Timon: A força que vem dos Leitoa

Rafaelleitoa12300
Irmãos Leitoa

No atual cenário político-eleitoral do Maranhão, poucos grupos políticos mostraram tanta força quanto o liderado pelo Prefeito de Timon, Luciano Leitoa (PSB).

Além da expressiva votação dada aos candidatos a governador, Flávio Dino (PCdoB) e Roberto Rocha (PSB), os Leitoas deram a maioria absoluta ao Engenheiro Rafael Leitoa (PDT), estreante da família na política.

O número das urnas sepultaram de uma vez por todas o desgaste do governo municipal de Timon vendido pela imprensa ligada ao grupo Sarney para tentar atingir Flávio Dino. Luciano não só consolidou sua liderança como humilhou nas urnas sua principal adversária, Socorro Waquim, que obteve apenas 14.156 votos, logrando a terceira posição.

Com o prestígio da família em alta com o novo governo, Rafael Leitoa, que mostrou a força do sangue da família correndo nas veias durante toda a campanha eleitoral, entra 2015 fortalecido e com a cadeira de deputado garantida.

Toda essa certeza parte das conversas nos bastidores de que já é tida como certa a licença do deputado estadual, Sérgio Frota (PSDB) que assumirá provavelmente a Secretaria de Esportes no intuito de ceder a vaga para Rafael exercer o mandato.

Com todo esse cenário favorável, Rafael Leitoa assumirá o mandato gozando de prestígio e com chances reais de se tornar um dos principais expoentes da nova geração de políticos da próxima legislatura.

É aguardar pra ver…

Carta aberta UJS Caxias – MA

UJS - CAXIAS/MAA União da Juventude Socialista – UJS Caxias/MA, vem a publico manifestar apoio à candidatura da senhora Dilma Vânia Rousseff a reeleição.

Não se pode fugir da luta e do imenso desejo de ver o nosso Brasil continuar crescendo: O país avançou muito nos últimos 12 anos, e os programas de inclusão social criado pelo governo Dilma permitiu a Juventude brasileira educação, saúde e mais oportunidades no mercado de trabalho.

Jamais poderíamos esquecer o massacre patrocinado pelo governo do PSDB a juventude brasileira, o mesmo sucateou as universidades federais, nesta época não se via escolas técnicas, não tínhamos empregos, e nem possuímos o direito de sonhar.

Com o presidente Lula a esperança venceu o medo e nós voltamos a sonhar com um Brasil melhor e mais justo, Dilma chegou e com ela veio o Pronatec, Prouni, Fieis mais acessível, Minha Casa Minha Vida, Escolas Técnicas dentre outros, nossos sonhos não podem ser interrompidos e por isso vamos caminhar com Dilma.

Diante dos fatos, afirmamos que a UJS-CAXIAS-MA, segue firme e inabalável com Dilma 13, para que o nosso país continue seguindo nos trilhos do desenvolvimento.

Caxias, 23 de Outubro de 2014.

Uma eleição inesperada no caminho de Humberto Coutinho

humbertoJorge Aragão – Apesar de ser, até o momento, candidato único a presidência da Assembleia Legislativa, o deputado estadual eleito e ex-prefeito de Caxias, Humberto Coutinho (PDT), ainda não pode comemorar.

Depois de ter conseguido, através de consenso, a desistência do deputado estadual reeleito Othelino Neto (PCdoB), Humberto Coutinho tem uma nova preocupação pela frente, uma eventual eleição inesperada na Assembleia Legislativa.

Como cresce a cada dia a possibilidade da governadora Roseana Sarney (PMDB) deixar o cargo antes do fim do mandato, poderíamos ter duas eleições até o fim do ano, uma para o Governo do Maranhão e outra para a presidência da Assembleia.

Após 30 dias a governadora Roseana deixar o cargo, o governador em exercício, o presidente da Assembleia Legislativa, Arnaldo Melo (PMDB), seria obrigado a realizar eleições e a tendência é que o próprio seja eleito governador para cumprir os dias restantes de mandato.

No entanto, com a eventual eleição de Arnaldo Melo para o Governo do Maranhão, o presidente da Assembleia em exercício, o 1º vice-presidente Max Barros (PMDB), realizará eleição para a presidência do parlamento em substituição a Arnaldo Melo.

A estratégia que vai sendo costurada é eleger um deputado estadual reeleito, pois assim o novo presidente, já sentado na cadeira, poderia ser um adversário forte numa eventual disputa contra Humberto Coutinho.

Pelo visto a eleição da Assembleia Legislativa vai manter a tradição dos últimos pleitos, ou seja, só será decidida as vésperas do dia de votação, como bem sabe o deputado estadual Ricardo Murad (PMDB).

