Zé Inácio participa do lançamento da pré-candidatura de Lula

O Deputado Estadual (PT) Zé Inácio esteve nesta quinta-feira 25/01, na reunião da Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), na Central Única dos Trabalhadores (CUT), em São Paulo, que realizou o lançamento da pré-candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à presidência da república.  Um dia depois do golpe na democracia brasileira, onde o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) condenou injustamente Lula.
Para o partido, a condenação do ex-presidente foi um julgamento político para enfraquecê-lo, mesmo assim Lula foi aclamado pela militância e disse “aceitar a empreitada”. A presidenta do PT, senadora Gleisi Hoffmann, anunciou o início das discussões em torno do programa de governo que será coordenado pelo ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.
O Deputado Zé Inácio reafirmou que o plano do PT sempre foi a candidatura de Lula, mesmo após a condenação dele em segunda instância. “Além do lançamento da candidatura temos o objetivo de recuperar a democracia e inocentar Lula. Pois ele é perseguido porque lidera as pesquisas de intenção de voto e não é isso que vai nos tirar a vontade de seguir lutando e vencer nas urnas com a vontade do povo”, acrescentou.
Com o lançamento da pré-candidatura, no programa de governo serão criados grupos temáticos a partir da coordenação com ligações em todos os diretórios estaduais. A previsão é que até o dia 15 de março as propostas tenham sido entregues para ajudar na elaboração do programa.
A partir daí essa comissão começa a processar e submeter às instâncias partidárias as propostas até o dia 15 de maio, prazo para ter um plano constituído. Também serão realizadas plenárias presenciais em todos os estados e também pela internet, algumas com a participação do pré-candidato Lula. Também foram divulgadas durante a reunião da executiva nacional alguns detalhes da quarta etapa do projetoLula Pelo Brasil, que vai levar as caravanas ao sul do país na última semana de fevereiro.
Também participaram do lançamento da candidatura A presidenta eleita Dilma Rousseff , presidenta do PT, a senadora Gleisi Hoffmann, os governadores do PT: de Minas Gerais, Fernando Pimentel; do Piauí, Wellinton Dias; do Acre, Tião Viana; da Bahia, Rui Costa; do Ceará, Camilo Santana, os líderes do PT na Câmara, Paulo Pimenta, e no Senado, Lindbergh Farias, assim como o líder da oposição, Humberto Costa, o coordenador do MST, João Pedro Stédile, o coordenador da CUT, Vagner Freitas e outros dirigentes sindicais, e principais lideranças do partido no Brasil.

“Não há vermelho nas cores do PSDB”, afirma Doria

“O senador Roberto Rocha pode estar certo, que da mesma forma que eu estou aqui hoje, como prefeito da cidade de São Paulo, eu voltarei tantas e tantas vezes forem necessárias para apoiar este homem no seu objetivo de ser governador do Maranhão”, disse o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), durante seu discurso no escritório do senador Roberto Rocha (PSDB), em São Luís.

As palavras do prefeito foram recebidas com efusivos aplausos da plateia, composta em sua maioria por prefeitos, empresários, vereadores, além de correligionários do PSDB municipal e estadual, que fizeram questão de prestigiar a recepção que o senador maranhense organizou ao prefeito da maior cidade do Brasil, na tarde desta quinta-feira, 30.

Além de defender a pré-candidatura de Roberto Rocha ao governo do Maranhão, em seu pronunciamento, Doria afirmou ainda que o PSDB não deve fazer alianças com partidos de esquerda. “A cor vermelha não é a alma, nem a cor do PSDB, pois nós defendemos uma política liberal, que vai gerar empregos. Nós não queremos dependentes. Quem gosta de dependentes é o PT, o PC do B e PDT, partidos que querem escravos, que querem ter o direito de dizer a cada uma dessas pessoas em quem deve ou quem não devem votar”, afirmou.

Assis Filho lança ID Jovem no Amazonas

O programa ID Jovem continua avançando e já conta com aproximadamente 400 mil beneficiários em todo o Brasil. Hoje, ele foi lançado no Amazonas e o evento ocorreu em Manaus, no salão Bossa Nova, na Arena da Amazônia e contou com a presença do Secretario Nacional da Juventude, Assis Filho, da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), Janaina Chagas, do vereador François Matos, representando a câmara municipal de Manaus e da deputada Alessandra Campelo, representando a assembleia legislativa do estado do amazonas.

Aaa snj amazonas 4

No Amazonas, mais de 470 mil jovens podem ser beneficiados com as vantagens do ID Jovem. Já na capital, Manaus, são mais de 137 mil pessoas, entre 15 e 29 anos, com direito ao benefício.

