Assis Filho participa do lançamento da campanha vidas negras

Aaaa vidas negras

O secretário nacional de juventude, Assis Filho, participou na tarde desta terça-feira (07/11), do lançamento da campanha “Vidas Negras”, pelo fim da violência contra os jovens negros. Principal atividade do Sistema ONU Brasil no mês da Consciência Negra, a iniciativa inclui vídeos e peças que abordam diferentes facetas da questão, que vão da discriminação como obstáculo ao exercício da cidadania plena; passam pelo tratamento desigual de pessoas negras em espaços públicos; chegando até o problema da filtragem racial (escolha de suspeitos pela polícia, com base exclusivamente na cor da pele).

“É inadmissível que a cada 100 assassinatos ocorridos no Brasil, 71 sejam contra jovens negros”, afirmou Assis. Na campanha, esses números são apresentados pelos artistas Érico Brás, Taís Araújo, Elisa Lucinda e o Dream Team do Passinho. Os vídeos deverão ser veiculados ao longo de um ano, nos meios de comunicação. De acordo com o Mapa da Violência, lançado pela Secretaria Nacional de Juventude em parceria com a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), um homem negro tem até 12 vezes mais chance de ser vítima de homicídio no Brasil que um não negro.

“Estudos mostram que afrodescendentes são discriminados ou excluídos devido ao racismo institucional”, explicou o coordenador residente da ONU, Niky Fabiancic. “O racismo mata e não podemos ser indiferentes. Podemos e devemos fazer a diferença. Não devemos deixar ninguém para trás.” O Brasil é um dos 193 países comprometidos com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.  E um dos principais compromissos dessa nova agenda é não deixar ninguém para trás em relação às metas de desenvolvimento sustentável.

Para Luana Vieira, representante da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) do Ministério dos Direitos Humanos, o racismo institucional está presente em todos os espaços de poder. “Não podemos permitir essa exposição seletiva”, disse a jovem negra, que saiu de uma favela de Belo Horizonte (MG) para estudar Direito “graças à política de cotas raciais”. Ela destacou a importância da “representatividade em diversos espaços” para “iniciar a mudança”.

Para Assis Filho, é necessário uma força-tarefa de toda a sociedade para reverter esse quadro.  “Vamos combater o racismo com o fortalecimento das políticas afirmativas em favor do negro”. A SNJ pretende lançar, no próximo dia 20, Dia da Consciência Negra, o Índice de Vulnerabilidade Juvenil (IVJ) de 2017, ano-base 2015, com recorte de gênero, raça e por município. 

“Índice de vulnerabilidade juvenil será atualizado”, diz Assis Filho

O secretário nacional de Juventude, Assis Filho, se reuniu na manhã desta segunda-feira (06/11) com o presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio Lima, com a oficial de Projetos da Unesco no Brasil e ponto focal da área de juventude na instituição, Luciana Amorim, e com representantes da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) do Ministério dos Direitos Humanos para tratar da atualização do Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e Desigualdade Racial (IVJ – Violência e Desigualdade Racial).

A atualização do Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência foi encomendada ao Fórum Brasileiro de Segurança Pública pela Secretaria Nacional de Juventude com o objetivo de subsidiar as ações do novo Plano Juventude Viva. O novo relatório terá como ano base 2015 e as fontes de dados utilizadas são do IBGE (PNAD 2015, Censo Demográfico 2010, projeções populacionais) e o Datasus (Sistema de Informações de Mortalidade – SIM). O IVJ 2017 deverá ser divulgado ainda no mês de novembro, Mês da Consciência Negra.

Esta é a segunda vez que o Índice de Vulnerabilidade Juvenil será atualizado. A primeira foi em 2014 e tinha como ano base 2012. E a primeira vez que o estudo foi realizado foi em 2009, ano base 2007. O relatório leva em consideração os níveis de exposição do contingente juvenil à violência urbana, a permanência na escola, a forma de inserção no mercado de trabalho e o contexto socioeconômico do município de residência desses jovens e adolescentes.

