Em carta, médico afirma que Othelino Neto recebia participação em contratos do Hospital de Monção

Othelino Neto e Mariano de Castro
Othelino Neto e Mariano de Castro

Em carta escrita do próprio punho, o médico piauiense Mariano de Castro Silva que foi encontrado morto nessa quinta-feira (12) em seu apartamento no bairro Ininga, na Zona leste de Teresina, afirma que o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto, teria acertado uma participação nas propinas pagas por uma empresa indicada por ele para prestar serviços ao Hospital Geral de Monção.

No documento conhecido nesta sexta-feira, 14, a que o site MARANHÃO DE VERDADE teve acesso, Mariano afirma que a ‘participação’ que o chefe do legislativo estadual recebia era dividida com o medico Leonardo Sá, ex- vereador de Pinheiro.

“Naquele momento o pai de Leonardo Sá (Dr. FCO Sá) estava lá na anestesia…. e Leonardo e Othelino receberia mensalmente uma participação… depois de um tempo, Dr. Fco Sá colocou outra empresa… Estava no inicio da inauguração do hospital de Pinheiro e Leonardo pediu para eu encaminhar os dados de uma empresa para ele resolver com a Acqua… abrindo uma ou colocando uma já existente… Lá foi briga demais… não fiquei sabendo como foi… apena mandei e-mail “, disse o médico que foi um dos presos durante a operação Pegadores.

Na carta, Mariano deletou ainda que esse contrato teria sido submetido à ex-secretária adjunta de Saúde, Rosângela Curado, que também foi uma das pessoas presas durante a Operação Pegadores, deflagrada em novembro do ano passado pela PF. De acordo com Mariano, o aval para o contrato ocorreu depois de uma conversa de Rosângela com o próprio Othelino.

Carta escrita do próprio punho do medico
Carta escrita do próprio punho do médico

“Depois de uma conversa da Rosangela com Otelino (sic) e Luiz, sobre a possibilidade de colocar a empresa em Monção… Aí Otelino (sic) disse que seria (sic) todas as especialidades lá no hospital de Monção… “, declarou.

DIFICULDADE NA CONTRATAÇÃO
O médico também afirma houve uma dificuldade com o esposo [Jesiel Araújo] da então diretora da unidade de saúde e o contrato acabou sendo dividido entre a empresa indicada pelo presidente da Assembleia e outra indicada pela diretora do hospital, identificada por Jane Araújo.

“Houve uma dificuldade com o esposo de Jane (então diretora) e terminou sendo dividido os grupos médicos, sendo metade para uma empresa de Jane e metade para a empresa de Otelino…”, revelou.

No documento bombástico divulgado na imprensa, Mariano conta como se deu sua transferência para Barra do Corda. Segundo o delator, isso ocorrer por conta de uma briga, após a inauguração do Hospital de Pinheiro. Ele não deu detalhes da confusão, mas coincidentemente, a briga deve ter relação com Othelino e Leonardo, ex-aliados que hoje são adversários.

Na próxima matéria, vamos continuar revelando mais detalhes desta delação que atinge em cheio a alta cúpula do Palácio Manuel Beckman.

Estevão Aragão aprova pedido para construção de uma arena de motocross

Tendo entre suas bandeiras de luta a inclusão de apoio e incentivo ao esporte, o vereador Estevão Aragão (PSDB) acaba de aprovar na Câmara Municipal uma indicação que pede ao Governo do Estado a viabilização de construção de uma arena de motocross em São Luís.

O  vereador social democrata enfatiza que esporte, que tem crescido muito em todo Estado, porém não possui um espaço adequado para sua prática na capital maranhense.

“Nós estamos fazendo esse apelo ao poder público que tem demonstrado uma certa sensibilidade para com o setor esportivo, e o atendimento desse pedido certamente beneficiará os praticantes do motocross com um espaço especificamente destinado para praticar essa mobilidade esportiva, bem atrair desportistas de outras regiões, até promovendo competições, o que incentivará também não só a prática do esporte, bem como o turismo e outros setores em nosso Estado”, finaliza Estevão Aragão.

“Suicídio ou homicídio”, diz legista sobre morte do operador de esquema da saúde do Maranhão

O médico Mariano de Castro Silva foi encontrado morto nesta quinta-feira (12), em seu apartamento, próximo ao Riverside, no bairro Ininga, zona leste de Teresina, onde cumpria prisão domiciliar. O médico havia sido preso na operação da Polícia Federal denominada de Sermão dos Peixes, deflagrada no Maranhão.

O coordenador do Instituto de Medicina Legal de Teresina (IML) e médico-legista, André Biondi Ferraz, contou que aparentemente o médico foi vítima de um tipo de asfixia, mas não se sabe ainda de qual tipo. “O corpo chegou na noite e foi examinado pelo médico-legista. E a causa morte aparentemente está por asfixia, mas ainda está sendo delineado. A asfixia pode ser suicídio ou homicídio, mas ainda não dá para a gente antecipar. O mais adequado é a gente aguardar o laudo do médico-perito”, explicou.

