Hildo Rocha solicita obras estruturantes para o Maranhão

Em audiência com o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), nesta terça-feira (03), o deputado federal Hildo Rocha solicitou providências para a conclusão de duplicação da BR-135, no trecho Estiva/Bacabeira, e o início da segunda e terceira etapas da obra, que compreende os trechos de Bacabeira/Entroncamento e Entroncamento/Miranda.

Hildo Rocha entregou ao vice-presidente da República solicitação para implantação do trecho ferroviário São Luís/Coroatá, no Plano de Revitalização das Ferrovias, do Programa de Trens Regionais de Passageiros.

– “A construção desse trecho tem a finalidade de suprir as necessidades de transporte de passageiros naquela região que, pela sua proximidade com Porto de Itaqui, receberá em breve empreendimentos industriais, e consequentemente, terá um elevado fluxo pessoas que irão se deslocar em função da cadeia produtiva gerada pelos empreendimentos que serão instalados na região” justificou.

O vice-presidente da República garantiu ao deputado empenho junto ao Ministério dos Transportes para a conclusão das obras rodoviárias. Quanto à implantação da linha férrea, Michel Temer ficou de discutir a viabilidade com a presidente Dilma Rousseff. Com informações Abimael Costa.

Unidade Mista do São Bernardo fecha parceria com a LAPDHS para atuar na estratégia do enfrentamento da AIDS

As Ligas Acadêmicas são uma entidade sem fins lucrativos com duração ilimitada, criadas e organizadas por acadêmicos, professores e profissionais que apresentam interesses em comum, que se reúnem para realizar atividades práticas e teóricas sobre determinado tema, supervisionados por um ou mais profissionais da área.

Constituem-se por atividade extraclasse e costumam ter ações voltadas para a promoção à saúde, educação e pesquisas, contribuindo para o desenvolvimento científico e aprimoramento da arte médica. Todas as Ligas são organizadas de forma estrutural, constituídas de uma diretoria administrativa e por membros efetivos. A diretoria normalmente é composta por presidente, vice-presidente e eventuais diretores que se fazem necessários para o correto e bom funcionamento do grupo.

De forma geral, uma Liga Acadêmica atua nos três tripés: ensino, pesquisa e extensão. A LAPDHS ( liga acadêmica de prevenção as DSTs Aids e Hepatites Virais) fundada em Março de 2013, é uma entidade sem fins lucrativos e de caráter multiprofissional e interdisciplinar, com duração ilimitada e organizada e coordenada por discentes do curso de Enfermagem tem como objetivo Proporcionar o desenvolvimento dos seus integrantes ao conhecimento sobre DST/AIDS e Hepatites Virais, construindo atividades nas comunidades com intuito de prevenir, educar e fornecer a assistência de saúde.

De acordo com as Metodologias adotadas pela liga uma delas é Atuação em ambulatório e ocorreu na ultima Terça-feira a reunião dentro da Unidade Mista do São Bernardo com a Diretora do Hospital, ligantes e o Professor André Almeida um dos orientadores da Liga, para a aprovação do estagio supervisionado extracurricular e ficou acordado pela direção o estagio dentro da unidade, “Atuar no atendimento aos portadores de DST/AIDS em locais especializados ou ambulatórios, com orientação profissional é um objetivo especifico da liga e como um dos orientadores da Liga esse é meu papel” falou o Orientador André Almeida.

Para Leticia Moraes, Coordenadora discente de pesquisa, “um grande passo o fortalecimento se dá através da participação dos integrantes da liga, com o foco na prevenção, promoção e assistência na saúde sexual e reprodutiva das pessoas acometidas por DSTs”. Jadilso Neto, Presidente da LAPDHS, falou sobre o estagio “Frequentaremos o ambulatório sob a condição de estagiários e os estágios vigorarão durante um período mínimo que será definido previamente supervisionado por uma Enfermeira da área, no estagio em ambulatório almeja-se que possamos compreender e analisar a abordagem de um paciente portador de DST/AIDS e Hepatites virais, Desenvolver o raciocino clinico, aprender noções gerais de prevenção e diagnostico e desenvolver as habilidades necessárias a sua atividade profissional” finalizou o presidente da liga.