Roseana pode renunciar. Arnaldo terá direito a aposentadoria de R$ 25 mil

A governadora do Maranhão, Roseana Sarney, filha do senador do Amapá José Sarney, ambos do PMDB, estaria pensando em deixar o comando do governo no início do mês de novembro. A informação, que corre nos bastidores do estado nordestino, é que a governadora não deseja passar a faixa ao governador eleito e ex-presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) Flávio Dino (PCdoB). As informações são do Poder Online.

A justificativa para a renúncia é que Roseana ficaria “extremamente constrangida” com a transmissão do cargo a um político da oposição. A filha de Sarney, aliás, já anunciou que não deve mais disputar qualquer cargo político. No auge da carreira, a governadora chegou a ser um dos nomes fortes do antigo PFL (atual DEM) para disputar à Presidência da República. Agora, Roseana e seu pai, José Sarney, enfrentam altos índices de rejeição popular pelo péssima administração que ela fez no que seria o melhor governo da sua vida (acabou se transformando no pior governo da vida dos maranhenses).

Um detalhe na renúncia, no entanto, não pode passar despercebido. Caso opte por deixar o governo faltando apenas um mês para encerrar o mandato, quem assume o estado é o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado Arnaldo Melo (PMDB), que não renovou o mandato por ser o vice do candidato derrotado ao governo Edison Lobão Filho, também do PMDB. O parlamentar, que faria um “mandato relâmpago”, terá direito a uma aposentadoria vitalícia de aproximadamente R$ 25 mil.

Há 19 anos, o Curso Wellington vem ajudando as pessoas a mudarem de vida através da Educação

Ser parte de uma empresa é como ter mais uma família: nos preocupamos com ela, cuidamos e queremos vê-la melhorar cada vez mais.

Há 19 anos, o Curso Wellington vem ajudando as pessoas a mudarem de vida através da Educação. Todos nós, professores, alunos, equipe e funcionários do Curso Wellington somos responsáveis pelo desenvolvimento deste sonho que hoje é um instrumento de transformação na vida de cada aluno que passa e já passou pela instituição.

Estamos conscientes que o nosso foco tem sido sempre em fazer o nosso melhor, com o objetivo de sermos o melhor que podemos ser e não com o desejo egoísta de alcançar o sucesso a qualquer custo. É isso que faz esta empresa tão especial.

Todo o sucesso que alcançamos é fruto de um trabalho árduo, é uma mera consequência. Comemoramos mais um ano de lutas e de vitórias. Parabéns aos professores, alunos, ex-alunos, funcionários e a toda a equipe do Curso Wellington pela trilha luminosa que estamos descrevendo na vida de tantos maranhenses.
Os resultados alcançados por todos nós são frutos da serenidade e afinco com que se cumprem as diretrizes traçadas.

Quero neste dia renovar junto com os meus amigos e colegas de trabalho os votos de muitas alegrias e sucessos crescentes. Tudo o que até agora foi construído deve-se a um esforço conjunto aliado a alta capacidade individual de cada um. A minha oração é que Deus continue iluminando os nossos caminhos para que possamos progredir ainda mais e que a união que nos apoia e nos faz crescer seja cada vez maior, fazendo com que cada vez mais sejamos esta grande família, diferente, mas sempre unida.

O PT no Maranhão pós-eleição

ptA direção regional do Partido dos Trabalhadores no Maranhão já tem um caminho definido no estado, qualquer que seja o resultado da disputa presidencial entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).

No estado, vencendo a eleição nacional, a legenda seguirá na oposição ao governo estadual. Pelo menos nos primeiros momentos. Até que as várias correntes do partido se realinhem para buscar um espaço de poder no futuro governo Flávio Dino (PCdoB), os petistas maranhenses vão estar numa espécie de quarentena.

E o resultado do pleito presidencial terá forte influência nesse período. Se vencer com Dilma, a corrente majoritária, hoje mais enfraquecida com a derrota nas urnas, é verdade, manterá os espaços de poder no Maranhão. E poderá ampliá-lo numa eventual aliança com Dino.

Se perder a eleição presidencial, aí sim a situação dos petistas maranhenses estará mais complicada, já que sairão do pleito com uma derrota em todos os níveis eleitorais. Mas ainda assim o partido manterá o mesmo cacife político, com a força do tempo que detém na propaganda eleitoral.

E é este cacife que a legenda quer usar nas negociações de aliança para as eleições de 2016, por exemplo. E é por causa deste cacife que o PT maranhense já começou a se aproximar do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PTC). E o movimento do prefeito na mesma direção também já existe. De uma forma ou de outra, portanto, o partido de Dilma Rousseff começou a desenhar o futuro no Maranhão logo após o resultado do primeiro turno. (coluna Estado Maior)

Rosário quer PAZ!