“Lançar o programa ID Jovem no estado do Amazonas é um gesto muito simbólico do governo brasileiro com a Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer, que está com uma gestão nova, com menos de dois meses. A SNJ quer dar apoio e acompanhamento a esta pasta e trazer o ID Jovem para cá é uma forma de mostrar que o Norte do Brasil está sendo olhado com carinho por nós. Hoje tivemos a oportunidade de lançar o programa em uma comunidade ribeirinha e esperamos expandir a ID Jovem por todo o Brasil”, afirmou o secretário de juventude Assis Filho.

Aaa snj amazonas 1

“A Assembleia, o Procon, o Governo Federal através do nosso Secretario Nacional Assis Filho, que aqui já firmou este compromisso conosco, a Sejel e o Governo do Estado do Amazonas, estarão unidos para que esta Lei seja cumprida e o jovem do Amazonas tenha direito, e esse direito seja preservado e nós possamos sim levar estes benefícios do ID Jovem a cada município do estado do Amazonas, seja ele o mais longe ou o mais próximo da capital amazonense”, se comprometeu a Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), Janaina Chagas.

Aaa snj amazonas 3

“Vamos buscar que o benefício atenda a todos os municípios. O governo do estado tem priorizado a juventude e através deste programa, ampliamos o alcance das políticas públicas para este público. Um exemplo é o caso do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). A taxa de evasão deste ano foi de 47%, segundo o Ministério da Educação. Com o desconto na inscrição, graças ao benefício, acreditamos que no próximo ano teremos mais adesões”, explica Caroline Pinheiro, chefe de juventude do estado do Amazonas.

No mesmo dia, pela manhã, ocorreu o lançamento do programa em uma comunidade ribeirinha de Nossa Senhora Aparecida.

Sobre o Programa

O ID Jovem é um documento que garante acesso à meia-entrada em eventos artísticos, culturais e esportivos, descontos em viagens interestaduais, além da gratuidade nas inscrições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) aos jovens com renda mensal de até dois salários mínimos e idade entre 15 e 29 anos. Para isso, é necessário estar inscrito no Cadastro Único do Governo Federal, com informações atualizadas há pelo menos 24 meses.

A emissão do ID Jovem pode ser feita por meio de aplicativo do celular ou pela internet, no site do programa (http//idjovem.caixa.gov.br). É necessário ter em mãos o número de Identificação Social (NIS) impresso no Cartão Cidadão, extrato do FGTS e a Carteira de Trabalho. O programa, que está presente em várias capitais do Brasil, foi lançado em dezembro de 2016.

Assis Filho reúne com ministro-chefe da secretaria-geral da presidência de Michel Temer

Nesta terça-feira (21) o Ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Wellington Moreira Franco, recebeu o Secretário Nacional de Juventude, Francisco de Assis Costa Filho, para discutir os avanços do Programa Identidade Jovem. A iniciativa já foi lançado em quase todos os estados brasileiros e está sendo divulgado pelos municípios do interior do país.

Visando a ampliação do alcance do Programa para que cada vez mais jovens baixa renda entre 15 e 29 anos sejam contemplados, o secretário Assis Filho levou ao ministro a sugestão de lançar uma campanha nacional que divulgue os benefícios do ID Jovem. Entre eles, estão o acesso à meia-entrada em eventos artístico-culturais e esportivos, além de vagas gratuitas ou com desconto no sistema de transporte coletivo interestadual e isenção da taxa de inscrição do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem).

Na ocasião, o Ministro-chefe e o Secretário Nacional de Juventude também debateram a proposta da SNJ de alteração do Decreto 8537, de outubro de 2015, que regulamenta o benefício da meia-entrada para acesso a eventos artístico-culturais e esportivos. “Queremos que aqueles beneficiados pelo ID Jovem encontrem suas necessidades contempladas na Lei 12.852, que institui o Estatuto da Juventude e o Sistema Nacional de Juventude, e em todo aparato legal que decorre disso. É nossa obrigação garantir que o acesso ao ID Jovem não seja barrado arbitrariamente”, conclui Assis Filho.

Duplicação da BR-135: novela sem fim?

Anos de espera; obra parada; população insatisfeita; cobranças; acidentes; tragédias; vidas perdidas; sofrimento; revolta… Assim pode ser resumida a história da duplicação da BR-135 que há mais de quatro anos não avançava. Mas, o surgimento de um personagem destemido, aguerrido, insistente e persistente, mudou os rumos da história. Inconformado com a vergonhosa lentidão da obra, o deputado federal Hildo Rocha passou a liderar verdadeira cruzada em favor do empreendimento. Fez dezenas de pronunciamentos; se reuniu com a bancada; participou de reuniões com a diretoria do DNIT, cobrou do governo, criticou, esbravejou e buscou meios de contribuir com ações concretas.