Assis Filho recebe o governador do Espírito Santo

Na tarde dessa terça-feira (31), o governador em exercício do Espírito Santo, César Colnago (PSDB), fez uma visita de cortesia ao secretário Nacional de Juventude, Assis Filho. Eles conversaram sobre os avanços do Programa ID Jovem no estado. De acordo com o último levantamento da Secretaria Nacional de Juventude (SNJ), até outubro foram geradas 7.754 carteiras em todo o estado. Também participaram da reunião, o coordenador-Geral de Políticas Transversais da SNJ, Vitor Otoni e o chefe de gabinete, Kécio Rabelo.

O programa ID Jovem garante a meia-entrada em cinemas, teatros, shows e eventos esportivo, além de direito a duas vagas gratuitas e duas vagas com 50% de desconto no transporte interestadual, por veículo, embarcação ou comboio ferroviário. Todos esses benefícios são garantidos pelo Estatuto da Juventude – Lei nº 12.852/2013. Têm direito ao benefício qualquer brasileiro de 15 a 29 anos que pertence a famílias com renda mensal de até dois salários mínimos.

O secretário Assis Filho também falou sobre o Programa Juventude Viva, com ações de prevenção à violência contra a juventude negra. Para o secretário, a presença institucional do Governo Federal junto às esferas estaduais e municipais, por meio do Programa, estimula a integração das ações, ampliando as oportunidades de atuação conjunta entre os governos no combate ao racismo e à violência.

Oposição usa estratégia para tentar garantir aceitação da denúncia contra Temer

Os líderes dos partidos de oposição na Câmara dos Deputados anunciaram que vão tentar derrubar a sessão desta quarta-feira (25), quando está prevista a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer. A medida é uma estratégia para ganhar tempo até que se chegue aos 342 votos necessários à autorização da abertura da investigação pelo Supremo Tribunal Federal. “Acredito que em mais uma semana ou dez dias conseguiremos criar o ambiente necessário para a aceitação da denúncia”, afirmou em entrevista coletiva o líder do PDT na Câmara, deputado Weverton Rocha.

O deputado explicou que até o momento nem governo, nem oposição têm votos suficientes. Mas ele acredita que a mobilização popular, por meio das redes sociais, pode alterar o quadro. “Estou convicto de que muitos deputados que votaram na primeira denúncia com o presidente Temer vão rever o voto”, afirmou.

Weverton Rocha disse ainda que o governo vem tentando cooptar parlamentares para rejeitar a denúncia, em troca de promessas de liberação de emenda, ou medidas que atendem os interesses de determinadas categorias. Mas acredita que a pressão popular aliada e a proximidade do ano eleitoral podem frustrar a tática do governo.

Hildo assume relatoria da política nacional contra dengue

O deputado federal Hildo Rocha foi escolhido para relatar o Projeto de Lei 1861/2015 que cria a política nacional de combate à dengue, à febre Chikungunya e à Zika. Os casos de microcefalia suspeitos de relação com a infecção pelo vírus Zika já superaram a marca de 4 mil no País.

DSCN0017

O parlamentar explicou que a proposta prevê incentivos à pesquisa científica para combater a doença e estabelece critérios para a elaboração de campanhas de conscientização; criação de mecanismos descentralizados para divulgar informações educativas sobre saneamento; e outros procedimentos que possam frear o surto de dengue e outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

“Tenho me dedicado nos últimos trinta dias a esse novo desafio com muita firmeza. Já conversei com especialistas, ouvi pesquisadores e cientistas e visitei famílias afetadas. Estamos diante de uma situação grave. Mas, asseguro que iremos dar a nossa contribuição para conter essa epidemia que atormenta o nosso país e o nosso Estado”, afirmou o parlamentar.  A proposta, de autoria do deputado Luiz Lauro Filho (PSB-SP), tem caráter conclusivo e precisa ser analisada pelas comissões de Finanças; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Se aprovado, o texto poderá seguir para o Senado, sem passar pelo Plenário da Câmara.

