último dia 19, e já entrou com recurso para não ter de cumpri-la.

O WhatsApp tem 700 milhões de usuários em todo o mundo. Fundada em 2009, a companhia foi adquirida ano passado pelo Facebook por US$ 22 bilhões.

Sem representação

O WhatsApp, assim como Snapchat, Tinder e Secret, não possuem representação no Brasil, o que dificulta o acesso por meio jurídico dos seus usuários ou reclamantes. No caso específico do WhatsApp, uma saída dos tribunais tem sido a de destinar a ação ao Facebook, que concluiu a aquisição da empresa criadora do aplicativo (por US$ 22 bilhões) em meados do ano passado.

Em agosto do ano passado, uma liminar determinou a suspensão do aplicativo Secret no Brasilacatando pedido de promotor que acreditava que o app feria a proibição ao anonimato, presente na Constituição. A Justiça posteriormente voltou atrás e liberou o aplicativo, após entender que era possível obter os dados dos usuários através da empresa responsável.

Para o jurista e diretor do instituto de pesquisas InternetLab, Dennys Antonialli, o caso do Secret é simbólico. “Ele ilustra o poder máximo do Artigo 11 (do Marco Civil da Internet), que é banir o serviço do Brasil. Aplicar uma multa ou constranger a empresa não adiantaria nada, porque ela não tem escritório aqui”, diz o pesquisador. (Com informações do O Globo)

Poços são perfurados para reforçar sistema de abastecimento d’água de São Luís

perfuração de poço

A Companhia Ambiental do Maranhão (Caema) iniciou a perfuração de poços artesianos para reforçar o abastecimento de água nos bairros da região central de São Luís. Ao todo serão perfurados seis poços tubulares com profundidade média de 120 metros. No Bairro de Fátima, que terá um poço com vazão de 20m³/h (metros cúbicos por hora), a obra já está em andamento na praça ao lado da Igreja Matriz.

A previsão é que o poço do Bairro de Fátima e mais outro poço que ficará no Parque do Bom Menino comecem a operar em abril. A adoção de medidas imediatas para regularizar o abastecimento em São Luís e nos municípios atendidos pela Caema é um dos compromissos assumidos pelo governador Flávio Dino.

O diretor-presidente da Caema, Davi Telles, explica que a perfuração dos seis poços foi a melhor solução para regularizar o abastecimento em áreas abastecidas pelo sistema Sacavém/Batatã, no Centro de São Luís. “Por determinação do governador Flávio Dino, estamos investindo aproximadamente R$ 1,5 milhão nesse projeto. Todos os seis poços irão entrar em operação até o mês de junho”, afirmou.

Além do Bairro de Fátima e Parque Bom Menino, o projeto contempla mais quatro poços: no Monte Castelo, ao lado da Igreja e Santuário de Nossa Senhora da Conceição; outro no Centro, na Praça da Misericórdia; um na Vila Passos, na Praça Catulo da Paixão Cearense; e mais um no Outeiro da Cruz, na área do reservatório da Caema.

Deputado Adriano Sarney apresenta propostas de trabalho

O deputado estadual Adriano Sarney (PV-MA) ocupou a tribuna na manhã desta quarta-feira (25), durante o grande expediente, para apresentar as suas ideias e metas como parlamentar e a sua percepção do papel da Assembleia Legislativa na sociedade e com os demais poderes.

Na oportunidade, o parlamentar também prestou uma homenagem ao avô, José Sarney, e ao pai, Sarney Filho, que foi um jovem atuante enquanto deputado estadual, aos 21 anos, nos tempos das Diretas Já.

O deputado fez referência ao Parlamento como o coração da democracia e a síntese das forças e corrente políticas do Maranhão. “A Assembleia precisa ser um centro de debate. Na esteira da tendência observada no Congresso Nacional, não podemos ceder lugar à desenfreada e inconstitucional expansão do Poder Executivo em detrimento do Poder Legislativo. Não podemos ficar a reboque do Governo!”, enfatizou o parlamentar.

Durante seu pronunciamento, Adriano apontou três iniciativas consideradas fundamentais para o fortalecimento do papel da Assembleia Legislativa: o orçamento impositivo, que fortalece a autonomia do Legislativo e limita a barganha do Governo ao tornar as emendas parlamentares despesas obrigatórias; a imposição das Medidas Provisórias pelo Executivo e que são grandes entraves ao exercício da Democracia e a necessidade de uma agenda positiva própria para a Assembleia independente da agenda do Governo.

