Genival Alves solicita sistema de bilhete único para a Zona Rural

Por se tratar de área de difícil acesso, não só pela falta de infraestrutura, como pela falta de iluminação,  precariedade das estradas e do serviço prestado pelas empresas de ônibus coletivos que atendem a região, a situação da zona rural da capital, preocupa o vereador Genival Alves (PRTB).

Segundo informações dos moradores o intervalo de chegada entre uma condução e outra fica estimada em  até cerca de 40 minutos. Já para os mais idosos e portadores de necessidades especiais, a reclamação é da qualidade dos ônibus que se encontram em .condições de uso inadequadas, dificultando a acessibilidade das pessoas no transporte.

Preocupado com a situação dos usuários e moradores, Genival Alves, APROVOU na Câmara Municipal um requerimento de sua autoria no qual solicita à Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), que institua o Sistema de Bilhetagem Única para toda a região.

Segundo o vereador o objetivo é facilitar a vida da população que já é tão sofrida. “Na zona rural da nossa cidade a maioria das pessoas além de idosas são as mais carentes, a qualidade dos serviços oferecidos pelas empresas de transportes sempre penalizam os moradores rurais e demais usuários, os piores ônibus estão lá, na zona rural, como se não bastasse, ainda temos a falta de infraestrutura, a buraqueira, então nada mais justo do que o nosso prefeito facilitar a vida dessas pessoas, com a bilhetagem eletrônica”, justificou, o vereador durante a aprovação em plenário do seu requerimento.

Astro de Ogum irá pedir a Chico Carvalho o arquivamento de seu projeto

 O presidente da Câmara de Vereadores de São Luís, Astro de Ogum (PR), irá discutir com o seu colega Francisco Carvalho (PSL) sobre a conveniência de este retirar de tramitação seu projeto de lei que institui, no âmbito do sistema municipal de ensino, o “programa escola sem partido”. A iniciativa do parlamentar gerou grande reação de professores do Município e de seu sindicato, o Sindeducação, que ganharam o apoio do Centro de Cultura Negra-CCN, professores da Uema, da Ufma e do Ifma, e do Diretório Central dos Estudantes da Ufma.

Eles entendem que se o projeto virar lei irá criar dificuldades aos professores para analisar e debater com os alunos os vários aspectos de um tema de aula e privar o mestre de sobre ele emitir opinião. É que, pelo projeto, o exercício da atividade docente deve estar em consonância com a neutralidade política, ideológica e religiosa do Estado. Os professores também consideram o projeto limitante à atividade de ensino na medida em que estabelece que o poder público não se meterá na orientação sexual dos alunos nem permitirá qualquer prática capaz de comprometer o desenvolvimento de sua personalidade em harmonia com a respectiva identidade biológica de sexo.

Durante a reunião com o presidente Astro, da qual também participaram os vereadores Marcos Silva (DEM), presidente da comissão de educação; Sá Marques (PHS), membro da comissão; e o vice-presidente da Câmara Honorato Fernandes (PT), os mestres também expressaram discordância em razão de o projeto estabelecer que o professor, no exercício da função, não deve emitir suas opiniões, concepções ou preferências ideológicas, religiosas, morais, políticas e partidárias. Eles também criticaram outros aspectos da iniciativa do vereador.

TRAMITAÇÃO

O presidente da Câmara explicou aos professores o rito de tramitação de propostas dos vereadores e frisou que a ele cabe apenas pautar a votação dos projetos de lei, requerimentos, indicações e moções. Ele ressaltou que o projeto recebeu parecer favorável da procuradoria jurídica da Câmara, assim como aprovação da comissão de educação e por isso o colocou na pauta de votação da sessão ordinária de segunda-feira. Contudo, em face da reação dos professores a matéria não foi apreciada e que agora irá conversar com Francisco Carvalho para ver se ele concorda em retirar o projeto de tramitação.