Mas, para isso, foi necessário abrir a “caixa preta”. De que forma? Usando as prerrogativas de membro titular da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara Federal (CFFC), Hildo Rocha apresentou dois requerimentos para a realização de inspeções à obra. A primeira aconteceu no dia 11 de julho de 2016. A segunda ocorreu em 26 de junho de 2017. Só assim a verdade veio a público e o jogo de empurra deu lugar a ações efetivas que culminaram com a retomada da obra que agora está em ritmo acelerado.

Vistoria

Neste fim de semana, novamente Hildo Rocha esteve no canteiro de obras. Após percorrer toda a extensão do primeiro trecho da duplicação (Estiva/Bacabeira) o deputado constatou que nova pista está praticamente pronta, falta pouco para ser concluída. “Acredito que até o dia 31 de dezembro o asfaltamento do primeiro trecho será concluído. Estou atento acompanhando a evolução desta obra. Venho sempre aqui porque tenho uma responsabilidade muito grande com os maranhenses que me colocaram na Câmara. Assumi, perante os meus conterrâneos, o compromisso de empenhar para que a obra fosse concluída.

Ações da bancada

Rocha fez questão de destacar o trabalho dos senadores e deputados federais do Maranhão. “A bancada maranhense, senadores e deputados muito se empenhou para tornar possível a retomada das obras. Conseguimos aprovar no orçamento da união uma emenda impositiva de bancada para que tivéssemos dotação orçamentária e financeira que assegure a conclusão da obra”, ressaltou o parlamentar. 

Tinha tudo para ser uma novela sim fim. Mas, o pessimismo está se dissipando.

Assis Filho propõe atualização do Plano Nacional de Juventude

A Secretaria Nacional de Juventude (SNJ) está conversando com deputados federais sobre a atualização do Plano Nacional de Juventude (PL 4530/2004), que tramita na Câmara dos Deputados há mais de 10 anos. Para debater o assunto, o deputado federal André Amaral (PMDB-DF) solicitou a realização de uma audiência pública na Comissão de Legislação Participativa, marcada para dia 14 de dezembro.

Para Amaral, “é necessário debater o Plano Nacional de Juventude, pois este integra o Sistema Nacional da Juventude (Sinajuve) e estabelece metas para o Governo Federal no cumprimento das políticas públicas voltadas para os jovens”. Ele também foi o autor do requerimento que debateu o Sinajuve em agosto deste ano.

Em reunião com o secretário da Juventude da Câmara dos Deputados, deputado Rafael Motta (PSB-RN), na tarde desta quinta-feira (09/11), Assis apresentou a agenda de audiências públicas para discutir o Plano nas cinco regiões do país. Motta sugeriu que seja feita uma Comissão Geral para discutir o assunto. “A Secretaria de Juventude da Câmara é o canal de comunicação da juventude com o Poder Legislativo do nosso País”, justificou o deputado.

Na quarta-feira (08/11), o secretário nacional de Juventude, Assis Filho, se encontrou com o deputado federal WilsonFilho (PTB-PB), para tratar do assunto. E o presidente do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), Anderson Pavin Neto, e o presidente do Comitê Interministerial da Política de Juventude (Coijuv), José Antônio de Melo Filho, se reuniram com o deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG), que foi relator da proposta e apresentou um substitutivo em 2006, para falar sobre o tema.

Os representantes da juventude explicaram aos parlamentares que a SNJ, em parceria com a Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), contratou consultores para atualizar o Plano Nacional de Juventude de acordo com os 11 eixos temáticos do Estatuto da Juventude, aprovado em 2013. Os consultores também vão levar em consideração as resoluções das três Conferências Nacionais de Juventude (2008/2011/2015), os dados do Mapa da Violência 2016 e as mudanças nas políticas de juventude e no Brasil na última década.

Aos 28 anos, Wilson Filho é um dos parlamentares mais jovens da casa e autor de um requerimento que pedia a inclusão da proposta na pauta de votação. “Os jovens precisam ser incorporados ao processo de desenvolvimento do País, por meio de uma política nacional de juventude voltada aos aspectos humanos, culturais e educacionais”, defende o jovem parlamentar.

Reginaldo Lopes está em seu quarto mandato e atuou na Comissão Especial criada para acompanhar e estudar propostas de Políticas Públicas para a Juventude, em 2004. O PL 4530/2004 é resultado dos trabalhos dessa comissão. Ele é relator de uma proposta substitutiva apresentada em 2006, que contém 250 objetivos e metas para a juventude.