Estiveram presentes as ligantes Andrea Barbosa, Micherlandia Freitas e Paulo Martins “o estagio iniciara ainda neste mês de Março e contara com o apoio do Programa Municipal de DST/Aids e Hepatites Virais de São Luis” destacou Paulo Martins.

Prefeitura de Bacabeira adquire três novos ônibus e amplia frota escolar do Município

A Secretaria Municipal de Educação foi contemplada com mais três novos ônibus escolares, por meio do Programa de Ações Articuladas (PAR), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do Ministério da Educação. Os veículos contam com elevador para acessibilidade de cadeirantes.

Com a chegada dos três novos ônibus, aumenta para 7 a frota que atende aos estudantes do município. Ao todo são 4.012 alunos matriculados no ensino regular. Os veículos são do porte grande, médio e pequeno, com 60, 40 e 25 lugares, respectivamente.

O transporte público irá beneficiar os alunos da rede municipal que moram distante ou perto das escolas onde estudam. O prefeito Alan Linhares ressaltou a importância da aquisição dos novos ônibus. “Os novos ônibus vão atender com mais eficiência e segurança os alunos, além de reduzir o gasto com transporte terceirizado”, disse.

De acordo com a Secretária de Educação, Deiviane Torres, os novos ônibus começam a circular o mais breve possível. Deiviane lembrou ainda que se reunirá com a equipe da secretaria, para definir a rota e as comunidades que serão atendidas pelos novos transportes escolares. “Estamos providenciando o emplacamento dos veículos e, também, convocando motoristas aprovados em concurso. Reorganizada a rota, a previsão é de que estejamos com os ônibus escolares à disposição dos estudantes o mais breve possível”, garantiu.

Marco Aurélio defende melhoria de escolas estaduais na região tocantina

IMG-20150304-WA0060Afim de buscar melhorias para o sistema estadual de educação na região tocantina, o deputado estadual Professor Marco Aurélio (PCdoB), participou, na tarde desta quarta-feira (04), de uma reunião com a secretária da pasta, Áurea Prezeres.

Com vasta vivência e experiência da situação da educação local, o parlamentar elencou uma série de medidas emergenciais que devem ser tomadas para que seja uma educação digna para os jovens da região.

O deputado solicitou que haja um investimento imediato na reforma das escolas Nova Vitória (Imperatriz ) , Francisco Alves (Davinópolis ) , Rio Amazonas (João Lisboa ) , Vicente Yáñez Pinzón (Ribeirãozinho ). A necessidade de reforma também se estende às quadras esportivas das mesmas. Marco Aurélio Pontuou também sobre a instalação do transformador da Escola Nascimento de Moraes (Imperatriz ).

A escola  já possui o dispositivo, mas instalação tem alto custo. Uma vez instalado será resolvido o problema de climatização da escola.

A secretária agradeceu a preocupação e comprometimento do professor, destacando que a educação é uma das principais prioridades do governador Flávio Dino. Áurea prometeu, ainda, realizar uma vistoria em todas as unidades para que as medidas sejam executadas.

 

Wellington esclarece mal-entendido e reafirma seu respeito à imprensa

Wellington do Curso (PPS)
Wellington do Curso (PPS)

O deputado Wellington do Curso (PPS) usou o tempo do Bloco Parlamentar, na sessão da última terça-feira (3), para prestar esclarecimentos sobre a má interpretação do seu último discurso, proferido na semana passado, no qual o parlamentar, metaforicamente, apresentou uma cédula de cem reais durante seu pronunciamento. O gesto foi interpretado de forma errônea por alguns comunicadores. 