Além de outros, participaram e argumentaram contra o projeto e pediram o seu arquivamento a professora municipal Elizabete Ribeiro, presidente do Sindeducação; professora Célia Motta, do curso de Ciência Política da Ufma; Neuseli Almeida, professora de Psicologia Social da Uema; professora Jacinta Moraes, coordenadora pedagógica de uma escola municipal; professora Mary Ferreira, do curso de Biblioteconomia da Ufma; professor de História Márcio Souza, com atuação em escola particular.

Levada do Teco lança DVD “Levada Acústico”, em São Luís

Nesta quarta-feira (29), a banda Levada do Teco comandará uma apresentação recheada de surpresas, lançamento do DVD “Levada Acústico”, evento somente para convidados. Os jovens da Levada do Teco, levam para o palco, além da beleza, muita simpatia, sensualidade e claro, um repertório de causar inveja e sem deixar a desejar. A banda que surgiu em meados de 2013, através de uma roda de pagode entre amigos na praia, a banda já se chamou Pagode do Teco, começou a subir aos palcos e desde então não parou mais. Após muitas conquistas e novas experiências para os integrantes Guto Ximenes (Vocal), Alexandre Dourado (Saxofone), o carnaval foi o ápice de todo o trabalho, a banda estourou e por onde passa é sucesso e animação garantida.

Réveillon Privilégio o único com 18 atrações, 4 ambientes e Open Bar até ao amanhecer

Já está na hora de ter o seu réveillon uma experiência única e incomparável, então reúna os amigos, a família e passe a sua virada de frente para o mar com muito conforto e segurança no Praia Mar Hotel. O único com 4 ambientes, 18 atrações,  open bar de cerveja, água, vodka nacional e refrigerante a noite toda. Também com open Food de caldos e salgados. E para animar a festa a programação está especial com: Shinoda, Levada do Teco, Andson Mendonça, Argumento, Gerrard Lima, Wesley Dantas, Andinho, Samba Ceuma, Stanley e Cristian, Comando LL e os DJs Huggo Zanella, Erick Ferres, Bulacha, Pulga, The Paul, Dyogenes e Mad Dogz. Mais um evento assinado por João Marcelo Clayton Macedo ( OJackie Chan- Produções). Sua virada de frente pro mar e o melhor, com open bar.

Na tribuna da Câmara, Ricardo Diniz rebate ataques pelo parecer dado ao Projeto Escola Sem Partido

Na manhã desta segunda-feira (27) o vereador Ricardo Diniz (PCdoB) subiu à tribuna da Câmara Municipal de São Luís para rebater os ataques que tem sofrido por ter emitido parecer ao Projeto de Lei número 113/2017 do vereador Francisco Carvalho, que institui nas escolas da rede municipal de  ensino, o programa “Escola Sem Partido”. O programa Escola Sem Partido estabelece que a atividade docente deve ser exercida em consonância com os princípios de liberdade de aprender e de ensinar, liberdade de consciência e de crença dos estudantes, pluralismo de ideias, neutralidade política, ideológica e religiosa do Estado.


Segundo o PL, o professor deve apresentar de forma livre e democrática os diferentes pontos de vista sobre os temas abordados, convidando os alunos para análise da realidade por múltiplas perspectivas. Essa abordagem crítica e reflexiva não pode ser permeada por doutrinação, seja política ou religiosa.

Ricardo Diniz esclareceu em seu pronunciamento que ao receber o Projeto de Lei, como membro da Comissão de Educação, avaliou que o tema era polêmico, solicitou a realização de audiência pública e no parecer sugeriu modificações. “Em momento algum no parecer faço uma defesa incondicional ao teor do projeto de lei, mas sim procuro tratar a questão com equilíbrio, bom senso, serenidade, civilidade e, principalmente, respaldado pelo pilar maior que é a democracia”, pontuou.

OPORTUNISTAS DE PLANTÃO
O vereador criticou a forma como as notícias sobre o parecer foram divulgadas por meio das redes sociais, algumas afirmando que em virtude disto o parlamentar seria repreendido pelo PCdoB.