“Sou contra Medidas Provisórias, apesar de ter votado a favor das recentes encaminhadas pelo governador. Acredito que o Executivo deve deixar a função de legislar para os deputados. Temos que ter uma agenda própria, como a defesa da Refinaria de Bacabeira”, disse Adriano.

Adriano também defendeu a sua posição política de oposição ao governo do estado. “Vou cobrar e fiscalizar as ações do Executivo. Ficarei atento aos avanços e retrocessos da atual gestão com honestidade intelectual!”. O deputado foi enfático ao falar que não vai tolerar injustiças em relação aos governos anteriores.

“Nunca, nunca colocarei interesses políticos, eleitorais ou pessoais na frente dos interesses coletivos do povo do Maranhão. Mas, da mesma forma, sempre acusarei medidas do Executivo que fujam das boas práticas daquele Poder. Uso como exemplo a clara pretensão em acabar com o acervo do ex-presidente José Sarney que, independentemente de posição política, faz parte da história do Brasil e do Maranhão. Um museu não é feito para homenagear alguém, mas para guardar a memória para as futuras gerações. Dentro de 100 anos ninguém mais se importará com a querela política que vivemos hoje, mas existirá a necessidade de estudar e lembrar a passagem do primeiro maranhense como Presidente da República!”.

ATUAÇÃO 

Adriano se mostrou determinado para colocar em pratica seus conceitos de eficiência, gestão, sustentabilidade, meritocracia, inovação, resiliência e citou o papel do Estado como indutor do desenvolvimento, não o de protagonista.

“Não tenho a pretensão de mudar a política, mas de ajudar a mudar a vida das pessoas por meio dela. Não basta só mudar, é preciso evoluir! Vou atuar desta forma, sem retóricas vazias, entendendo o momento em que vivemos, com objetividade e resultados”, disse o deputado que agradeceu aos 50.000 maranhenses, em 187 municípios do Maranhão, que o elegeram.

“Procurarei desempenhar minhas funções dentro dos mais rígidos princípios morais, estudando os problemas, buscando soluções e colocando os conhecimentos que consegui adquirir ao longo da vida a serviço do povo. Não tenho a intenção de pautar a minha atuação olhando para o passado, mas visando o futuro. Serei militante do diálogo, das soluções consensuais e do entendimento para encontrar os melhores caminhos e soluções. A Democracia moderna não floresce com radicalismos, nem com ofensas e perseguições”, enfatizou o deputado, que usará sua experiência como administrador, empresário, economista e cidadão no Parlamento.

O deputado ressaltou as potencialidades naturais do Estado e o desenvolvimento das regiões maranhenses como uma bandeira dentro do parlamento. “Essas vocações econômicas devem ser estrategicamente exploradas. É necessário investir recursos, tempo, capital humano e intelectual para consolidar as cadeias produtivas de atividades para as quais temos aptidões e que sejam viáveis economicamente”.

Ele também abordou a construção dos diques e barragens na Baixada, ideia que surgiu durante a gestão do deputado Sarney Filho no Ministério do Meio Ambiente, inspirada em Guayaquil, no Equador, e que hoje é a região que mais se desenvolve naquele país, produzindo e industrializando pescados entre outros produtos para exportação em condições climáticas, geográficas e de solo similares as da Baixada Maranhense. Segundo o parlamentar o projeto encontra-se em fase de elaboração pelo Governo Federal e vai favorecer a pesca e a agricultura sustentável, além de mudar a economia daquela região, beneficiando mais de 260 mil pessoas em 11 municípios.

Para tanto, o deputado propôs a reativação da Frente Parlamentar em Defesa da Baixada e do Litoral Norte para acompanhar de perto essa importante obra para a região.

Ao falar de São Luís, Adriano destacou a necessidade de investimento na chamada indústria da Economia Criativa. “Esse mercado envolve a criação, a produção e a distribuição de produtos e serviços nas mais diversas áreas da arte e da inspiração como a culinária, a literatura, o cinema, a arquitetura. E por que não incentivar a indústria da Economia Criativa no Centro Histórico, em meio aos casarões?”.