Por Calvet Filho

Rosário quer paz! Eu quero paz! Louvável todos os comentários que já vi, li e reli. Reflete nada mais nada menos que o descontentamento e indignação de toda uma população que ao longo dos anos presenciou de perto a transformação de uma cidade de paz em cidade de guerra! E volto a perguntar como assim já fiz em outras postagens: De quem é a culpa? O que faremos? Voltando no tempo me recordo de muitas caminhadas já realizadas aqui em Rosário na tentativa de combater a violência e o extermínio de jovens.

Igrejas Evangélicas e Católica, sociedade civil organizada e lideranças políticas já fizeram ou participaram de passeatas e caminhadas e infelizmente nada mudou. Sou a favor de uma caminhada pela paz, eu mesmo já fiz muitas e o que ganhamos com essas caminhadas? Alguns dias de paz, mas a verdadeira paz vem de Jesus. A paz só virá com atitudes, ações e infelizmente o que temos visto é a delegação de responsabilidade de nossos representantes constituídos que não fizeram, não fazem e não tem interesse em fazer. Vi uma postagem da maior autoridade do município para esperarmos o próximo governo assumir, até lá, mesmo faltando dois meses, quantos jovens morrerão?

Quantos assaltos a lojas teremos que presenciar? Já vimos de tudo aqui, e o que mais dói é ver o trabalhador sendo chamado de vagabundo e o vagabundo sendo tratado como cidadão de bem, pois, esse é o sentimento que a impunidade gera. Queremos chamar a atenção, então façamos uma caminhada em um dia de semana onde encontraremos a prefeitura aberta, a Câmara municipal aberta, Defensoria Pública, Ministério Público… Vamos fechar as lojas, os postos, os comércios, temos que nos unir mesmo. Mostrar que cidade pede socorro! Um dia que se fechar o comércio local em protesto não deixará ninguém mais pobre e é muito melhor do que perder a vida!

Sou cidadão, e assim como vocês, não aguento mais ver essa onda de violência e que onda nada, onda passa, mas aqui perdura. Outro ponto para finalizar, friso aquela que tem o papel mais importante de todos na sociedade, a família, o que temos feito para cuidar dos nossos filhos, que exemplos temos dado? Não conseguir encontrar ainda o culpado, pois, todos nós podemos fazer a mudança que queremos e precisamos. Mas só podemos mudar os outros, se mudarmos primeiro!

Eu faço parte da mudança…

Em entrevista, Clayton Noleto fala sobre obras e diretrizes da Sinfra

Entre as prioridades apontadas pelo próximo secretário estão o diálogo com a classe empresarial

 

Em entrevista, o secretário de Infraestrutura apresentado por Flávio Dino para comandar a pasta a partir de 1º de janeiro de 2015 afirmou que as obras do recurso do empréstimo ao BNDES serão tocadas e concluídas no próximo Governo.

Segundo Clayton Noleto, já existe um esforço em conhecer a pasta e a situação financeira do Estado para garantir que os recursos dessas obras sejam apresentadas de forma transparente para o próximo governo, para que a população não seja prejudicada com a troca de nomes.

Entre as prioridades apontadas pelo próximo secretário estão o diálogo com a classe empresarial mantendo “um clima de respeito e independência” de ambas as partes. Clayton é oriundo da Região Tocantina e afirma que todas as regiões serão contempladas com as ações no Governo Flávio Dino.

1 – O Maranhão é um estado que tem muitos problemas infraestruturais a serem resolvidos. Qual será a sua prioridade na pasta?

Vamos cumprir o Programa de Governo, cujo conteúdo foi elaborado em amplo debate com todos os setores da sociedade: concluir todas as obras vinculadas aos recursos do BNDES, obras cuja responsabilidade é do Governo Estadual, e combater a corrupção. Vamos apoiar as prefeituras na recuperação permanente das estradas vicinais, especialmente as destinadas ao escoamento da produção. Essas medidas vão abranger todas as regiões do Maranhão – muitas delas, que foram relegadas ao esquecimento ao longo dos anos. Vamos fazer tudo isso com transparência, agilidade e eficiência, num clima de respeito e independência em relação ao setor privado.

2 – E as obras não concluídas pelo atual governo, qual o tratamento que será dado a partir de 1º de janeiro?

Esse tema será tratado com seriedade. Uma das nossas solicitações diz respeito ao demonstrativo de obras em andamento, com informações detalhadas do que foi entregue ou não está concluído. Conhecemos os problemas de mobilidade urbana nas grandes cidades e trataremos as obras da Via Expressa, do Corredor Metropolitano e da Quarto Centenário com a atenção devida. Outro caso que terá nossa total atenção é o da MA-008, a famosa “Paulo Ramos-Arame”, importante para escoamento da produção e facilitar o deslocamento, acesso a serviços de saúde, educação. Essa obra, que foi integralmente paga e nunca foi feita, será o símbolo da inauguração de um novo momento no governo do Maranhão. Vamos fazer essa estrada, importante para o desenvolvimento do estado.