“Parece que os oportunistas de plantão, incomodados com alguma coisa, estavam ali sorrateiramente à espreita, esperando uma pequena brecha, para poderem lançar sobre mim as mais descabidas ilações, com o claro objetivo de criar um factoide para me desqualificar e, o que é pior, usando de forma mentirosa e irresponsável o nome do PCdoB, como virtual autor das acusações, entrei em contato com o partido e a diretoria do PCdoB, na pessoa do coordenador Nilton Santos, desmentiu os fatos e afirmou que em momento algum o partido tentou tolher minha atuação na Câmara Municipal, interferindo na minha autonomia parlamentar”, reforçou.

Ricardo Diniz lembrou que as pessoas que tentaram desqualificá-lo deveriam ler o teor do parecer. “Ao longo do texto aponto uma série de elementos que deveriam ser considerados antes da implantação do programa, bem como procuro analisar a viabilidade e a eficácia do projeto proposto à luz do que dispõe a Constituição Federal de 1988”, explicou.

RETIROU O PROJETO
O vereador Francisco Carvalho aceitou retirar o projeto de pauta até que seja criado um diálogo com entidades, movimentos sociais e a sociedade para que seja debatida a viabilidade do projeto. Sobre a ameaça de receber uma punição do partido Ricardo Diniz rebateu.

“Puxão de orelha só a população de São Luís pode dar em cada um de nós, porque ela e ninguém mais, é a responsável por estarmos aqui..pois nos deram o mandato que exercemos…Desafio qualquer um, seja secretário, membros desta casa ou qualquer autoridade a apontar ao longo dos meus dois mandatos, em que momento deixei de cumprir, com responsabilidade, decência, respeito aos meus pares, independência e compromisso com a verdade o exercício do meu mandato. Em mim…ninguém dá puxão de orelha, principalmente, aqueles que não tem condições morais, tampouco a retidão de caráter com a qual sempre agi, não só como vereador, mas ao longo de toda minha vida”, concluiu Ricardo Diniz.

‘Estreita laços e reforça parcerias’, diz Astro sobre visita a Flávio Dino

O presidente da Câmara Municipal de São Luís (CMSL), vereador Astro de Ogum (PR), foi recebido no Palácio dos Leões, nesta segunda-feira (27), ocasião em que se reuniu com o governador Flávio Dino.  O encontro teve a presença do chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares; e do secretário de Estado de Comunicação Social e Assuntos Políticos (Secap), Márcio Jerry.

O chefe do legislativo da capital maranhense salientou que, assim como das outras vezes em que esteve reunido com o chefe do executivo estadual, a intenção era manter e fortalecer as relações institucionais entre os dois poderes.

“É uma visita institucional em que estreitamos os laços e reforçamos a nossa parceria com o governador Flávio Dino para discutir diversas questões de referência para a capital. Ele é um gestor com ideias novas, uma liderança jovem que tem um futuro brilhante e está disposto a discutir uma agenda de trabalho conjunta com a Câmara Municipal de São Luís”, declarou Astro de Ogum.

Flávio Dino agradeceu a visita do presidente da Câmara e enfatizou a parceria com os vereadores ludovicenses reforçando, inclusive, a agenda conjunta proposta no mês de março, quando visitou o Palácio Pedro Neiva de Santana, sede do Legislativo de São Luís.

Ricardo Diniz emite nota de esclarecimento

A respeito da repercussão da sua postura da Comissão de Educação da Câmara Municipal de São Luís ter se manifestado favorável ao projeto de lei de autoria do vereador Francisco Carvalho (PSL), que cria o programa “Escola Sem Partido”, o vereador Ricardo Diniz (PCdoB) afirma que não adota decisão beneficiando apenas um lado. Adiante no seu parecer, o parlamentar do PCdoB destaca que a proposta do colega do PSL “garante que a atividade docente seja exercida em consonância com os princípios de liberdade de aprender e ensinar”, entre outros pontos.