O deputado fez referência a cidade de Recife, em Pernambuco, que implementou o projeto Porto Digital, que hoje emprega quase 7 mil pessoas, espalhadas em mais de 200 empresas de tecnologia instaladas no local e gerou um faturamento total em 2010 de incríveis R$ 1 bilhão. O Recife Antigo está revitalizado e preservado, destacou o parlamentar.

“São com essas ideias e o olhar para o futuro que farei parte nesta Casa das Comissões de Assuntos Econômicos, da qual presidirei, de Meio Ambiente e de Constituição e Justiça”, finalizou o deputado.

Prefeito Amaury acompanha técnicos em visita à obra do rio Pericumã

Ao lado do deputado Zé Inácio, Amaury fala os técnicos da Sinfra
Amaury fala os técnicos da Sinfra

Na manhã da última terça-feira, 24, foi realizada uma visita técnica dos engenheiros da Secretaria Estadual de Infraestrutura do Maranhão (SINFRA) juntamente com uma comissão de Prefeitos integrantes do Consórcio Conguarás, e ainda, o Deputado Estadual Zé Inácio, ao local onde será construída a ponte sobre o Rio Pericumã, que ligará os municípios de Bequimão e Central do Maranhão.

A obra corresponde uma economia significativa no tempo de viagem bem como os custos com passagem pra quem mora na região do Litoral Ocidental, que irá beneficiar cerca  de 200.000 pessoas em 10 municípios.

O presidente do Consorcio dos Conguarás, Amaury Almeida (Prefeito de Mirinzal), acompanhou a comissão técnica e frisou que não vai medir esforços em gestões junto ao Governo do Estado para a construção da ponte.

“Eu e os outros prefeitos que integram o Consórcio estamos unidos para a melhoria da estrada que dá acesso ao Rio Pericumã. Desde a semana passada começamos as articulações para trazer material e equipamentos para melhorar a via e assim acelerar o andamento dessa que será a maior obra da região”, declarou Amaury.

O Governador Flávio Dino garantiu, durante um discurso em 28/09/2014 no município de Guimarães, quando ainda estava em campanha eleitoral, que irá construir a Ponte do Rio Pericumã. “Eu posso garantir que aplicando bem o dinheiro do Maranhão é possível sim concluir o sonho dessa região”, citou o Governador.

Cabo Campos repudia reportagem sobre violência e anuncia projetos

O deputado Cabo Campos (PP), em pronunciamento feito na sessão desta quarta-feira (25), repudiou a reportagem exibida pela Rede Globo que, segundo ele, responsabilizou os policiais civis, militares, bombeiros como os grandes responsáveis pelo aumento da violência no país.

Ele enfatizou que a emissora classificou esses profissionais como bandidos, como pessoas que não têm coração, que maquiam o local do crime.  “Quando um bandido encontra uma pessoa que não é investida da autoridade da farda, ele vai contra aquilo que o cidadão de bem tem – aparelho celular ou outro objeto -, mas quando ele vai contra o policial vai contra aquilo que ele é”, afirmou o deputado Cabo Campos.

Também destacou que hoje pela manhã, em Brasília, o deputado federal Gonzaga liderou um ato de repúdio à emissora de TV. Na ocasião também foi feita uma homenagem aos policiais que tombaram durante o ano passado. O soldado Leite foi o representante do Maranhão neste ato. 

MEDIDA PROVISÓRIA

O deputado parabenizou os seus colegas de plenário pela aprovação da Medida Provisória, 185 que garante atendimento judiciário aos policiais, e comunicou que está dando entrada em cinco Indicações e um Projeto de Lei que beneficiam os seus companheiros de farda.

As indicações são: seguro de vida para os agentes de segurança pública; adicional de insalubridade; carga horária de 40 horas; aumento no valor do salário família para todos os servidores públicos estadual; a construção de um condomínio na Região Metropolitana para os policiais militares. Também vai apresentar uma emenda pedindo a alteração do Artigo 95, da Lei 6.503/1995, que dispõe sobre licenças sem vencimentos dos servidores públicos da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Estado do Maranhão.