Prisão

Mariano foi preso por envolvimento em um esquema de desvio de recursos federais por meio de fraudes na contratação e pagamento de pessoal, contratos de gestão e termos de parceria firmados pelo Governo do Maranhão na área da saúde. Antes de ser preso, o médico era assessor especial da Rede de Assistência à Saúde da Secretaria de estado da Saúde do Maranhão.

Operador de esquema da saúde do Maranhão recorre ao suicídio

Na noite desta quinta-feira (12), o médico Mariano de Castro Silva, preso na Operação Pegadores da Polícia Federal recorreu ao suicídio, ele estava em prisão domiciliar em Teresina. O médico é apontado como o operador do esquemão da saúde no governo Flávio Dino (PCdoB). Segundo informações de parentes, procede o suicídio. Aguarde maiores informações.

Fabio Braga e Prefeito Batista garantem melhorias para Boa Vista do Gurupi

O deputado Fábio Braga (SD) registrou, na tribuna da Assembleia Legislativa, o empenho do prefeito de Boa Vista do Gurupi, Batista Oliveira, em busca de melhorias para o município. “Na última terça-feira (10), estivemos reunidos com o secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, e ele confirmou o andamento de várias obras para a região”, disse.

O parlamentar destacou que, por meio da Sinfra, Boa Vista do Gurupi será beneficiada com a construção da primeira escola estadual, um investimento de quase dois milhões de reais que possibilitará a melhoria na qualidade do ensino no município. Além disso, a cidade também será incluída no Programa Mais Asfalto. “Outra importante noticia é o projeto do cais da cidade, já em fase final”, reiterou.

Os assessores e articuladores políticos do Governo do Maranhão Carlos Quemel e Celijane e o prefeito de Junco do Maranhão Antônio Filho estiveram presentes e participaram da conversa. O deputado estadual Fábio Braga deu total suporte e apoio para a consolidação de mais essas conquistas. Em Boa Vista do Gurupi a escola vai comportar um grande número de alunos que hoje frequentam uma escola cedida pelo município.

Fábio Braga lembrou que apesar das dificuldades financeiras, o prefeito Batista busca, incessantemente, recursos tanto da ordem estadual quanto federal. “Nós estamos dando total apoio ao prefeito na busca por melhorias para cidade. A população, em um curto espaço de tempo, terá com certeza uma cidade bem mais aconchegante e estruturada”, finalizou.

“Flávio Dino pode até tentar impedir minha entrada na escola, mas não vai impedir que eu defenda professores e estudantes”, diz Wellington

Na manhã desta quarta-feira (12), o deputado estadual Wellington do Curso se pronunciou para apresentar solicitações e denúncias de alunos e professores do Centro de Ensino Joaquim Gomes de Sousa, localizado na Cohab, em São Luís. Wellington visitou e ouviu estudantes e também professores e se comprometeu em visitar a escola ontem, dia 11. Ocorre que, ao chegar na escola, o deputado Wellington foi impedido de entrar, sendo isso decorrente de ordens expressas do governador Flávio Dino (PC do B).

Ao se pronunciar, o deputado Wellington deixou claro que continuará firme com o projeto “De Olho nas Escolas” e que o Governador não conseguirá impedir a defesa de estudantes e professores da Rede Pública do Estado.

“Em respeito aos alunos e professores, ontem eu visitei o Centro de Ensino Joaquim Gomes de Sousa, localizado na Cohab, em São Luís. Após receber a solicitação de alunos e estudantes, que fizeram uma manifestação, estive no local e pude constatar a precariedade: mato para todo lado, salas sem infraestrutura e um espaço sem qualquer condição para funcionamento. Estive na escola às 14:00h, conforme combinado.Não deixaram eu entrar. Ordens expressas do Governador. Flávio Dino pode até tentar impedir minha entrada na escola, mas não vai impedir que eu defenda professores e estudantes”, disse Wellington.

Ainda em relação às solicitações dos professores e estudantes, o deputado Wellington afirmou que não iria deixar a categoria sem representação.

“Antes de ser deputado, eu sou professor e não trairia a categoria. Não trairei também os estudantes de escola pública. Afinal, durante toda a minha estudei em escola pública. A denúncia será encaminhada à Promotoria da Educação. Afinal, de acordo com o Governador essa escola sofreu 2 intervenções (reforma) em 2016. Quem está solicitando e insatisfeito com essa propaganda enganosa não é apenas eu, mas sim os professores e estudantes do Maranhão”, concluiu Wellington.