“O Plano Nacional de Juventude vai tornar as políticas públicas de juventude responsabilidade do Estado e não de governos, efetivando-as em todos os níveis institucionais – Federal, Estadual e Municipal”, explica Assis Filho. Previsto no Art 227, parágrafo 8 da Constituição Federal, o Plano Nacional de Juventude terá duração decenal, visando a articulação das várias esferas do poder público para a execução de políticas públicas.

Entenda o que mudou na Lei Maria da Penha

Texto da lei ganhou novos itens relacionados ao atendimento a mulheres em situação de violência, que deverá ser feito, de preferência, por profissionais mulheres.

O atendimento a mulheres vítimas de violência doméstica ganhou novas regras, com mais direitos garantidos durante todo o processo: na hora da perícia, de prestar depoimento ou de lidar com oficiais de justiça. A Lei nº 13.505, sancionada pelo presidente da República, Michel Temer, adiciona itens à Lei Maria da Penha e traz diretrizes para o atendimento policial e para o trabalho de perícia.

A delegada da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher do Distrito Federal (Deam/DF), Sandra Melo, explica que as orientações são direcionadas, sobretudo, às autoridades policiais. “A grande novidade é que o atendimento seja feito preferencialmente, isto é, quando há condições, por pessoas do sexo feminino”, diz.

Confira, abaixo, o que mudou na Lei Maria da Penha e o que cada uma dessas alterações representa no combate e na repressão à violência doméstica e na proteção das vítimas.

1. Um dos direitos garantidos às mulheres em situação de violência doméstica e familiar é passar por atendimento policial e pericial especializado, ininterrupto e prestado preferencialmente por servidoras mulheres. “Há vítimas que se sentem mais à vontade com profissionais mulheres e, se ela expressar isso, vamos disponibilizar uma profissional do sexo feminino para atendê-la”, explica Sandra Melo.

2. Os questionamentos e interrogações no ato do atendimento devem prezar pelas integridades física, psíquica e emocional da depoente. A mulher, seus familiares e testemunhas devem ter garantia de que não terão contato direto com investigados ou suspeitos e pessoas relacionadas a eles.

3. A mulher em situação de violência não deve ser revitimizada ao prestar depoimentos. Isso significa que devem ser evitados questionamentos sucessivos sobre o mesmo fato nos âmbitos criminal, cível e administrativo. Da mesma forma, devem-se evitar questionamentos sobre a vida privada.

4. A escuta e o interrogatório devem ser feitos em locais com equipamentos próprios e adequados à idade da mulher e à gravidade da violência. De acordo com a delegada Sandra Melo, isso se aplica a algumas peculiaridade do atendimento, por exemplo, de pessoas menores de idade. “O local sempre deve ser reservado, para preservar a identidade e a intimidade da vítima”, diz.

5. Profissionais especializados em violência doméstica devem intermediar as escutas e os depoimentos, quando necessário. “Às vezes, a mulher está com um bloqueio emocional. Aqui na Deam, por exemplo, assinamos um termo de cooperação com universidades e, nesses casos, pedimos ajuda de profissionais da psicologia ou da área jurídica para fazer essa escuta”, relata a delegada.

6. Os depoimentos prestados devem ser registrados em meio eletrônico ou magnético. A degravação, isso é, a transcrição do áudio e a mídia contendo o registro deve integrar o inquérito. “Essa medida é importante para que a vítima não tenha de repetir o mesmo depoimento em outras fases do processo”, explica Sandra.

7. A formulação de políticas e planos de atendimento à mulher em situação de violência doméstica e familiar darão prioridade, no âmbito da Polícia Civil, à criação de Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (Deams), de Núcleos Investigativos de Feminicídio e de equipes especializadas para o atendimento e a investigação das violências graves contra a mulher.

Assis Filho participa do lançamento da campanha vidas negras

Aaaa vidas negras

O secretário nacional de juventude, Assis Filho, participou na tarde desta terça-feira (07/11), do lançamento da campanha “Vidas Negras”, pelo fim da violência contra os jovens negros. Principal atividade do Sistema ONU Brasil no mês da Consciência Negra, a iniciativa inclui vídeos e peças que abordam diferentes facetas da questão, que vão da discriminação como obstáculo ao exercício da cidadania plena; passam pelo tratamento desigual de pessoas negras em espaços públicos; chegando até o problema da filtragem racial (escolha de suspeitos pela polícia, com base exclusivamente na cor da pele).