 “Nós temos que dar condições necessárias para nossos policiais poderem trabalhar com segurança. Existem colegas nossos que estão morando do lado de alguém do Bonde dos 40 ou do PCM. Quem patrulhou as ruas comigo sabe que existem policiais secando a farda dentro de casa, com medo, refém, pois a sua moradia já não é mais condigna à profissão que ele exerce”, disse o deputado, afirmando que já conversou com um dos prefeitos da Região Metropolitana, para a doação de um terreno para que seja construído um condomínio para os policiais militares.

Em aparte, o deputado Júnior Verde (PRB), que também é policial civil, ressaltou a importância dessa medida em defesa dos servidores públicos. “Somos nós, policiais, que damos a vida pelo Estado que, às vezes, no momento em que mais precisávamos, éramos abandonados. Mas, hoje, com a aprovação dessa MP não tenho dúvida que qualquer cidadão – que tenha a sensibilidade – não vai de encontro a esta medida”, salientou Júnior Verde.

Hoje, para ter direito à licença sem vencimentos – concedida para tratar de interesse particular e autorização para afastamento total de serviço – o militar tem que passar dez anos de efetivo serviço, além disso, o prazo também não pode ser prorrogado. Mas, de acordo com a proposta do deputado Cabo Campos, esse prazo cai para dois anos e será concedida com o prejuízo da remuneração do ato do tempo de serviço, podendo durar até três anos, prorrogável mais uma vez por igual período.

AUMENTO SALARIAL

O deputado também lamentou que os militares tenham ficado de fora do reajuste salarial concedido pelo governo. “Infelizmente, o revanchismo e a mágoa nos deixou de fora do plano de cargos, carreiras e salários apresentado pelo então governo Roseana Sarney que concedeu 18% de reajuste aos funcionários públicos”, afirmou ele, frisando que há um clamor dos militares por um aumento também. “Ontem eu tive uma reunião com Felipe Camarão e, em breve, vamos reunir com as associações e as coisas vão avançar”, garantiu

Zé Inácio defende ponte sobre o Rio Pericumã

Nessa quarta-feira (25), durante a sessão na Assembleia Legislativa do Maranhão, Zé Inácio (PT) ocupou a tribuna para relatar que na manhã da última terça-feira (24) participou da vistoria que foi realizada a margem do Rio Pericumã que liga o município de Bequimão à Central do Maranhão.  

O parlamentar esteve acompanhado dos prefeitos do município de Bequimão José Martins e do prefeito de Mirinzal Amaury Almeida e de técnicos da empresa Progen contratada pela secretaria de Infraestrutura para realização da obra.“A população de dez municípios da região da baixada espera há 40 anos pela construção da ponte sobre o Rio Pericumã, que deve melhorar o acesso da capital maranhense aos municípios de Bequimão; Central do Maranhão; Mirinzal; Guimarães; Cedral; Cururupu; Porto Rico; Serrano do Maranhão; Bacuri e Apicum-Açu”, desabafa o deputado.

O Projeto –  O projeto da construção da ponte sobre o Rio Pericumã faz parte da plataforma do mandato do deputado que é natural da cidade de Bequimão e conhece muito bem a realidade da baixada. Com a construção da ponte de Bequimão para Central do Maranhão a distância será diminuída para 32 km apenas, até chegar a Ma 106 que dá acesso ao Cujupe, 100 km a menos de distância.  

“Coloca-se agora nas mãos do governador Flávio Dino a execução desse importante projeto que é a ponte sobre o Rio Pericumã ligando Bequimão a Central do Maranhão”. E quero fazer o registro do reconhecimento do governo Flávio Dino da importância desse projeto, inclusive registrando também aqui que o secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, já assinou a ordem de serviço que garante a realização do projeto técnico que vai dizer o custo dessa ponte sobre o Rio Pericumã”, comentou em tribuna o deputado.

Para o prefeito de Bequimão José Martins, a estrada e a ponte irão reacender o comércio do município trazendo geração de emprego e renda. “A continuidade desse projeto irá trazer a nossa cidade um progresso com 40 anos de atraso”, desabafa o prefeito José Martins. 

Já o prefeito do município de Mirinzal Amaury Almeida, que também é o presidente do Consórcio Conguarás, acredita que as obras irão beneficiar todos os moradores daquela região, melhorando a escoação da produção local e reduzindo consideravelmente a distância entre os municípios circunvizinhos.