“Gostaria de esclarecer sobre meu pronunciamento do dia 24 de fevereiro nesta Casa e afirmar que, em momento algum, ofendi a imprensa; pelo contrário, tenho respeito a todos os colegas da comunicação, antes mesmo de ser parlamentar, e esse respeito e carinho permanecem até hoje”, frisou.

Num gesto de humildade, Wellington pediu desculpas aos comunicadores presentes que cobrem os trabalhos da Assembleia Legislativa e ressaltou o bom relacionamento que sempre teve com a imprensa, inclusive usando a Tribuna para defendê-la.

“Eu tenho um bom relacionamento com a imprensa e tenho uma grande admiração por todos e em momento algum do meu discurso fiz referência de forma pejorativa ou ofensiva, mas, se por ventura fui mal interpretado, e houve determinado tipo de “ofensa”, tenho a hombridade e a humildade para pedir desculpas à classe como todo”, esclareceu o parlamentar.

ENTENDA O CASO

Wellington do Curso apresentou uma nota de 100 reais e perguntou aos presentes quando valia aquela cédula.  A verdadeira intenção do deputado era a de fazer uma analogia entre o valor da nota e o valor das pessoas.

Denúncia reforça acusação de escândalo no TRE-MA

Antônio Martins – No dia 2 de fevereiro, o blog publicou um vídeo mostrando o deputado Edilázio Júnior (PV), fazendo revelações sobre o processo de cassação do prefeito da Raposa, Clodomir Oliveira (PRTB) que tramitou no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão.

O parlamentar que é genro da desembargadora Nelma Sarney, corregedora do TJMA e ex-presidente do TRE-MA, afirma nas imagens que o prefeito Clodomir “não fica no cargo, custe o que custar”.

Dias depois, as previsões de Edilázio se confirmaram: a justiça eleitoral confirmou a cassação do prefeito Clodomir e do vice-prefeito, Messias Lisboa Aguiar (PP) e determinou a posse de Talita Laci (PCdoB), na Prefeitura raposense. Ela que foi a segunda colocada na eleição de 2012, é aliada do deputado.

O caso do suposto tráfico de influência envolvendo a justiça eleitoral no Maranhão leva alguns questionamentos: por que Edilazio tinha tanta certeza que o adversário de sua aliada seria cassado na Raposa? Qual a ligação dos magistrados com o parlamentar e/ou com a atual gestora raposense?

DENÚNCIA REFORÇA ACUSAÇÃO
As respostas para esses e outros questionamentos pode está nas declarações do deputado federal Hildon Rocha (PMDB) que fez ontem (3) uma grave denúncia contra membros da Corte Eleitoral do Maranhão.

As denúncias reforçam a acusação de tráfico de influência envolvendo a justiça eleitoral no estado. Em discurso na Câmara dos Deputados, o parlamentar maranhense declarou que o prefeito de Ribamar Fiquene, Edilomar de Miranda, só foi cassado porque se negou a pagar valor em dinheiro a um emissário da Corte maranhense. Rocha não declinou o nome nem do emissário, nem do membro do TRE.

“O prefeito me procurou e pediu um aconselhamento. Eu disse que ele não pagasse nada. Tinha certeza de que ele não seria cassado porque estava com o direito”, declarou o parlamentar ao blog do jornalista Gilberto Léda.

Assim como ocorreu na Raposa, em Ribamar Fique, o prefeito acabou cassado, mas recorreu e acabou retornando ao cargo por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proferida nesta terça-feira.

“Eu fiz essa revelação como um desabafo, porque estava me sentindo culpado, já que o prefeito foi cassado e estava deprimido, mesmo depois de eu garantir que ele não seria, porque acreditava que ele estava no direito dele. Mas, agora, o TSE repôs a Justiça”, completou.

CPI PARA APURAR ESCÂNDALOS
Após denunciar o esquema de propina, o deputado federal admitiu a possibilidade de protocolar um pedido de abertura de CPI para investigar a corrupção nos TREs do Brasil.