“É inadmissível que a cada 100 assassinatos ocorridos no Brasil, 71 sejam contra jovens negros”, afirmou Assis. Na campanha, esses números são apresentados pelos artistas Érico Brás, Taís Araújo, Elisa Lucinda e o Dream Team do Passinho. Os vídeos deverão ser veiculados ao longo de um ano, nos meios de comunicação. De acordo com o Mapa da Violência, lançado pela Secretaria Nacional de Juventude em parceria com a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), um homem negro tem até 12 vezes mais chance de ser vítima de homicídio no Brasil que um não negro.

“Estudos mostram que afrodescendentes são discriminados ou excluídos devido ao racismo institucional”, explicou o coordenador residente da ONU, Niky Fabiancic. “O racismo mata e não podemos ser indiferentes. Podemos e devemos fazer a diferença. Não devemos deixar ninguém para trás.” O Brasil é um dos 193 países comprometidos com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.  E um dos principais compromissos dessa nova agenda é não deixar ninguém para trás em relação às metas de desenvolvimento sustentável.

Para Luana Vieira, representante da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) do Ministério dos Direitos Humanos, o racismo institucional está presente em todos os espaços de poder. “Não podemos permitir essa exposição seletiva”, disse a jovem negra, que saiu de uma favela de Belo Horizonte (MG) para estudar Direito “graças à política de cotas raciais”. Ela destacou a importância da “representatividade em diversos espaços” para “iniciar a mudança”.

Para Assis Filho, é necessário uma força-tarefa de toda a sociedade para reverter esse quadro.  “Vamos combater o racismo com o fortalecimento das políticas afirmativas em favor do negro”. A SNJ pretende lançar, no próximo dia 20, Dia da Consciência Negra, o Índice de Vulnerabilidade Juvenil (IVJ) de 2017, ano-base 2015, com recorte de gênero, raça e por município. 

“Índice de vulnerabilidade juvenil será atualizado”, diz Assis Filho

O secretário nacional de Juventude, Assis Filho, se reuniu na manhã desta segunda-feira (06/11) com o presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio Lima, com a oficial de Projetos da Unesco no Brasil e ponto focal da área de juventude na instituição, Luciana Amorim, e com representantes da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) do Ministério dos Direitos Humanos para tratar da atualização do Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e Desigualdade Racial (IVJ – Violência e Desigualdade Racial).

A atualização do Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência foi encomendada ao Fórum Brasileiro de Segurança Pública pela Secretaria Nacional de Juventude com o objetivo de subsidiar as ações do novo Plano Juventude Viva. O novo relatório terá como ano base 2015 e as fontes de dados utilizadas são do IBGE (PNAD 2015, Censo Demográfico 2010, projeções populacionais) e o Datasus (Sistema de Informações de Mortalidade – SIM). O IVJ 2017 deverá ser divulgado ainda no mês de novembro, Mês da Consciência Negra.

Esta é a segunda vez que o Índice de Vulnerabilidade Juvenil será atualizado. A primeira foi em 2014 e tinha como ano base 2012. E a primeira vez que o estudo foi realizado foi em 2009, ano base 2007. O relatório leva em consideração os níveis de exposição do contingente juvenil à violência urbana, a permanência na escola, a forma de inserção no mercado de trabalho e o contexto socioeconômico do município de residência desses jovens e adolescentes.

Assis Filho recebe o governador do Espírito Santo

Na tarde dessa terça-feira (31), o governador em exercício do Espírito Santo, César Colnago (PSDB), fez uma visita de cortesia ao secretário Nacional de Juventude, Assis Filho. Eles conversaram sobre os avanços do Programa ID Jovem no estado. De acordo com o último levantamento da Secretaria Nacional de Juventude (SNJ), até outubro foram geradas 7.754 carteiras em todo o estado. Também participaram da reunião, o coordenador-Geral de Políticas Transversais da SNJ, Vitor Otoni e o chefe de gabinete, Kécio Rabelo.

O programa ID Jovem garante a meia-entrada em cinemas, teatros, shows e eventos esportivo, além de direito a duas vagas gratuitas e duas vagas com 50% de desconto no transporte interestadual, por veículo, embarcação ou comboio ferroviário. Todos esses benefícios são garantidos pelo Estatuto da Juventude – Lei nº 12.852/2013. Têm direito ao benefício qualquer brasileiro de 15 a 29 anos que pertence a famílias com renda mensal de até dois salários mínimos.

O secretário Assis Filho também falou sobre o Programa Juventude Viva, com ações de prevenção à violência contra a juventude negra. Para o secretário, a presença institucional do Governo Federal junto às esferas estaduais e municipais, por meio do Programa, estimula a integração das ações, ampliando as oportunidades de atuação conjunta entre os governos no combate ao racismo e à violência.