Os prefeitos que compõem o Conguarás (Zé Martins, Benedito Barros, Amaury Almeida, Nilce Farias, Fernando Cuba, Rosa Braga, Júnior Franco, Donária Rodrigues, José Balduíno e Cláudio Cunha), de forma articulada, estão usando as máquinas do PAC, Caçambas, retroescavadeira, patrol com o objetivo de garantir assim o acesso até o leito do Rio Pericumã pelos dois lados do leito (Bequimão e  Central do Maranhão). “Os prefeitos estão de forma consorciada, usando as máquinas do PAC para garantir o acesso que permitiu, inclusive à equipe da empresa, que foi contratada pelo Governo do Estado para elaborar o projeto técnico da ponte, pudesse ter acesso de carro traçado até a margem do Rio. Eu tive a oportunidade de acompanhar a equipe que, daqui mais ou menos uns três ou quatro meses, estará com o projeto da ponte sobre o Rio Pericumã  concluída”, destacou Zé Inácio.

A Ponte – A construção da ponte sobre o Rio Pericumã foi idealizada nos anos 70, pelo então governador do Estado do Maranhão Antônio Dino. O governador Antônio Dino, ainda chegou a fazer a estrada que ligava a margem do Rio Pericumã, do lado do município Bequimão e do outro lado de Central do Maranhão até a sede de Mirinzal.

Na década de 70, grande parte da população do Litoral Ocidental maranhense fazia o deslocamento do transporte através do Rio Pericumã. Com  a construção da estrada de Central a Pinheiro, o sonho da ponte sobre o Rio Pericumã caiu no esquecimento.

Weverton participa de reunião com prefeitos e a bancada federal…

24022015_Reunião bancada _Dep WevertonParlamentares da bancada federal maranhense e aproximadamente 40 prefeitos reuniram-se, nesta terça-feira, 24, em Brasília, para tratar de algumas reivindicações dos municípios. Durante o encontro foram discutidas proposições que contribuirão com o desenvolvimento social e econômico das cidades.

Entre as proposições discutidas estão o projeto de lei para minimizar os impactos nas finanças municipais; projeto que visa sanar dificuldades financeiras dos municípios e suprir lacunas históricas e legais ocasionadas pelo ISS; projeto determinando que a União aplique em ações e serviços de saúde o mínimo de dez por cento de sua receita bruta; dentre outras.

Representando os gestores públicos municipais, o presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM) e prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim, afirmou que essas proposições, sendo aprovadas, contribuirão com o crescimento das cidades e serão o pontapé inicial para a redefinição do pacto federativo.

– Hoje temos a difícil tarefa de manter as contas do município em dia e manter os serviços básicos funcionando, portanto é preciso de uma reformulação do pacto federativo, e acredito que este é o primeiro passo para a concretização – destacou Gil Cutrim.

Para o deputado Weverton, a reunião foi proveitosa.

– É no município que a vida acontece, temos que aproximar cada vez mais as prefeituras e a bancada e dar todo o aporte necessário para que a população tenha educação, saúde, infraestrutura e segurança. E é através do diálogo e dessa participação direta dos gestores públicos que conheceremos as bandeiras do municipalismo – ressaltou o parlamentar.

Também estiveram presentes na reunião o coordenador da bancada, deputado Pedro Fernandes, e deputados Sarney Filho, Cleber Verde, Waldir Maranhão, João Marcelo, Zé Carlos, Juscelino Filho, Aluísio Mendes, Julião Amin, Junior Marreca, Victor Mendes, João Castelo, Zé Reinaldo, Hildo Rocha e Rubens Pereira Jr.

Jornalistas e blogueiros escolheram nova diretoria do Comitê de Imprensa

Em eleição realizada nesta quarta-feira (25), jornalistas, radialistas, assessores de imprensa e blogueiros escolheram a nova diretoria do Comitê de Imprensa da Assembleia Legislativa. O jornalista Jorge Vieira foi eleito por unanimidade para presidir o Comitê, organismo que integra os profissionais que cobrem a Casa, tendo como companheiros de chapa a jornalista Sílvia Tereza, na vice-presidência, e o blogueiro Herbert Morais como secretário.

Durante toda a manhã e parte da tarde, os profissionais votaram na nova diretoria, que foi escolhida de forma unânime e conquistando expressiva votação na chapa “Construindo a Unidade”, a única inscrita. O mandato da nova diretoria vale por dois anos e Jorge Vieira, Sílvia Tereza e Herbert Morais foram empossados imediatamente.