“Eu estou pensando mesmo em pedir uma CPI para investigar a corrupção nos TREs, de todo o Brasil, não é só do Maranhão, não. É uma caixa preta que precisa ser aberta”, declarou.

Wellington cobra cumprimento de promessas de campanha do prefeito de São Luís

Wellington do Curso (PPS)
Wellington do Curso (PPS)

Na Sessão Ordinária desta terça-feira (3), o deputado Wellington do Curso (PPS) cobrou do atual prefeito de São Luís o cumprimento das propostas de campanha.

Após o discurso do companheiro de parlamento, Edivaldo Holanda (PTC), que usou a tribuna mais uma vez para destacar as conquistas da gestão do filho, o também petecista Edivaldo Holanda Junior, Wellington cobrou a celeridade das ações do plano de governo pelo gestor, que está há dois anos à frente da Prefeitura de São Luís.

O pepessista exigiu o cumprimento  de que sejam colocados em prática todos
os compromissos assumidos pelo prefeito da capital, pois, segundo ele, não pode se calar diante das “vozes das ruas” que clamam por uma realidade mais  humana.

 – “Deputado Edivaldo Holanda, respeitosamente, queria dizer ao senhor e aos demais parlamentares, que eu não posso ser demagogo, fazer um pacto de mediocridade e simplesmente ouvir se falar de obras realizadas pela Prefeitura de São Luís que não existem e ficar calado. Hoje, como parlamentar, não posso me calar diante das vozes nas ruas, que clamam por melhorias. Isso, nada mais é, que a obrigação de um gestor público. E eu, como cidadão e parlamentar, trago à tribuna da Assembleia o clamor das ruas e que muito ainda há de ser feito”, enfatizou.

Indiciado por formação de quadrilha vai assumir presidência da Assembleia

Deputado responde por formação de quadrilha
Deputado responde por formação de quadrilha

Antônio Martins – O vice-presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão, deputado Othelino Neto (PC do B) que, a partir do dia 9 de março, vai exercer, interinamente, a Presidência do Legislativo Maranhense, responde desde 2010, a processo criminal por formação de quadrilha.

De acordo com documentos obtidos pelo BLOG, o processo criminal contra o deputado, é resultado de desdobramento da Comissão de Investigação de Crimes Contra o Erário, com base em inquérito da Delegacia de Polícia Civil Especializada em Crimes contra a Fazenda (DEFAZ) que reúne documentos sobre a comercialização ilegal de autorização para desmate através de “créditos virtuais” inseridos fraudulentamente no sistema Ceprof/Sisflora, no âmbito da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), durante a gestão de Othelino Neto, que era titular da pasta.

Segundo a polícia, o mercado paralelo montado pelo bando, movimentou R$ 500 milhões, entre 2006 e 2008, no governo Jackson Lago (PDT). Othelino Neto e mais 11 pessoas que participaram direta e indiretamente do esquema, foram indiciados pelos crimes de formação de quadrilha, falsidade ideológica, inserção de dados falsos em sistema de informações, crime contra administração ambiental, corrupção, entre outros.

Estão na lista ex-funcionários da secretaria e empresários do setor madeireiro. Atualmente o caso está sob a responsabilidade da 2ª Vara Criminal cujo titular é o juiz Raimundo Ferreira Neto. O processo tem o número 27562010. O vice-presidente da Assembleia Legislativa apostou em um habeas corpus para tentar livrar-se de processo, mas não obteve êxito.

COMO FUNCIONAVA O ESQUEMA?
De acordo com a polícia, o esquema funcionava da seguinte forma. O então superintendente de Gestão Florestal Charlys Wagner Rodrigues Silva, ex-motorista de Othelino Neto, determinava que funcionários do setor relativo aos lançamentos de dados no sistema realizassem operações de alocação de saldos de determinadas variedades de madeiras em empreendimentos participantes da máfia, sem as devidas formalidades legais, que de imediato comercializavam estes “créditos”, pulverizando os mesmos para outras empresas no intuito de dificultar o rastreamento. Posteriormente, ele determinava o bloqueio das mesmas empresas sob o argumento de “suspeita de fraude” tentando repassar para os outros empreendedores que estava fazendo fiscalização, quando na realidade fazia tudo de comum acordo entre as partes.