Em sua nota, Ricardo Diniz acrescenta que “o professor deve apresentar de forma livre democrática os diferentes pontos de vista sobre os temas abordados, convidando os alunos para análise da realidade por múltiplas perspectivas”. Continuando, o vereador comunista enfatiza que “faculta ao professor o direito de ter sua militância, mas a sala de aula não é o melhor lugar para exercê-la”. A seguir a nota

Nota de Esclarecimento

Diante da repercussão da minha posição na Comissão de Educação da Câmara Municipal de São Luís favorável ao Projeto de Lei Nº 113/2017, de autoria do vereador Francisco Carvalho, que cria na rede municipal de ensino o programa “Escola Sem Partido”, quero afirmar o seguinte:

1- Em nenhum momento tomei e nem tomarei decisões beneficiando apenas um lado. Em nosso parecer destacamos que o Projeto de Lei do vereador Francisco Carvalho garante que a atividade docente seja exercida em consonância com os princípios de liberdade de aprender e de ensinar, liberdade de consciência e de crença dos estudantes, pluralismo de ideias,
neutralidade política, ideológica e religiosa do Estado.

2- O professor deve apresentar de forma livre e democrática os diferentes pontos de vista sobre os temas abordados, convidando os alunos para análise da realidade por múltiplas perspectivas. Essa abordagem crítica e reflexiva não pode ser permeada por doutrinação, seja política ou
religiosa.

3- Faculta ao professor o direito de ter sua militância, mas a sala de aula não é o melhor lugar para exercê-la. Deve haver por parte do professor o compromisso de ser intelectualmente honesto e deixar claro que existem outros pontos de vista

4- O parecer iria para a primeira votação, onde poderiam ser feitas emendas ou poderia ser retirado e arquivado.

5- Estou me colocando, humildemente, à disposição de todos os segmentos da sociedade para receber sugestões, críticas e recomendações.

6- Conversei com o vereador Francisco Carvalho, autor do Projeto de Lei, eele de forma sensata, tranquila e democrática aceitou retirar o Projeto de pauta e decidimos criar um diálogo com entidades, movimentos e a sociedade para que seja debatida a viabilidade do projeto.

7- Defendo sempre o debate. Nosso mandato é democrático e pautado no diálogo, na verdade e na humildade.

8- Meu comportamento e minha história como cidadão e político respaldam meu compromisso de sempre estar aberto ao debate de forma harmoniosa, madura e independente para que possamos definir o que é melhor para nossa cidade e para o nosso povo.

 

Feirinha São Luís discute sustentabilidade, reciclagem e consumo consciente

Sustentabilidade, reciclagem e consumo consciente foram alguns dos temas debatidos na edição da Feirinha São Luís deste domingo (26). No Espaço Mais Limpeza Mais Saúde, do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, o público pôde aprender mais sobre estes temas e como fazer o descarte adequado dos resíduos sólidos domiciliares. A Feirinha é uma ação da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa) e acontece todos os domingos das 7h às 15h na Praça Benedito Leite.

Segundo a presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela, o principal objetivo da ação foi mostrar à população que limpeza urbana é um trabalho muito mais amplo que apenas a coleta domiciliar. “A limpeza urbana perpassa por diversos setores. Gerida de forma profissional nós conseguimos fazer bem para o meio ambiente, saúde pública, paisagem urbana e tantas outras áreas. Por isso, além de todo o trabalho operacional, nós fazemos diversas ações de educação ambiental seguindo determinação do prefeito Edivaldo”, afirma.

O titular da Semapa, Ivaldo Rodrigues, explicou que a Feirinha, além de expor a diversidade cultural da cidade, fomentar a agricultura familiar e a economia; trata de assuntos importantes como a sustentabilidade. “A Feirinha São Luís se renova a cada domingo. Tudo que puder agregar para o público é bem-vindo e continuaremos trabalhando, por orientação do prefeito Edivaldo, para que a Feirinha esteja sempre interessante, mantendo a qualidade tanto para a nossa população, quanto para os turistas”, destacou.  Ivaldo acrescentou ainda que o tema sustentabilidade além de ser atual, e atemporal, cria a conscientização na população sobre cuidados com o meio ambiente

EXPOSIÇÃO DE PRODUTOS RECICLADOS

No Espaço Mais Limpeza Mais saúde, foi montada uma exposição de produtos feitos a partir de material reciclável. A Associação de Catadores de Material Reciclável (Ascamar), colocou à mostra sabonete, detergente, sabão em barra e líquido feito a partir do processamento de óleo de cozinha usado que é descartado pela população nos sete Ecopontos em funcionamento em São Luís.