3 – Como o senhor pretende conduzir o Programa de investimentos em infraestrutura do BNDES no Maranhão, conhecido pela polêmica criação do Fundema?

Primeiramente, é necessário conhecer com detalhes a real situação de todos os convênios e estamos fazendo isso nesse período de transição. Saber quanto existe em caixa, quanto já foi gasto e o que ficará para executar no próximo Governo. Já estamos tomando ciência de todo o programa de investimentos previsto no BNDES e vamos acompanhar a execução, obra a obra, para que o dinheiro público seja finalmente revertido em benefícios para todos os maranhenses; e isso será levado ao conhecimento dos maranhenses. Nossa prioridade será garantir a conclusão de todas as obras oriundas do financiamento do BNDES.

4 – O senhor tem destaque em Planejamento Estratégico e, nessa área, o Maranhão precisa transformar as obras em mais desenvolvimento. Como fazer isso no novo governo?

Vamos colocar em prática o compromisso do Governador eleito – garantir o combate à corrupção e ao desperdício. E isso nós vamos fazer com diálogo permanente com o setor privado, aumentando a celeridade e qualidade das obras, assegurando transparência e probidade nas despesas do Estado. Os investimentos serão feitos em sintonia com as diretrizes estabelecidas pelo Flávio. Temos um estado rico e capaz de produzir em todas as regiões, por isso, as obras não podem ser feitas aleatoriamente. Elas devem estar sintonizadas com as necessidades de cada região. O nosso esforço será feito nesse sentido.

Deputado denuncia licitação abusiva e pede convocação de secretário

Marcelo anunciou que apresentará um requerimento de convocação para pedir explicações ao secretário responsável pela pasta, diante da Assembleia Legislativa

 

O deputado estadual Marcelo Tavares (PSB), coordenador da equipe de Transição de Flávio Dino, denunciou na Assembleia Legislativa, na manhã desta quarta-feira (22), uma suspeita licitação no Sistema Penitenciário, que resultará em gastos equivalentes ao dobro dos investimentos por preso na média nacional. Marcelo anunciou que apresentará um requerimento de convocação para pedir explicações ao secretário responsável pela pasta, diante da Assembleia Legislativa.

“Começo a ficar preocupado e assustado e começo a não acreditar na boa vontade do Governo para fazer a transição. Parece que não aceitam o resultado das urnas”, disse Marcelo Tavares ao relatar a licitação que será conduzida amanhã (quinta) pelo Governo Estadual.

De acordo com o deputado, o mais grave é que o contrato que será licitado terá permanência de dois anos. O contrato terá valor de R$ 1,3 bilhão e equivale a 10% do orçamento total do Estado, o que significa um gasto de R$ 8.891,00 por mês para cada preso. A média nacional de gastos no setor é de aproximadamente R$ 4 mil, metade do que prevê o contrato licitado por Roseana Sarney às vésperas de deixar o cargo de governadora.

O deputado Marcelo Tavares ressaltou que não é contra investimentos no Sistema Penitenciário, nem o trabalho da ressocialização dos apenados, mas não poderá aceitar abusos. Ele completou ainda que o valor destinado para terceirização do sistema prisional equivale a praticamente o valor que se destina à educação.

Ao tomar ciência da denúncia, o deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) garantiu que além de convocar o secretário de Justiça e Administração Penitenciária, o grupo de deputados recorrerá ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) e ao Poder Judiciário para impedir essa licitação. “Ainda consigo me surpreender com esse governo, fazer esse tipo de coisa no apagar das luzes”, lamentou Othelino Neto.

O deputado Bira do Pindaré também se manifestou sobre o assunto, assegurando que a bancada cumprirá seu papel até o último dia. ” Ficaremos vigilantes e atentos até o último segundo para inibir qualquer abuso”, garantiu.

Ao finalizar o discurso, Marcelo Tavares confirmou o que foi dito pelo deputado Bira. “Licitações como essa eu acho que são um ataque ao povo maranhense. Ficaremos atentos a tudo que vai acontecer até 31 de dezembro”, concluiu.

DEU NO BLOG MARRAPÁ: Wellington do Curso pode ser candidato à presidência da AL

Neto Cruz – Em entrevista semana passada na rádio Capital AM, o recém-eleito deputado estadual Wellington do Curso (PPS), ‘deixou no ar’ que estaria disposto a concorrer à eleição para presidência da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão.

O que deixa Wellington em uma situação favorável, caso venha a concorrer, é o fato de ter sua trajetória política independente, sem conchavos, sem dinheiro público e partidário, sem padrinhos políticos e sempre levando mensagens de renovação política,.

É como diz o ditado: “Onde há fumaça, há fogo”.