Diante deste “bloqueio”, os empreendimentos participantes encaminhavam seus prepostos à Sema, onde após alguns dias, as empresas eram novamente liberadas, passando a operar livremente no comércio e extração de madeiras, sem sofrerem quaisquer sanção, e ainda tendo de volta aos seus Ceprofs os créditos lançados ilegalmente. Os funcionários lançadores dos créditos não sofriam qualquer punição administrativa ou disciplinar, visto que nenhum procedimento de sindicância foi aberto para apurar os crimes.

No dia 21 de janeiro, autos foram entregues em carga ao Ministério Público. [Clique na imagem para ampliar a visualização]
No dia 21 de janeiro, os autos foram entregues em carga ao Ministério Público

“A ganância dos operadores do negócio fraudulento tornou-se tamanha que eles passaram a não observar as espécies de madeiras lançadas ilegalmente nos Ceprofs das empresas comparsas. Em determinando momento, lançaram em diversos empreendimentos créditos virtuais de uma madeira rara em nossa região, notadamente o Ipê roxo, nativo da Floresta Amazônica e do Pará, que tem o preço do seu metro cúbico como sendo um dos mais altos no comércio, aflorando assim o grande esquema envolvendo créditos ilegais de madeiras em nosso estado”, relata o inquérito.

Por conta da fraude, que servia para a legalização de madeira extraída ilegalmente no Maranhão, o estado passou a ocupar as primeiras posições entre as unidades da federação que mais desmatavam a Floresta Amazônica. A situação só foi minorada ano passado com a investigação sobre a quadrilha e ações do Ministério do Meio Ambiente e Polícia Federal principalmente na região de Buriticupu.

“Com relação ao indiciado Othelino Nova Alves Neto, se confirma (a participação) tanto nos depoimentos dos outros indiciados, como nas declarações tomadas nos presentes autos, sendo consubstanciada ainda mais quando, na função pública de secretário de Meio Ambiente, deixou de cumprir aos preceitos legais que norteiam a administração pública, ficando silente e passivo, não promovendo as devidas apurações dos acontecimentos ilícitos ocorridos durante sua gestão frente àquela pasta. Já Charlys Wagner, por força de seu cargo e da amizade próxima que nutria com o então secretário, persuadia seus subordinados a efetuarem os lançamentos fraudulentos e a os encobrir posteriormente com fictícios bloqueios das empresas participantes das fraudes o que pode ser comprovados com depoimentos que afirmam que após alguns dias de bloqueio, as mesmas eram novamente autorizadas a operar”, diz o inquérito.

DOCUMENTAÇÃO E QUEBRA DE SIGILO
Além da farta documentação, a polícia conseguiu a quebra de sigilos telefônicos de Charlys Wagner Rodrigues, Othelino Neto, José Albécio Oliveira Freitas, o “Sergipano”, Werbeth Linhares Caldas, o “Beto Pneus”, Rafael Guerreiro Bonfim, Sidney Oliveira Araújo, dentre outros indiciados.