Em contato com a realidade –  Quando esteve em Presidente Dutra, recentemente, o deputado constatou o drama vivenciado pelas duas famílias que tiveram casos confirmados de bebês com microcefalia. Rocha lamentou que o governo estadual não estivesse dando a atenção que as famílias necessitam. “O governador Flávio Dino pouco tem feito para diminuir ou acabar com essa epidemia em nosso Estado. Ele tem investido muito em marketing pessoal e nada na saúde preventiva. Por isso que a situação de saúde do estado está dessa maneira”, declarou.

O parlamentar enfatizou que não há cura definitiva para a microcefalia, mas quando as crianças recebem o tratamento adequado, os impactos da doença podem ser suavizados e, assim, as vitimas poderão se desenvolver e ter uma qualidade de vida melhor. “Infelizmente o governo estadual tem sido omisso. A falta de sensibilidade de Flávio Dino atinge diretamente as famílias e os bebês afetados”, lamentou o deputado.

Empenho do governo municipal – O parlamentar destacou o empenho da equipe de saúde do município de Presidente Dutra. “O prefeito Juran e a sua equipe estão fazendo o que está ao alcance do município. Pude constatar um perfeito entrosamento entre as equipes de saúde da família e a coordenação da secretaria municipal de saúde da cidade. Mas a capacidade de atendimento da prefeitura não pode ser comparada com o Estado que dispõe de muito mais recursos financeiros que os municípios além de vários profissionais de saúde como médicos neuropediatras e outros especialistas que poderiam ser colocados à disposição das redes públicas municipais para realizar os primeiros atendimentos. Se isso fosse feito certamente essas crianças teriam ganhos extraordinários e a dor das famílias seria amenizada”, declarou Rocha.

Casos se alastram – Segundo dados oficiais, o Maranhão tem 181 casos de microcefalia notificados, até o início deste mês. Desse total 14 foram confirmados e a morte de uma criança, no município de Pedreiras, esta sob investigação das autoridades ligadas ao setor da saúde pública. Os municípios com casos confirmados são: Apicum-Açu; Colinas; Mata Roma; Paço do Lumiar; Presidente Dutra; Presidente Vargas; e São José de Ribamar.

WhatsApp fica instável no último dia do ano

Usuários do WhatsApp reclamam na tarde desta quinta-feira (31) que o serviço apresenta instabilidade. No Twitter, diversas postagens relatam que não é possível utilizar o aplicativo. Na tarde desta quinta, o assunto “meu WhatsApp” estava entre os assuntos mais comentados do Brasil no Twitter. No mundo, a hashtag #WhatsApp também estava entre os Trending Topics do microblog.

“Entrar no Twitter me consolou em saber que meu WhatsApp não foi o único que parou de pegar”, disse uma internauta. “Whatsapp parou de funcionar, isso é 2015 mostrando que ainda pode ferrar com a gente mesmo nas últimas horas do ano”, disse outro. Outros usuários relatam que o serviço havia caído, mas voltou a funcionar em seguida. O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa do Facebook, que comprou o WhatsApp em 2015, e aguarda retorno da empresa sobre os relatos de falha no serviço.

Há também relatos de instabilidade do aplicativo em outros países. Na Índia, um porta-voz do  WhatsApp disse à agência Reuters: “algumas pessoas tiveram problemas acessando o WhatsApp por um curto período mais cedo hoje”. No Twitter, também é possível encontrar reclamações de usuários de outros países. “Alguém mais tendo problemas com o WhatsApp?”, escreveu uma internauta da Escócia. Outro internauta respondeu a ela que “o WhatsApp caiu”.

“E eu pensei que era a única que estava tendo problemas com o WhatsApp”, postou outra da Malásia. “Alguém mais está tendo problemas para acessar seu WhatsApp?”, perguntou uma internauta do Reino Unido.