Da diretoria também faz parte o Conselho, que é integrado pelos jornalistas Cunha Santos, Álvaro Luís e Raimundo Garrone. O Comitê era presidido por Cunha Santos, que tinha como vice-presidente, o radialista Rogério Silva e como secretário, o jornalista e blogueiro Gilberto Leda.

O novo presidente, Jorge Vieira, agradeceu a confiança depositada pelos colegas e garantiu que pretende, juntamente com a Diretoria de Comunicação Social, assegurar que os profissionais de comunicação continuem tendo liberdade de atuação. Vieira ressaltou o caráter de unidade registrado na eleição e afirmou que vai adotar medidas para melhorar ainda mais a cobertura na Casa. (Waldemar Ter/ Agência Assembleia)

Após anos esquecido, esporte em ascensão desde 2013 em Rosário

Prefeita Irlahi Linhares mostra preocupação com políticas públicas de Esporte e Lazer para o município

Prefeita Irlahi, Presidente da Liga Esportiva Caumba, Secretário de Esporte Silvestre

Desde o inicio de sua gestão (2013), a Prefeita Irlahi Linhares tem se preocupado e, tem ido à busca de aprovação de projetos junto às autoridades competente. Para a gestora, o esporte e o lazer são fatores de desenvolvimento local pelos benefícios que proporcionam a saúde e pela oportunidade que oferecem de desenvolvimento tanto individual como social.

As atividades esportivas dão um alto impacto nos esforços de desenvolvimento, educação e combate a violência em varias sociedades, e o lazer e fundamental para qualidade de vida das pessoas. “O esporte promove a inclusão e ambos têm o poder de atrair e mobilizar a juventude, retirando do mundo obscuro dos diversos tipos de drogas, além disso, cria valores, respeito, aceitação de regras trabalha em equipe e boa convivência social”, disse a prefeita Irlahi Linhares.

Partindo desse principio, a prefeita participou dia 07de fevereiro do primeiro encontro Estadual dos Secretários e Gestores de Esporte e Lazer em São Luís, onde foram discutidas políticas públicas direcionadas ao esporte no Maranhão, visando melhorias para o esporte do Município. Além disso, a atual gestão está sempre apoiando o esporte, entre eles; o Campeonato da Liga, Campeonato Veterano, JEMs, Campeonato Intermunicipal, investe cerca de R$ 45.000,00. Existem ainda, os programas escolares como; Atleta na Escola, Programa Mais Educação que funcionam em parcerias a Secretaria de Esporte e Lazer do Município. Esses programas tem como objetivo estimular a formação do atleta escolar e identificar e orientar jovens talentosos, entre as modalidades oferecidas; Judô, capoeira, musica, pintura, atletismo, voleibol, entre  outros.

Wellington participa de audiência sobre transporte na Câmara Municipal

Link permanente da imagem incorporadaO deputado Wellington do Curso (PPS) participou, nessa terça-feira (25), de audiência pública sobre transporte coletivo realizada na Câmara Municipal de São Luís. 

Na oportunidade, o parlamentar destacou as dificuldades que os ludovicenses enfrentam devido à inoperância da mobilidade urbana na capital. 

Wellington do Curso salientou, ainda, a falta de compromisso do poder público municipal para com as garantias elementares no plano da mobilidade urbana de São Luís, além de criticar o não cumprimento das “metas simples”, inicialmente estipuladas pelo atual gestor Edivaldo Holanda Júnior e, até então, não colocadas em prática, tendo como consequência o caótico trânsito da capital maranhense.

“Antes do início da atual gestão, foram estipuladas metas, denominadas pelo atual prefeito de ‘metas simples’, dentre elas obras de pequena complexidade que iriam ‘mudar o trânsito de São Luís”, informou ele. 

Obras pequenas, obras simples precisam agora da parceria com o governo do Estado? Por que não foram realizadas nos primeiros dois anos de governo? Senhoras e senhores, não estou aqui simplesmente para criticar ou para apontar defeitos. Eu estou aqui, de forma propositiva, para discutir São Luís e apresentar projetos para a cidade e para o estado. Estou em defesa das 217 cidades do Maranhão”, finalizou Wellington do Curso.