“Em síntese, depreende-se dos autos que os integrantes da quadrilha possuíam tarefas específicas, cabendo aos funcionários da SEMA responsáveis pela informática e gestão florestal manterem os acessos ao banco de dados abertos, inclusive, em dias não úteis, o que sobremaneira facilitou a invasão do sistema para os lançamentos fraudulentos, destacando-se aí as figuras dos indiciados Kaio Alberto Guimarães – chefe do Setor de Informática -, que propositadamente deixou ligada a rede de internet sem fio (wireless) com abrangência do lado exterior da Sema (aproximadamente 100 metros) e, ainda, deixou habilitado o IP (Internet Protocol) do computador da funcionária Maria de Jesus Campos, o qual se encontrava no setor de informática para manutenção; e do também indiciado Rafael Guerreiro Bonfim – à época superintendente de Gestão Florestal, que apesar da rotina obrigatória de cancelamento automático das senhas usadas anteriormente à sua posse, “esqueceu-se” de cancelar a senha de Charlys Wagner Rodrigues Silva, a qual também foi usada na fraude ocorrida no dia 29/06/2009″, diz trecho do relatório dos delegados Marco Antônio Fonsêca, Edinaldo Santos, Regina Barros e Walter Wanderley Silva.

Eles ressaltam no inquérito que “esse grupo criminoso desviou recursos do Tesouro Estadual pelo fato da emissão e circulação de notas fiscais frias e guias Florestais (GF) sem os devidos recolhimentos, além do que cometiam crimes de natureza ambiental, quando por força das fraudes na inserção de dados, aumentavam o desmatamento em áreas legalmente preservadas, contribuindo para a degradação ambiental”.

“Ressaltamos ainda que estas empresas emitiam dados falsos na confecção das Guias Florestais (GFs) quando lançavam placas de veículos sem capacidade para o transporte de madeiras, como no caso placas de moto, fuscas, Uno, como se os mesmos estivessem sendo usados para tal fim, ou ainda caminhões sem capacidade para transportar a quantidade de madeira que as GFs diziam que faziam”, completam.

QUE SÃO OS INDICIADOS?

OTHELINO NOVA ALVES NETO – Formação de quadrilha, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva qualificada, inserção de dados falsos em sistema de informações, condescendência criminosa, crime de omissão penalmente relevante, crimes contra a administração ambiental.

CHARLYS WAGNER RODRIGUES SILVA – Formação de quadrilha ou bando, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva qualificada, inserção de dados falsos em sistema de informações, condescendência criminosa, crime de omissão penalmente relevante, crimes contra a administração ambiental.

RENATO ANTONIO SILVA CUTRIM JUNIOR – Formação de quadrilha ou bando, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva qualificada, inserção de dados falsos em sistema de informações, crimes contra a administração ambiental.

SIDNEY NASCIMENTO ARAÚJO – Formação de quadrilha ou bando, falsidade ideológica, corrupção ativa, inserção de dados falsos em sistema de informações, crimes contra a administração ambiental.

RAFAEL GUERREIRO BONFIM – Crime de Formação de quadrilha ou bando, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva qualificada, inserção de dados falsos em sistema de informações, crimes contra a administração ambiental.

ADRIANO NOLETO DE CARVALHO – Formação de quadrilha ou bando, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva qualificada, inserção de dados falsos em sistema de informações, crimes contra a administração ambiental.

KAIO ALBERTO AIRES SOUSA – Formação de quadrilha ou bando, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva qualificada, inserção de dados falsos em sistema de informações, crimes contra a administração ambiental.

JOSÉ ALBÉCIO OLIVEIRA FREITAS, vulgo “SERGIPANO” – Formação de quadrilha ou bando, falsidade ideológica, corrupção ativa, inserção de dados falsos em sistema de informações, crimes contra a administração ambiental.

VENÍCIO AURÉLIO REZENDE FILHO – Formação de quadrilha ou bando, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva qualificada, inserção de dados falsos em sistema de informações, crime de omissão penalmente relevante, corrupção ativa, crimes contra a administração ambiental.

AGUINALDO RIBEIRO DOS SANTOS – Formação de quadrilha ou bando, falsidade ideológica, corrupção ativa, inserção de dados falsos em sistema de informações, crimes contra a administração ambiental).

WERBETH LINHARES CALDAS, vulgo “BETO PNEUS” – Formação de quadrilha ou bando, falsidade ideológica, corrupção ativa, inserção de dados falsos em sistema de informações, crimes contra a administração ambiental.