Nova estação da Rádio Nacional poderá ser instalada Maranhão

O deputado federal Hildo Rocha se reuniu com o Ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, e com o Diretor-presidente da EBC – Empresa Brasil de Comunicação, Américo Martins, para discutir sobre a instalação de uma estação da Rádio Nacional no Maranhão. A modernização das instalações da TV Brasil do Maranhão também foi debatida durante o encontro.

IMG-20151223-WA0000

As oito emissoras de rádio geridas pela EBC estão instaladas na Amazônia; em Brasília (DF); e no Rio de Janeiro. “A instalação de uma unidade da Rádio Nacional, no Maranhão será motivo de motivo de orgulho para todos nós. A história da radiodifusão brasileira está diretamente vinculada à Radio Nacional. A programação, da emissora é essencialmente voltada para a Educação, para a Cultura e prestação de serviços”, declarou Rocha.

Os veículos da EBC têm autonomia para definir produção, programação e distribuição de conteúdos. Atualmente, são veiculados conteúdos jornalísticos, educativos, culturais e de entretenimento com o objetivo de levar informações de qualidade sobre os principais acontecimentos no Brasil e no mundo para o maior número de pessoas.

O parlamentar ressaltou que o público ganhará, com a ampliação da oferta de programação radiofônica e o mercado de trabalho também será beneficiado. “Dezenas de vagas irão surgir, possibilitando o ingresso de novos profissionais no mercado de trabalho”, destacou.

TV Brasil – Rocha aproveitou o encontro para reivindicar melhorias de condições de trabalho para os profissionais da TV Brasil (Maranhão). “Após ouvir os servidores e técnicos da emissora, o novo gestor da unidade maranhense da TV Brasil, Jones Braga, elaborou um relatório elencando propostas para a reestruturação e modernização da emissora e pediu o nosso apoio”, revelou. “No que depender do nosso empenho acredito que em breve muita coisa será conquistada em favor dos profissionais e da TV Brasil do nosso Estado”, garantiu o parlamentar.

EBC – Criada em 2007 para fortalecer o sistema público de comunicação, a EBC – Empresa Brasil de Comunicação é gestora dos canais TV Brasil, TV Brasil Internacional, Agência Brasil, Radioagência Nacional e do sistema público de Rádio, composto por oito emissoras: Nacional do Alto Solimões (FM); Nacional do Alto Solimões (AM) Nacional de Brasília (FM); Nacional de Brasília AM; Nacional Amazônia; Nacional Rio AM; MEC FM Rio; e MEC AM Rio.

Mineiro é campeão

403656_670x446.98571428571427 (1)

O brasileiro Adriano de Souza, 28 anos, é o novo campeão mundial de surf e do Billabong Pipe Masters. Nesta quinta-feira, Adriano chegou à grande final em Pipeline e ultrapassou o australiano Mick Fanning, que vinha liderando o ranking, mas caiu diante de Gabriel Medina na semifinal. Depois de superar várias baterias dramáticas, Adriano encontrou o local Mason Ho na segunda semifinal e não decepcionou, vencendo o havaiano para manter o reinado brasileiro na divisão de elite do surf mundial. Emoção – Depois de um duelo muito acirrado que terminou com o placar de 6.83 a 3.83, a emoção tomou conta das areias de Pipeline. A torcida cercou o novo campeão mundial e fez uma merecida festa para “Mineirinho”. Muito emocionado, Adriano não conseguiu segurar as lágrimas e dedicou o título a Ricardo dos Santos e ao irmão, Ângelo, o “Mineiro”, de quem herdou o apelido.

Zuckerberg festeja desbloqueio do WhatsApp

O presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, agradeceu à comunidade brasileira ao comemorar o desbloqueio do WhatsApp no Brasil, aplicativo adquirido pela rede social por US$ 22 bilhões em outubro de 2014. O aplicativo passou mais de 12 horas bloqueado no país, desde 0h desta quinta-feira (17), devido a uma decisão judicial de primeira instância em São Bernardo do Campo (SP). Após o aplicativo de mensagem passar mais de 12 horas bloqueado no país, as operadoras foram liberadas para restabelecer o acesso ao serviço, o que aconteceu por volta de 12h50.

