Marco Aurélio visita escolas públicas em Davinópolis e João Lisboa

Marco Aurélio leva secretário Adjunto de Educação a escolas que devem ganhar reformas

Em defesa da melhoria da qualidade educacional da Região Tocantina, o deputado Professor Marco Aurélio (PC do B) acompanhou o secretário adjunto da Educação, Fábio Rondon, e equipe técnica, às escolas Francisco Alves e Rio Amazonas, respectivamente, nas cidades de Davinópolis e João Lisboa.

Marco Aurélio leva secretário Adjunto de Educação a escolas que devem ganhar reformas
Marco Aurélio leva secretário Adjunto de Educação a escolas que devem ganhar reformas

Em março, o parlamentar reuniu com a secretária estadual de Educação, Áurea Prazeres, a fim se solicitar a reforma de quatro escolas e suas respectivas quadras esportivas na região Tocantina. Pouco mais de dois meses após o primeiro contato, a comitiva visitou as escolas para conhecer as necessidades apresentadas pelo deputado.

A equipe da Seduc conheceu a estrutura das escolas para, a partir daí, realizar o planejamento técnico e divulgado o cronograma das obras.

Marco Aurélio reforçou a importância de melhorar a qualidade das escolas e o reflexo na qualidade do ensino. “Precisamos estimular os jovens, fazer com que eles sintam prazer em frequentar suas escolas. Esse é apenas o primeiro passo, em seguida queremos melhorar também a qualidade do ensino, dando todas as chances para seu crescimento,” afirmou.

Além das duas escolas, Marco Aurélio busca as reformas das escolas estaduais Nova Vitória, localizada no Conjunto Vitória em Imperatriz e Vicente Yáñez Pinzón, na cidade de Governador Edison Lobão.

Desde o início de seu mandato, Marco Aurélio tem levantado a bandeira da necessidade da melhoria física das escolas maranhenses e a melhoria da qualidade do ensino. “Precisamos de um ambiente que propicie a aprendizagem. Precisamos investir cada vez mais na escola. Tanto na estrutura física, quanto na estrutura pedagógica, garantindo a melhoria da qualidade do ensino,” ressaltou o parlamentar.

O deputado Marco Aurélio está finalizando os últimos passos do convênio que irá garantir a reforma das quatro escolas e em breve a secretária estadual de Educação anunciará o cronograma de execução.

O secretário adjunto de Educação, Fábio Rondon, destacou o compromisso do governo. “Temos um foco com a estruturação da rede estadual de ensino. Na região Tocantina temos tido o mandato do deputado Marco Aurélio como parceiro desta construção. Através desse convênio e da parceria com a secretaria de educação, essas escolas terão condições melhores para desenvolver suas atividades”.

Número de novos contratos do Fies caiu quase 50% entre 2014 e 2015

No 1º semestre de 2014, foram fechados cerca de 480 mil novos contratos.
No mesmo período de 2015, quantidade caiu para 252.442, diz ministro.

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) sofreu uma redução de quase 50% na quantidade de novos contratos firmados entre o primeiro semestre de 2014 e o primeiro semestre de 2015. Segundo o levantamento final da plataforma do Fies, divulgado pelo Ministério da Educação na tarde desta segunda-feira (4), a queda foi de 480 mil no ano passado, para 252 mil neste ano, o equivalente a 47,5%. O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirmou que esses 252 mil contratos consumiram toda a verba do Fies para novos financiamentos em 2015, equivalentes a R$ 2,5 bilhões. Por isso, uma segunda edição do programa, no segundo semestre, ainda não está garantida.

“Depende da disponibilidade orçamentária”, disse ele, em entrevista coletiva em Brasília, quando questionado sobre a possibilidade. “Estamos trabalhando nisso, mas não podemos prometer algo que não temos certeza.”

Caso o MEC não abra uma nova edição do programa, o número de novos contratos doFies em 2015 seria 65,6% menor que o total de novos financiamentos abertos em 2014 (cerca de 731 mil, segundo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, FDNE). Trata-se do número mais baixo dos últimos quatro anos.

Neste primeiro semestre, a demanda por novos contratos do Fies avançou um pouco em relação ao do ano passado. Secretário-executivo do MEC, Luiz Cláudio Costa, cerca de 500 mil estudantes buscaram o programa para tentar financiar um curso de ensino superior, mas por volta de metade deles acabaram ficando de fora.

Fies na Justiça
Segundo reportagem do Jornal Nacional, o MEC foi notificado por volta das 19h desta segunda-feira (4) sobre a decisão da Justiça Federal de Mato Grosso que determinou a reabertura do Fies para novos contratos, por tempo indeterminado (assista na reportagem abaixo). Na tarde desta segunda, porém, o ministro da Educação já havia informado que o ministério recorreria “imediatamente” da decisão.

“Entendemos que, não havendo mais recursos, a reabertura do sistema seria meio inútil”, disse Janine.

Segundo o secretário-executivo do MEC, Luiz Cláudio Costa, os recursos do Fies são limitados, mas que, “mesmo em ano de ajuste fiscal” o governo tem compromisso com a educação.

“Na próxima edição, queremos que todos saibam quantas vagas serão. Ele vai saber que o curso X na instituição X tem tantas vagas. Ele vai concorrer de forma transparente pela sua nota do Enem”, explicou Costa.