OSILIO ODILIO DA SILVA  Formação de quadrilha ou bando, falsidade ideológica, corrupção ativa, inserção de dados falsos em sistema de informações, crimes contra a administração ambiental.

INDICIADOS FORAM NOMEADOS    
Nos próximos dias o BLOG vai trazer todos os detalhes da quadrilha que está sendo investigada por crimes contra o erário. Alguns chegaram, inclusive, a fazer doações de campanha para seus apadrinhados. Outros, mesmo indiciados, foram nomeados com cargos no executivo e legislativo.

Rubens Jr assume vaga na CCJ, comissão mais importante da Câmara

O vice-líder do PCdoB Rubens Pereira Jr (MA) assumiu hoje sua vaga de titular na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. A comissão é a mais importante do parlamento, pois faz a análise de constitucionalidade de todos os projetos em andamento na Câmara dos Deputados.

Em sua primeira participação, Rubens Jr chamou a atenção de seus colegas de CCJ para a necessidade de analisar as Propostas de Emenda à Constituição (PECs). “Peço atenção especial ao presidente da CCJ sobre admissibilidade de PECs”, afirmou o deputado. “Temos propostas esperando parecer há mais de duas legislaturas”.

Com o ingresso na CCJ, Rubens Jr repete o exemplo do atual governador Flávio Dino, que participou da comissão em seu primeiro ano de mandato como deputado federal.

Formado em direito, Rubens Jr está realizando mestrado no Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP). Seu objeto de estudo é a legislação sobre financiamento de campanhas eleitorais. Em seu primeiro pronunciamento no Congresso, Rubens Jr defendeu a redução do valor das campanhas eleitorais e o financiamento público.

Prefeitura conclui formação de professores alfabetizadores em parceria com o governo do Estado

Mais 450 professores da rede municipal e 400 professores da rede
estadual foram capacitados para trabalhar no processo de alfabetização
de crianças de até oito anos de idade. A Prefeitura de São Luís, em
parceria com o governo do Estado, promoveu o encerramento da formação
do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic). A
culminância das atividades foi realizada no auditório da Universidade
Federal do Maranhão (UFMA).

A solenidade contou com a participação do secretário municipal de
Educação de São Luís, Geraldo Castro Sobrinho, e da secretária estadual
de Educação do Maranhão, Áurea Prazeres. Geraldo Castro Sobrinho
destacou a importância da parceria e do regime de colaboração entre os
entes governamentais para o avanço da Educação. “A alfabetização é um
dos primeiros passos para a garantia plena da cidadania. Nesse sentido,
é importante esse empenho do nosso prefeito Edivaldo Holanda Júnior e
do governador Flávio Dino, que firmam parcerias com o objetivo de
assegurar a qualidade da alfabetização de nossas crianças”, disse
Geraldo Castro Sobrinho.

Durante a solenidade de encerramento da formação, os professores
assistiram à palestra “Os desafios da inclusão de pessoas com
deficiência na escola comum”, ministrada pela professora Rosane
Ferreira, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). O encerramento
das formações também foi um momento de socialização da vivência dos
professores alfabetizadores no programa.

Nos dias que antecederam a solenidade, os educadores participaram de um
seminário, em que expuseram trabalhos realizados com as crianças em
sala de aula e conversaram com os demais professores sobre as
metodologias utilizadas. Também foram oferecidas oficinas de Língua
Brasileira de Sinais (Libras), contação de histórias em Braille,
tangran e caixa matemática, entre outros temas.

SAIBA MAIS

O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa é de iniciativa do
Ministério da Educação (MEC) e se configura como um compromisso formal
assumido pelos governos federal, do Distrito Federal, dos estados e
municípios de assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até
os oito anos de idade, ao final do 3º ano do Ensino Fundamental. O
PNAIC foi criado em 2012 e, no ano posterior, foi iniciado na capital
maranhense.