A exposição foi também uma oportunidade de negócios e do divulgação do trabalho da cooperativa. “Nossa participação foi muito positiva. Pudemos divulgar nosso trabalho, vender nossos produtos e conversar com a população sobre como ela pode nos ajudar, entregando o óleo de cozinha usado nos Ecopontos. Certeza que a coleta vai crescer muito depois dessa atividade”, comentou Maria José Nascimento, presidente da Ascamar.

Também estavam em exposição vassouras feitas de garrafa PET produzidas pela Obras Sociais Lar de José. O Instituto de Desenvolvimento Comunitário e Social Pelotão Mirim (Ecodesign) expôs móveis e arranjos de jardim feito de pneus reciclados.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Além da exposição foi realizado também o “Ecoteste”, jogo de perguntas e respostas interativas com o público, sobre os temas pertinentes ao gerenciamento de resíduos sólidos como sustentabilidade e coleta seletiva. Cada resposta correta garantiu um brinde ao participante. O kit entregue tinha ecobag, squeeze, lixocar e caneca. Também foi feita panfletagem sobre os Ecopontos e uma dupla de palhaços interagindo com o público, falando de forma descontraída sobre limpeza urbana.

O jogo de perguntas e respostas foi desenvolvido de modo que mesmo que o participante errasse a resposta, sairia do Espaço Mais Limpeza Mais Saúde com uma nova informação sobre reciclagem, sustentabilidade e coleta seletiva. O jogo empolgou os participantes da Feirinha. “O jogo foi muito divertido, aprendi como fazer coleta seletiva e ainda ganhei um brinde”, comenta a dona de casa Firmina de Souza.

PROGRAMAÇÃO

Como em todas as edições, neste domingo, a programação cultural da Feirinha teve as apresentações da Banda da Feirinha, Wellington Santos (Gospel), Elisa e Banda (MPB), Fábio Banda e Bloco Afros.

A barraca do Chef esteve sob comando de Anastácio Washington, proprietário do restaurante onde é Chef, no bairro Cohama e cozinheiro de Buffet. Especializado em comida tradicional brasileira e com experiência em restaurantes locais como Feijão de Corda e o extinto Tio Pepe, os preparos levados para o evento foram diversificados para atender a todos os gostos. No menu: filé mignon com molho gorgonzola, galinha caipira, pernil suíno a Califórnia, frango desossado recheado natalino, filé de pescada ao molho de limão, cuxá e diferentes tipos de arroz, entre eles com cuxá, mariscos e o Jambalaya.

Além de expor a diversidade cultural da Ilha, a Feirinha fomenta a economia criativa aos produtores da capital em mais de 11 polos, que comercializam produtos diversos a preços competitivos, distribuídos em mais de 90 pontos de comércio, movimentando o turismo na capital e a geração de renda. A Feirinha conta com 29 barracas para venda de produtos agrícolas, 25 para artesanato, 19 de alimentação e 13 food trucks.

Júnior Verde conduz audiência pública por mais segurança no Planalto Anil

Em audiência pública realizada no início desta semana, no Planalto Anil, o deputado estadual Júnior Verde (PRB) colheu demandas da comunidade para implementação de ações na área da Segurança Pública em toda a região. A reunião aconteceu por meio da Comissão de Segurança Pública e Privada da Assembleia Legislativa, por conta da sensação de insegurança vivida pelos moradores.

Presidente da Comissão, o parlamentar conduziu os trabalhos ao lado da deputada Francisca Primo (PC do B). Além dos representantes da Secretaria de Estado da Segurança Pública, das Polícias Civil e Militar (PM), e da Associação dos Conjuntos do Planalto, estavam presentes moradores dos bairros Planalto Anil, Residência Filadélfia, rua São Bernardo e adjacências.