De acordo com propaganda do Governo do Estado do Maranhão, o Centro de Ensino Joaquim Gomes de Sousa sofreu duas “intervenções” (reforma) apenas em 2016. No local, professores e estudantes desconhecem tais reformas, já que o que há é mato para todo lado, salas sem infraestrutura e um espaço que serve para uso de drogas, entre outros.

Weverton defende liberação de emendas para municípios atingidos por enchentes

O deputado Weverton (PDT) pediu a mobilização dos colegas e da presidência da Câmara dos Deputados para conseguir junto ao governo federal a liberação urgente das emendas parlamentares destinadas aos municípios que estão atingidos pelas enchentes no Maranhão. “Todos nós unidos, independente de coloração partidária, estaremos nessa luta para conseguir recursos e apoio humanitário para famílias que perderam tudo e estão desesperadas”, afirmou Weverton.

Na tarde desta quarta-feira (11), a bancada federal maranhense se reuniu com o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Renato Ramlow, e com o secretário substituto Élcio Barbosa para pedir ajuda para as famílias de áreas alagadas.

O secretário Renato Ramlow explicou que as Defesas Civis nacional e do estado já estão conversando para atuarem de forma coordenada. Ele também expôs aos deputados as providências que precisam ser tomadas pelos municípios para garantir o acesso a kits de alimentação e água e até construção de pontes provisórias para religar estradas cortadas.

Edson Gaguinho solicita recuperação de diversas ruas no bairro Janaina

O vereador Edson Gaguinho (PHS), na forma regimental, apresentou requerimento e indicação na terça-feira, 10, solicitando aos Executivos Municipal e Estadual, a recuperação asfáltica das ruas Cardoso, Santa Efigênia, São Sebastião, Boa Esperança, Santa Clara, Nossa Senhora de Fátima, Duque de Caxias e Silvio Romero, no bairro Janaína.

De acordo com o parlamentar, os serviços são importantes porque os locais citados estão intrafegáveis. “Tenho recebido diversos pedidos de pessoas que moram nessas ruas. Eles reclamam do lamaçal que se forma principalmente neste período chuvoso. No período da estiagem os moradores também são prejudicados pela poeira, ocasionando problemas respiratórios e pulmonares. Com esse investimento que solicito, vamos melhorar a vida de quem mora neste bairro tão populoso”, acentua Edson Gaguinho.

Acrescenta ele que “quem mora nessas ruas reclama do lamaçal que se forma principalmente neste período chuvoso. No período da estiagem os moradores também são prejudicados pela poeira, ocasionando problemas respiratórios e pulmonares. Com esse investimento que solicito, vamos melhorar a estética do bairro Janaína e a qualidade de vida dos moradores”, concluiu Edson Gaguinho.

Tanto o requerimento quanto à indicação foram aprovadas por unanimidade.

Hildo Rocha diz que prejuízos causados por inundações seriam menores se o governo estadual tivesse agido corretamente

O deputado federal Hildo Rocha repercutiu, nesta quarta-feira, na tribuna da Câmara Federal, a situação de calamidade pública vivenciada por dezenas de cidades maranhenses em consequência de inundações. De acordo com o parlamentar, se o governo estadual tivesse trabalhado em parceria com os municípios avisando os mesmos sobre as pancadas de chuvas, muitas famílias não teriam tido o prejuízo que tiveram.

O deputado disse que há bastante tempo os institutos de monitoramento dos riscos de acidentes vinham avisando que iria chover intensamente em algumas regiões do Maranhão. “O governo estadual foi avisado antecipadamente, mas nada fez, não adotou as medidas necessárias para evitar os prejuízos, não repassou as informações para as prefeituras e moradores. Agora, milhares de famílias estão desabrigadas e com enormes prejuízos. Faltou ação do governo estadual, não transmitiram as informações de maneira  adequada as “, destacou Hildo Rocha.

De acordo com o parlamentar, se as famílias tivessem recebido a devida comunicação em tempo hábil as mesmas teriam tido tempo para se preparar e retirar seus móveis e eletrodomésticos. “O governo estadual foi omisso. Como resultado dessa omissão, milhares de famílias perderam móveis, geladeiras, fogões, televisores e outros bens. Os prejuízos são enormes”, destacou Hildo Rocha.

Situação preocupante

O deputado ressaltou que Tuntum, Presidente Dutra, Joselândia, São Domingos do Maranhão, Dom Pedro, entre outros municípios da bacia do Mearim, enfrentam graves problemas. “Os temporais  destruíram estradas municipais, pontes, ruas, praças, bueiros, casas e prédios públicos causando transtornos para a população. Foi um grande erro do governo do Estado não ter feito um trabalho preventivo para evitar esses acidentes da natureza que poderiam ter sido evitados se tive uma melhor comunicação”, disse Hildo Rocha.