“WhatsApp está de volta no Brasil! Suas vozes foram ouvidas e o bloqueio foi suspenso. Obrigado à nossa comunidade pela ajuda para resolver isso!”, escreveu o executivo em sua página na rede social, declarou Zuckerberg. Assim que o bloqueio começou, a partir das 0h desta quinta-feira (17), o empresário tinha dito que “este é um dia triste para o país”. “Até hoje o Brasil tem sido um importante aliado na criação de uma internet aberta. Os brasileiros estão sempre entre os mais apaixonados em compartilhar suas vozes online“, afirmou o executivo.

Convocação – “Estou chocado pelo fato de nossos esforços para proteger dados pessoais resultarem na punição de todos os usuários brasileiros do WhatsApp, pela decisão extrema de um único juiz. Esperamos que a justiça brasileira reverta rapidamente essa decisão. Se você é brasileiro, por favor faça sua voz ser ouvida e ajude seu governo a refletir a vontade do povo”, conclamou. O fim do bloqueio foi decidido pelo desembargador Xavier de Souza, da 11ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo. O magistrado concedeu liminar para que as operadoras de telefonia móvel reativasse o acesso ao serviço de bate-papo. “Em face dos princípios constitucionais, não se mostra razoável que milhões de usuários sejam afetados em decorrência da inércia da empresa [em fornecer informações à Justiça]“, escreveu Souza.

Investigação – O bloqueio do WhatsApp tinha sido determinado por uma juíza de São Bernardo do Campo, região do ABC paulista, em ação que corre em segredo de Justiça. Segundo o processo, a empresa descumpriu pedidos judiciais para fornecer informações para uma investigação em curso. “É possível, sempre respeitada a convicção da autoridade apontada como coatora, a elevação do valor da multa a patamar suficiente para inibir eventual resistência da impetrante”, registrou ainda o desembargador. Antes do desbloqueio, o Facebook enviou mensagens aos celulares dos usuários: “Estamos trabalhando para restaurar o WhatsApp. Enquanto isso, use o Messenger”.

PV Jovem se reúne com bancada verde em Brasília

Representantes do PV Jovem de vários estados estiveram reunidos hoje, em Brasília, com parlamentares da bancada do Partido Verde na Câmara dos Deputados e o presidente da legenda, José Luís Penna. O líder do PV, deputado Sarney Filho (MA), fez um balanço das iniciativas do partido, respondendo às perguntas dos participantes sobre a Conferência Mundial do Clima COP 21, em Paris, o desastre ocorrido em Mariana, com o rompimento da barragem de mineração da empresa Samarco e o cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos, entre outros temas. Estiverem presentes, além do líder, os deputados Evair Melo (ES), Evandro Gussi (SP) e Leandre (PR).

12360398_623187174496521_3811593854327782468_n

O líder afirmou que os verdes têm sido protagonistas na discussão dos temas socioambientais no Congresso Nacional e adota uma atitude proativa, como ocorreu com a presença do partido em nível federal e também na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, no caso de Mariana. “Desde o anúncio dessa tragédia temos sido incansáveis na apuração do que ocorreu e também na cobrança de punição para os responsáveis”, afirmou o deputado, que é o coordenador da Comissão Externa da Câmara dos Deputados que acompanha os desdobramentos da tragédia, que destruiu a cidade de Bento Gonçalves, matou pessoas, e contaminou o rio Doce.

Sarney Filho fez um relato dos resultados da COP 21. “Na verdade, o acordo de Paris é uma grande carta de intenções. Os países se comprometeram a avançar no controle das emissões dos gases que agravam o aquecimento do planeta, mas não foram fixadas metas. O Brasil já havia assumidos metas voluntárias, mas precisamos ficar atentos e cobrar ações mais enérgicas do governo para conter os desmatamentos, investir em energias alternativas e no desenvolvimento sustentável”, afirmou o líder.