Na oportunidade, foram apresentadas diversas sugestões para melhorar a Segurança Pública. Foram definidos diversos encaminhamentos, como o retorno do projeto de Patrulhamento Ostensivo na área de forma permanente; monitoramento eletrônico não só nas avenidas, mas nas áreas de maior índices de crimes, conforme estatísticas da PM; melhoria da iluminação pública; parcerias entre órgãos como PM, Corpo de Bombeiros, Secretarias de Cultura e Esporte, a fim de desenvolverem projetos sociais para diminuir o envolvimento de crianças e jovens com as drogas e a criminalidade; e reestruturação do 6° Batalhão que atende à comunidade, com mais efetivo policial e viaturas.

“São diversas as reivindicações, e são demandas legítimas, pois a sensação de insegurança maior fiscalização nas barreiras e postos policiais da entrada e saída de São Luís e demais municípios do Estado; articulação junto a bancada federal para proporem alterações no código penal e de execuções penais, tendo em vista a defasagem dessas legislações legislações penais, o que na prática contribui, entre outras situações, para um aumento na taxa de reincidência de crimes cometidos principalmente durante saídas temporárias e regimes condicionais.

Emenda de Roberto Rocha garante equipamentos para zona rural de São Luís

A prefeitura de São Luís recebeu essa semana modernas máquinas pesadas e equipamentos de última geração que beneficiam produtores e trabalhadores agrícolas da capital. São tratores, retroescavadeiras, semeadoras, caminhões, pulverizadores e outros veículos novos, viabilizados por meio de emenda individual do senador Roberto Rocha (PSDB-MA). Elas podem ser utilizadas, principalmente, para auxiliar e fortalecer a agricultura familiar e pequenos produtores.  Os recursos na ordem de R$ 877, 5 mil são do Orçamento Geral da União 2015 e foram indicados em 1º de julho de 2015, pelo congressista maranhense a então ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, senadora Kátia Abreu.

No entanto, por muito pouco a prefeitura quase perdeu os recursos. Ao realizar gestões de acompanhamento das emendas, o senador Roberto Rocha encontrou uma série de problemas no convênio firmado entre o poder executivo municipal com o ministério. Foi aí que Roberto Rocha alertou o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) sobre o andamento dos recursos que estavam ameaçados de não serem liberados, em função de uma série de pendências apontadas pelo ministério, como a falta de projeto básico.

Para não perder mais tempo e deixar os produtores prejudicados, o senador realizou gestões políticas junto ao Governo Federal para que as análises das pendências fossem feitas com a maior rapidez possível. Em dezembro de 2016 o ministério emitiu a ordem bancária, liberando os recursos para os cofres da prefeitura. Imediatamente, o senador comunicou o prefeito Edivaldo Holanda Júnior, que o dinheiro estava liberado para a Secretaria de Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (SEMAPA).

“Foi com grande esforço pessoal e do meu corpo técnico que conseguimos viabilizar esse equipamento para os produtores rurais de São Luís. Considero isso uma obrigação minha. Não é nenhum favor à cidade ou ao seu prefeito. Espero que façam ótimo proveito, em benefício de nossa população”, disse Roberto Rocha.

Confira a relação das máquinas e veículos pesados viabilizados pelo senador Roberto Rocha:

Máquinas e Veículos Unidade Valor Unitário Valor Total
Trator Agrícola 2 R$ 102.333,34 R$ 204.666,68
Caminhão 2 R$ 180.000,00 R$ 360.000,00
Retroescavadeira agrícola 1 R$ 41.000,00 R$ 41.000,00
Pick up 4×4

cabine dupla diesel

1 R$ 119.980,32 R$ 119.980,32
Plaina dianteira 350 1 R$ 22.066,00 R$ 22.066,00
Pulverizador Agricola 2 R$ 12.666,66 R$ 25.333,32
Roçadeira de Arrasto 2 R$ 15.000,00 R$ 30.000,00
Grade aradora 2 R$ 21.000,00 R$ 42.000,00
Semeadora 400L 2 R$ 3.333,33 R$ 6.666,66
Freezer Horizontal de duas portas 3 R$ 1.117,90 R$ 3.353,70
Enxada Rotativa 2 R$ 15.666,66 R$ 31.333,32
TOTAL:     R$ 886.400,00